Listagem Oficinas

Informe o estado:   

Nome
Atuação
Cidade
Telefone 1
Telefone 2
Email
Sinopse
Necessidades
Estado


ADOIR MARTINS DA SILVA
Prática
CAMPO GRANDE
(67) 3044-7875
(67) 9905-2254
adoirmartins2008@hotmail.com
Destina-se a crianças, jovens e adultos. Possui dupla finalidade:
-iniciação à dança
-educação corporal
Fundamental para qualquer tipo de dança; clássica, moderna, jazz etc.
Endereça-se também à educação corporal, propiciando melhoria das condições físicas, fortalecimento de músculos e flexibilidade do corpo. Cada aula compõe-se de três partes:
-exercícios na barra
-exercícios no chão
-exercícios no centro
Os exercícios de barra e de centro são posições e movimentos executados na dança. Os exercícios de chão destinam-se à cultura física. Contribuem para melhor desempenho nos exercícios de dança, podendo, também, ser realizado isoladamente, por pessoas que se interessam por ginástica. Com essa característica, Iniciação à Dança Clássica proporciona a todo o grupo familiar uma excelente oportun idade de lazer sadio.

MS
Adriana Grechi
Prática
SAO PAULO
(11) 3032-3497
adriana@estudionave.com

Nova Dança é um método de estudo do corpo e do movimento na dança contemporânea, utilizando, como instrumento de investigação, diversas técnicas de consciência corporal e educação somática. Este trabalho teve início nos anos 70, nos Estados Unidos e tem como enfoque desenvolver possibilidades individuais do corpo e explorar novas organizações do movimento. Não é um método "fixo", e sim, um constante trabalho de exploração e investigação. Nos anos 80, a proposta se expandiu pela Europa, influenciado diversos criadores. Na Holanda foi criada a School for New Dance Development (SNDO) ou, Faculdade para o Desenvolvimento da Nova Dança.

A prática da Nova Dança desenvolve e amplia a percepção do corpo e do movimento. As qualidades de “peso, volume, fluidez, alinhamento ósseo, presença e escuta” são abordadas em exercícios e seqüências de chão, mudanças de plano e deslocamentos no espaço. Partimos então para a exploração e desenvolvimento de repertório pessoal de movimento. Utilizamos como ferramentas de investigação exercícios que estimulam a criação/ invenção de diferentes estados corporais. Esta oficina visa a ampliação de possibilidades individuais do corpo/movimento.

- Estúdio com piso de madeira ou linóleo
- Aparelho de CD

SP
Adriana Paula Ramos
Prática Teórica Técnica
São Vicente
(13) 9144-3035
(13) 3467-8548
adriana_ramos2911@hotmail.com
Projeto de aulas de dança do ventre procurando despertar não somente o senso artístico mas também a consciência corporal do praticante como ser dançante e musical. Módulos de 2 meses com aulas semanais (1x) de 1hora e 30 min.  Abordagem teoria, prática e tpecnica da dança em todas as aulas. Público alvo: adultos (ambos sexos) maiores 18 anos. 
Local póde ser aberto ao ar livre mas com possibilidade de adequar abrigo para interpéries climáticas (chuva, vento, frio, sol forte) ou, preferência local abrigado, A possibilidade de conter nete local espelhos seria de grande valia (mas tal projeto pode ser acdequado a locais sem esta possibilidade) , aparelho de som ou caixa amplificadora, retoprojetor (videos, material lúdico a ser apresentado)
SP
Adriana Suely Queiroz Ribeiro
São Paulo
1132091648
2499034733
drica.bhavaniyoga@hotmail.com
No contexto da dança, as artes corporais orientais são de vital importância para orientar-nos na filosofia do "natural". Seguindo o fluxo de nossa verdadeira natureza, o movimento é livre de esforço, sem amarras, surgindo a partir da própria "energia" daquele que se propõe a expressá-lo.
Cordas.
Espaço Limpo e Arejado.
Colchonetes.
Som.
Cobras de porta.

SP
Agnaldo Sousa Fonseca
Prática
SALVADOR
(71) 3249-9907
(71) 3249-5827
aguia.ita@hotmail.com

A necessidade de valorização e afirmação da cultura negra no Brasil é de extrema importância, pois alerta a sociedade atual e as vindouras da importância do legado negro deixado pelos nossos ancestrais e que é parte constituinte da formação da identidade brasileira. E a dança é uma das principais formas de representar esse legado.

No mínimo dois músicos que já tenham todo o seu material percursivo. digo: percursão,efeitos.

BA
Aguinaldo Moreira de Souza
Prática
LONDRINA
(43) 3342-3178
guidanca@yahoo.com.br

A oficina compreende três momentos:

1) dinâmicas de condicionamento físico para o ator/bailarino, com foco nas questões do aquecimento, do fortalecimento, do alongamento e da dilatação corporais para o estabelecimento do “estado criativo”.

2) exercícios técnicos de deslizamentos e quedas: decupagem das articulações, solturas, apoios e lançamentos; binômio peso/chão: desmoronamentos, mergulhos e quedas; inversão de equilíbrio, rolamentos.

3) Improvisação a partir dos elementos técnicos; princípios de auto-conhecimento e estabelecimento do limite provisório do trabalho corporal do ator/bailarino.


PR
Ailson Barbosa da Silva
Prática Teórica
(81) 3273-1839
(81) 8707-3122
ailson.barbosa.silva@gmail.com

Com carga horária de 20 horas/aula, o curso tem o objetivo de percorrer pela dança popular pernambucana dando ênfase aos movimentos do bumba-meu-boi. Ao final do curso espera-se que o aluno conheça os ritmos, movimentos e história deste folguedo popular.

- Equipamento de som

- TV

- Equipamento de DVD

PE
Alan Quinquinel
Prática
OSASCO
(11) 3691-8528
oemaildoalan@gmail.com
A Oficina de Dança Aérea "Nós do Tecido" é um projeto do artista circense Alan Quinquinel que visa democratizar o acesso ao Tecido Acrobático circense através de oficinas gratuitas voltadas à comunidade. O objetivo desta oficina é mostrar uma vertente do tecido aéreo mais próxima da performance e da dança contemporânea experimental, diferindo um pouco do tradicional número circense. A idéia é que ao final das oficinas os praticantes desenvolvam apresentações diversas experimentando as possibilidades do tecido.
- 3 Tecidos circenses c/ 15 m cada (liganete 100% poliamida): R$ 100 x 3 tecidos = R$ 300,00
- Colchões de proteção diversos: R$ 2000,00
- Ponto de fixação para os tecidos, c/ altura superior a 7m (gancho, trave, viga, etc)
SP
Alan Rezende
Prática
RIO DE JANEIRO
REZENDE.ALAN@HOTMAIL.COM
CONTATO E DESENVOLVIMENTO DA TÉCNICA DE JAZZ NOS ESTILOS MODERN E CONTEMPORARY, SE UTILIZANDO DAS TÉCNICAS CLÁSSICAS E MODERNA, COM O ESTILO PRÓPRIO DO JAZZ, ALIADO Á CONTEMPORANEIDADE, COM ELEMENTOS DE LABAM, E DANÇA CONTEMPORÂNEA. DESENVOLVE A CRIATIVIDADE, E A TÉCNICA PARA BAILARINOS QUE SE IDENTIFIQUEM COM O ESTILO PROPOSTO. CONTATO E DESENVOLVIMENTO DA TÉCNICA DE JAZZ NOS ESTILOS MODERN E CONTEMPORARY, SE UTILIZANDO DAS TÉCNICAS CLÁSSICAS E MODERNA, COM O ESTILO PRÓPRIO DO JAZZ, ALIADO Á CONTEMPORANEIDADE, COM ELEMENTOS DE LABAM, E DANÇA CONTEMPORÂNEA. DESENVOLVE A CRIATIVIDADE, E A TÉCNICA PARA BAILARINOS QUE SE IDENTIFIQUEM COM O ESTILO PROPOSTO.
INSTALAÇÃO PRÓPRIA PARA O ENSINO E PRATICA DE DANÇA.( ESPELHO, SOM)
RJ
Alan Rezende
Prática
RIO DEJANEIRO
REZENDE.ALAN@HOTMAIL.COM
OFICINA DE DANÇA QUE SE UTILIZA DOS CLIMAS E DAS TRILHAS DOS MUSICAIS DA BROADWAY, PERMITINDO O ALUNO O CONTTAO COM ESSA ESTÉTICA E UMA POSSIVEL IDENTIFICAÇÃO COM ESSE ESTILO QUE HOJE É UMA REALIDADE NO MERCADO .

INSTALAÇÕES PARA O ESTUDO DE DANÇA( ESPELHO, SALA AMPLA E APARELHO DE SOM)
RJ
Alana Cybelle Ferreira Lima
Prática
Manaus
(92) 9311-8525
(92) 3651-9163
cybelle_alana@hotmail.com

Este projeto se propõe a alcançar crianças e adolescentes do interior do estado de Amazonas, expandindo o conhecimento das artes cênicas através do balé clássico. Assim levando oficinas que possam reforças e ensinar o conhecimento corporal e o melhor entendimento do que é cultura e arte, uma vez que há extrema carência no município de Manacapuru.

 

 
As oficinas vem proporcionar  o melhor  entendimento   para o pensamento da dança clássica neste município, uma vez que o mesmo é carente de informações e discurso teórico-prático sobre esta prática corporal contribuindo para o desenvolvimento sócio-cultural deste lugar.

Alimentação - R$ 420,00 (DARIA R$ 30,00)
Passagem -  R$ 60,00
Hospedagem - R$ 420,00 (DIARIA DE R$ 60,00)
CONTABILIZADO PARA 2 PESSOAS- PROFESSORA E AUXILIAR
AM
Aldelice Batista Braga
Prática Teórica
Florianópolis
(48) 3207-4782
aldebraga@hotmail.com
 Interpretação das tradições africanas através da Dança e da percussão!
No final das Oficinas será apresentado um Recital dançante; englobando alguns rítmos trabalhados durante a execução da Oficinas.
Espaço adaptado para que os participantes possam dançar com os pês descalços; instrumentos para as aulas de percussão.
SC
Aldelice Batista Braga
Prática Teórica
Florianópolis
(48) 3207-4782
aldebraga@hotmail.com
 Este Curso engloba gestos habituais de algumas regiões Africanas e Brasileiras. Tem o objetivo de capacitar profissionais  da Dança e demais agentes culturais.
Espaço Físico com piso adequado para a prática desta dança com os pés descalços.
Percussionistas para acompanhar as prâticas das Danças.
Em caso de ausência de percussionistas aparelhagem de som.
Progetores para demostração teórica das aulas.

SC
Alessandro Rivellino
Prática
Porto Alegre
(51) 9291-4591
(51) 3336-2657
alessandrorivellino@hotmail.com
Proposta: Abrir uma possibilidade de experiência onde Danças Circulares Sagradas oriundas de diversas partes do mundo serão dançadas, em conjunto, buscando uma celebração da vida através do movimento e da meditação em movimento.
As Danças Ciculares Sagradas vêm sendo, por meio do movimento,
uma forma de construção de um espaço criativo, lúdico, cuidadoso,
de reconhecimento do outro, de partilha e respeito.
Um dos objetivos é construir um espaço-tempo de vivência por meio
das Danças Circulares Sagradas; trabalhando o corpo físico, emocional, mental
e espiritual; trazer musicalidade, ritmo, leveza e flexibilidade para o corpo e para a vida.
Estabelecendo um resgat às danças históricas dos povos antigos do mundo.
Não há um limite de participantes.
Aparelho de Som que toque CD.
RS
Alessandro Rivellino
Prática
Porto Alegre
alessandrorivellino@hotmail.com
Cinesfera e Percepção

Esta oficina de Contato Improvisação irá trabalhar a percepção corporal e a escuta, em relação à cinesfera, à entrega e recebimento de peso, à estruturação muscular e óssea de suporte e ao jogo possível na dança em contato. Utilizando-se de ferramentes técnicas do contato improvisação, também pretende trazer noções do paradoxo peso/leveza na dança.
Espaço físico amplo, chão de madeira.
Alexandre Honorio Garcia
gabriel monteiro
(18) 3602-1335
xandibobby@terra.com.br
usando os movimentos das danças das rua e expressão cultural brasileira para uma melhor perspectiva da  coordenação motora e análise pessoal da vida .
espaço cultural espaço físico em construção, equipamento de som mesa, potencia, iluminação, mixes, caixas de som, microfones auricular. 
SP
Alexandre Veras Costa
Teórica
alexandreverascosta@gmail.com

O curso tem como objetivo principal introduzir questões que vêm se colocando como importantes na construção estética do vídeo-dança, a partir de discussões pertinentes às linguagens do audiovisual (cinema e vídeo) e da dança. Alguns temas abordados: O cinema e o movimento (breve histórico do cinema a partir de um recorte que privilegie a relação com o tempo); o corpo contemporâneo o conceito de corporeidade (breve histórico da dança cênica, com ênfase no século XX, focando a composição coreográfica e suas rupturas estéticas); a performance e a interface com outras linguagens e vídeoarte. Evitando as territorializações excessivamente demarcadas que possam surgir da pergunta “O que é vídeo-dança?” , o que se procura é ampliar as perspectivas dessa nova pesquisa de linguagem que se apresenta, deslocando a atenção para outra pergunta: “O que pode a vídeo-dança?”

 

Objetivo: discutir a linguagem do vídeodança e ampliar perspectivas.

 

1° dia – O cinema e o movimento (breve histórico do cinema a partir de um recorte que privilegie a relação com o tempo).

 

2º dia – Do corpo contemporâneo ou de novas corporeidades (breve histórico da dança cênica, com ênfase no século XX, focando a composição coreográfica)

 

3º dia – Performance: a interface com outras linguagens.

 

4º dia – Vídeoarte e vídeo-dança.

 

5º dia – Relações possíveis e produção

Projetor

 

Caixa de Som

 

Aparelho de DVD

 

Quadro branco

CE
Aline Batista de Carvalho
Prática Teórica Técnica
São Bernardo do Campo
(11) 3423-3735
alinefasioli@hotmail.com
Dança que pode ser ministrada para crianças, adolescentes e adultos, que pesquisa técnicas e estudos de Rudolf Laban, Isadora Duncan, Klauss Vianna, entre outros. Através da improvisação, constitue a criatividade e autonomia do aluno, a consciencia corporal e a dinâmica do grupo. 
sala adequada, bolinhas de tenis, aparelho de som e aparelho visual (projetor-televisão com dvd)
SP
Alysson Amancio
Prática Teórica Técnica
JUAZEIRO DO NORTE
(88) 3511-0790
(88) 3511-7124
alyssonamancio@hotmail.com
 

Dança contemporânea não é uma técnica de dança e sim uma pesquisa estética, é preciso então disponibilizar o bailarino para romper as barreiras corporais construídas e pré-conceitos artísticos. Possibilitar a sua intimidade corporal com os elementos fundamentais do movimento, tais como: peso, fluxo, tempo, espaço, volume. E acima de tudo ensiná-lo a necessidade de se dar conceitos aos movimentos vazios.


Sala ampla, arejada, bom piso, aparelho de som.

CE
Ana Carolina Bezerra Teixeira
Prática
SALVADOR
(71) 8721-1879
carolinateixeira25@yahoo.com.br

Este curso pretende a realização de processos investigativos acerca do trabalho do artista de Artes Cênicas (dançarinos, atores, performers, pesquisadores) portador ou não de deficiência física, seus processos, contribuições e questionamentos e sua relação com a cena.

 

Serão utilizadas diversas linguagens artísticas na busca de meios para a criação de uma cena autônoma, estimulando a auto-investigação e da pesquisa de cena em grupo.

 

A interconexão entre áreas como teatro, dança, artes visuais, performance, contribuirá para a formação de artistas pesquisadores e considerará os estudos sobre as deficiências e impossibilidades comuns a todos.

 

Serão realizadas ações de intervenção cênica e preparação em espaços convencionais e externos, pretende-se desta forma um redimensionar sobre o local da cena e a capacidade de improvisação do participante na busca de uma criação autoral. 

 

A metodologia investigativa será amplamente utilizada com apoio em recursos da improvisação para o Teatro e para a Dança, a ação performática no trabalho do artista, a pré-expressividade, a percepção visual dos espaços (sua plasticidade) e por fim a utilização de técnicas específicas acerca do trabalho com a deficiência física.

 

Em suma trata-se de uma oficina onde a formação do artista e de sua criação autoral mescla-se à resultante política de suas concepções.

 

A Arte neste sentido assume o lugar crítico e artístico, o lugar não apenas da apreciação, mas da interação, do diálogo e da possibilidade criativa de corpos diversos.

- Sala ampla com ventilação adequada e piso revestido por utilizarmos processos de trabalho em solo e por se tratar de uma oficina que envolve participantes com deficiências.


- Espaço externo para realização das práticas interativas de corpo-rua.


- Aparelho de Data show e CD player.

BA
ANA CAROLINA SILVA
Prática Técnica
Rio Grande da Serra
11979927118
ana_ms52@hotmail.com
Partindo de estudos de corpo- expressão, a oficina traz ferramentas que vai desde a fluência no chão e espaço até aos movimentos brutos que vão sendo construídos. A proposta é criar uma dança nada convencional, na batida da bateria e no tocar da guitarra, mas tudo isso vibrando em um corpo.
É necessário que se haja um conhecimento prévio em dança e esteja aberto a se arriscar. Roupas confortáveis que deem liberdade e calça comprida.
SP
ANA CLÉIA ANERI ALVES
Prática Teórica
MANAUS
(92) 3239-0750
(92) 3238-2496
donadance@hotmail.com
Com o objetivo de difundir um pouco sobre universo da cultura popular brasileira, a Oficina de Danças Populares do Norte e Nordeste vem contribuir para o conhecimento  de alguns elementos do cotidiano na área da dança amazonense,paraense,baiana e pernambucana.
Duas passagens ida e volta para  para a cidade proposta pela Funarte.
Estadia para três dias,translado aeroporto,hote,local da oficina, e alimentação.
Um cachê do R$ 2.000 para três dias de oficina.
AM
Ana Maria Agazzi
Prática
agazziana@gmail.com
 

A OFICINA TEM COMO OBJETIVO ESTUDAR AS BASES DA PRÁTICA CRIATIVA EM DANÇA-TEATRO E FORNECER AOS PARTICIPANTES INSTRUMENTOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS PARA PROSSEGUIR NA PESQUISA INDIVIDUAL e na produção de trabalhos cênicos autorais.


 

SALA DE AULA AMPLA E APARELHO DE SOM COM MÍDIA CD.

BA
Ana Paula de Souza Monçalves
Prática Teórica Técnica
RIO DE JANEIRO
(21) 9874-1465
(21) 3839-6801
anaclaudio_rj@hotmail.com
MOSTRAR AO PROFESOR A IMPORTÂNCIA DAS AULAS DE DANÇAS NAS TURMAS INICIAIS, DA EDUCAÇÃO INFANTIL AO 1 ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL, MOSTRANDO, A LATERALIDADE E DESENVOLVENDO A COORDENAÇÃO MOTORA E A LOCALIZAÇÃO ESPAÇO TEMPORAL, APRENDIZADO DE PEQUENAS SEQEÊNCIAS COREOGRAFICAS , INCLUINDO DIFICULDADES DE ACORDO COM A FAIXA ETÁRIA. AJUDANDO ASSIM, OS PROFESSORES DOS SEGUIMENTOS NA ELABORAÇÃO DE ATIVIDADES NAS ÁRESA DE FESTAS E DESENVOLVIMENTO COGNITIVOS. DENTRE OUTRAS NECESSIDADES DE APRENDIZADO QUE SURGIREM AO LONGO DO PERÍODO DO CURSO.
TENDO EM VISTA A NECESSIDADE DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA QUE HOJE ENCONTRAM UM GRANDE DÉFICITE NESTA ÁREA, NÓS PODEMOS JUNTOS CONSTRUIR UMA NOVA METODOLOGIA DE TRABALHO.
RJ
André Bern
Prática
andrebern@msn.com
Planejada em parceria com a artista salvadorenha Didine Ángel, a oficina visa promover um ambiente de intercâmbio colaborativo com os participantes. Nela, serão compartilhadas diversas ferramentas para a criação, com o objetivo de estimular a exploração prévia à composição coreográfica. A dinâmica consistirá em potencializar a capacidade expressiva dos participantes face às suas vulnerabilidades e "zonas de conforto".
Esta proposta é resultado da experiência acumulada no programa de residências coLABoratório 09-10, organizado pelo Festival Panorama de Dança.
Sala com piso apropriado e aparelho de CD. Um projetor também seria interessante, mas não é indispensável.
André Bern e Veronica Diaz
Prática
veronicadia@gmail.com

A oficina visa desenvolver uma pesquisa de movimento assentada nas lembranças dos participantes. O resgate possibilitará ao público-alvo, acima de 60 anos, uma expressão renovada de sua relação com o passado. No desenrolar de suas atividades, a oficina ainda estimulará a reinvenção das emoções por meio da criação de frases curtas de movimento. Por fim, os participantes poderão compartilhar suas sensações em pequenas composições numa confraternização de cunho artístico.

sala com piso apropriado, bebedouro e banheiro próximos, aparelho de CD, algumas cadeiras, colchonetes.

Andréa Monteiro Diniz
Prática Teórica
João Pessoa
(83) 3221-8053
(83) 8804-7024
andreadakini@gmail.com
o Estilo Tribal, modalidade de dança que funde conceitos e movimentos de danças étnicas das mais variadas regiões.
Não é folclore, nem é etnicamente tradicional. O Estilo Tribal é uma modalidade de dança que funde conceitos e movimentos de danças étnicas das mais variadas regiões, como Dança do Ventre, Flamenco, Dança Indiana e Dança Havaiana, além de folclores de diversas partes do Oriente e danças tribais da África Central.
Falar sobre Tribal é mostrar, com o corpo, a rede cultural dos povos do mundo. O termo se refere à comunidade, grupo, família, aspectos do feminino que trabalham a preservação da espécie, o cuidado com o outro, a manutenção da vida e do lar. É uma dança ecológica até em seu figurino, pois faz utilização de sementes, flores, conchas e tudo o mais que remeta à ancestralidade e naturalidade.
Cada trupe ou tribo cuida dos seus integrantes objetivando a harmonia do todo. Para dançar Tribal é preciso conhecer as etnias que irão compor o estilo através de estudo, o que fará com que nos aproximemos das diversidades culturais, dando margem à nossa compreensão das mesmas. Neste estudo, acabamos por encontrar nas diferenças, justamente, grandes semelhanças de movimentos. Ricos em significados e símbolos próprios, trazidos à luz do Tribal através das mesclas, harmonizam-se quanto à intenção de tornar pública a arte de cada cultura. Dançar Tribal é celebrar e propor a paz e a harmonia entre os povos de todas as raças e credos... Assim, o Tribal seria a dança do novo milênio, da universalização, da globalização. A Dança do futuro!
Histórico - A vertente surgiu nos EUA, em 1969, quando a bailarina Jamila Salimpour, ao fazer uma viagem ao Oriente, se encantou com os costumes dos povos tribais. De volta à América, Jamila resolveu inovar e mesclar as diversas manifestações culturais que havia conhecido em viagem. Com sua trupe Bal Anat, passou a desenvolver coreografias que utilizavam acessórios das danças folclóricas e passos característicos da dança oriental, baseando-se em lendas tradicionais do Oriente para criar uma espécie de dança-teatro, acrescentando um figurino inspirado no vestuário típico das mulheres orientais.
Uma forte característica trazida das danças tribais é a coletividade. Não há performances solos no Estilo Tribal. As bailarinas, como numa tribo, celebram a vida e a dança em grupo.
Nos anos 1980, novas trupes já haviam se espalhado pelos EUA. Masha Archer, discípula de Jamila, ensina à Carolena Nericcio a técnica criada por Jamila baseada nos trabalhos de repetição e condicionamento muscular do Ballet Clássico adaptados aos movimentos das danças étnicas. Incentivada pelas diferenciações do novo estilo, Carolena forma sua própria trupe e dá novos contornos à história do Estilo Tribal.
Com sua trupe Fat Chance Belly Dance, inseriu no Estilo Tribal a característica mais forte do Estilo Tribal Americano: a improvisação coordenada. Este sistema de improvisos parece uma brincadeira de "siga o líder" e baseia-se numa série de códigos e sinais corporais que as bailarinas aprendem, trupe a trupe. Esses sinais indicam qual será o próximo movimento a realizar, quando haverá transições, trocas de liderança, etc.
Uma nova postura foi adotada pelas bailarinas desse estilo, inspirada no flamenco, com posições corporais diferenciadas visando maior amplitude aos movimentos.
Nos anos 90, o Estilo Tribal passou a demonstrar a presença de outras danças. Além da Dança do Ventre, introduziu Dança Indiana, Flamenco, dança moderna e jazz. Nasce ai o Neo Tribal, um sub-estilo que já não se mantém preso ao sistema de sinalização do Estilo Tribal Americano, trabalha com peças coreografadas e ganha liberdade com a adição de novos movimentos, inovações cênicas, acessórios e composição de figurino.
Oferecer a oportunidade da prática da dança Estilo Tribal para um público carente que busca esse aprendizado e não dispõe de recursospara o pagamento de mensalidades em academias particulares / escolas;
Ampliar o ainda mais o interesse do público em geral, nas comunidades, para uma finalidade de dança ainda não bem conhecida pelo público. que tem a finalidadedidática, cultural, bem estar;
Contribuir para ampla divulgação do dança já em voga em grandes centros urbanos, num Estado em que essa linguagem luta por espaços.
PB
Angélica Jardim
Prática Teórica Técnica
RIO DE JANEIRO
(21) 2208-3881
angelicastudio@angelicastudio.com.br
O curso visa fornecer subsídios práticos e teóricos das danças ciganas com intuito de apresentar as culturas dos países Índia, Egito, Turquia,Tunísia, Romênia, Rússia, Eslováquia, França e Espanha. E através de experiências visuais, auditivas e motoras estruturar o corpo em movimento dançado abordando a visão e a estética destas danças, da antiguidade à contemporaneidade.
Sala de dança em boas condições, aparelho de som para CD, aparelho de DVD e TV.
RJ
Angélica Jardim
Prática Teórica Técnica
RIO DE JANEIRO
(21) 2208-3881
angelicastudio@angelicastudio.com.br
Através de metodologia própria desenvolvida pela maestra em seu studio, o curso visa fornecer subsídios práticos e teóricos para a compreensão e aprofundamento do conhecimento da dança do ventre como expressão artística da cultura e estética oriental.
Sala de dança ampla, arejada e em boas condições de uso. Aparelho de som para CD, aparelho de DVD e TV.
RJ
Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira
Prática
SAO PAULO
(11) 3812-0828
contato@dancacontemporanea.com.br
 

Este workshop tem como objetivo a vivencia e a pratica dos procedimentos de pesquisa de Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira, utilizando como ponto de partida suas referências nos processos de construção dos espetáculos Delírio, Sortir, Outras Formas, Como? e Clandestino, buscando um entendimento teórico-prático da dança que a dupla vem desenvolvendo.

Este workshop está destinado à troca de conhecimentos, estimulando oportunidades que se realizam através de praticas de dança, estudos teóricos e conversas, possibilitando encontros e trocas com artistas, professores, alunos e pesquisadores locais.

Para dar continuidade ao dia-a-dia deste workshop apresentaremos algumas possibilidades de praticas realizadas anteriormente, utilizaremos os procedimentos já realizados em um sistema de reciclagem dos movimentos buscando outras formas e outros significados para os procedimentos.


som , projetor, dvd, cd e piso adequado
SP
Arthur Marques de Almeida Neto
Prática Teórica Técnica
João Pessoa
(83) 3506-0708
arthur_marques@yahoo.com.br

O curso “Corpo Social: qualificação de professores para o uso do movimento” visa:

 

  • Apresentar e oferecer uma vivência em ferramentas teórico-práticas básicas para o desenvolvimento de projetos de professores ou interessados com o uso do movimento corporal.
  • Oferecer uma vivência para desenvolver e/ ou aprimorar a prática corporal ou entendimento do corpo através do conhecimento de elementos básicos do movimento do sistema desenvolvido pelo teórico alemão Rudolf Laban, de técnicas básicas de composição e uma metodologia de organização de trabalho de criação em dança ou com o uso do corpo e do movimento.

 

ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS

 

Aulas com duração de três horas, divididas em duas partes, uma parte expositiva e outra prático-teórica. Discussão de textos. Apresentação de slides e vídeos em data-show.

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

 

Técnicas e Prática de Composição e de elementos do movimento

 

  • Elementos do movimento – espaço, tempo, fluxo e peso;
  • Motivo na composição;
  • Planos (roda, porta e mesa) e níveis (alto, médio e baixo);
  • Direções espaciais (frente, trás, esquerda, direita, diagonal direita baixa, média e alta, diagonal esquerda baixa, média e alta);
  • Ações ou esforços básicos (socar, espanar, tocar, retorcer, deslizar, empurrar, flutuar, cortar);
  • Técnicas de composição (fragmentação, repetição, staging, abstração, inversão, reversão, combinação, ornamentação, tempo, duração, tamanho, ritmo, background, adição, cânone);
  • Metodologia da Composição Coreográfica (estratégias);
  • Documentação do Processo Coreográfico;
  • Prática de Composição Coreográfica.

 

AVALIAÇÃO

 

A avaliação será um processo contínuo e diário, sendo levados em consideração a freqüência e o interesse do participante.

Será realizado trabalho em grupo ou individuais de pesquisa, em formato de seminário de apresentação com exibição do trabalho prático-teórico, na culminância do curso para verificação de aprendizagem, com aplicação de conceitos (MB – muito bom; B – bom e R – regular).

 

PÚBLICO ALVO

O curso se destina a professores de Artes, Educação Física, Música, Teatro, Dança ou áreas afins, assim como professores do Ensino Infantil e/ou Fundamental da Rede Pública ou Privada de Ensino.

PRÉ-REQUISITOS

Os participantes devem apresentar condições físicas saudáveis para participar das atividades que serão propostas. Os participantes devem vestir roupas confortáveis para o curso (como malhas, camisetas), evitando roupas quentes e que impossibilitem ou dificultem movimentos amplos, como calças jeans.

Os participantes devem ter caderno e caneta para anotações pessoais e tarefas e garrafa ou copo para água.

FREQUÊNCIA

Uma aula por semana, com duração de três horas, cada.

 

DURAÇÃO

 

O curso terá a duração de cinco encontros.

Carga horária total de 15 horas.

 

 

 


MATERIAL NECESSÁRIO

 

  • Sala adequada para a prática de dança (chão liso), arejada, ampla e ventilada, de preferência com linóleo e com, no mínimo, 2,50m de “pé direito”.
  • Aparelho de CD Player (micro-system);
  • Caixa amplificadora de som;
  • Água potável (para os participantes);
  • 2 (duas) resmas de papel A4;
  • 1000 (mil) fotocópias (xerox);
  • 1 (uma) caixa de giz branco ou colorido;
  • 2 (dois) marcadores para quadro branco;
  • 1 (um) apagador para quadro branco.

 

Sala ou auditório equipado(a) com:

 

  • Projetor (com conexão ou entrada para PC);
  • Quadro branco ou quadro negro (lousa).

Local sugerido para a realização da Oficina: Estação Cabo Branco de Ciência Cultura e Artes, João Pessoa, PB.

PB
Assis Nascimento
Prática Teórica
BELEM
(91) 3229-3813

Belém do Pará é o único Estado do Brasil que possui em sua manifestação do carnaval a figura do Porta Estandarte, um personagem que representa o coração da Escola e que tem como característica principal ser um exímio sambista. O corpo pode ser fragmentado em sua expressão artística trazendo em sua memória essas frases corporais da qual possuo desde o inicio de meu trabalho de pesquisa, que vem dessa dança do Mestre sala, passando pelo Porta estandarte e da Dança de Salão. Sendo um processo importante para o artista que leva esse corpo para cena cheio em sua memória de múltiplas influências.

Uma sala arejada

Um aparelho de som (CD)

Um equipamento de DVD

PA
associação de moradores da coophavila II
campo grande
(67) 3373-2221
(67) 3373-2221
amocii@hotmail.com


MS
Bárbara Lopes
Prática Teórica
MAIRINQUE
(11) 4718-1060
(11) 7658-4740
barbaralopessmk@yahoo.com.br


SP
Beatriz Brooks
Prática Teórica Técnica
BOA VISTA
(95) 3623-9831
mantramandap@yahoo.com
 


A dança Odissi é originaria de Orissa, ao esta da India; a característica principal da dança é o tribangui, correspondente a três dobras do corpo (na cabeça, no tronco e nos joelhos) formando sempre um triangulo com o corpo com movimentos sempre em oposição. Combi-nase a expressão dramática e movimentos corporais suaves e fortes.

O pakawaj, tambor melódico da dança acompanha cada movimento do dançarino marcando o ritmo. Cada aula esta dividida em:

-Aquecimento com exercícios próprios da dança.

-Os passos da dança (Chowcas e Tribangas)

-Bramaris (giros)

-Mudras (gestos das mãos)

-Coreografias

-Em cada aula haverá um espaço teórico.

sala ampla, aparelho de som, chão liso de madeira, marmore ou de cemento frio.
RR
Beatriz Brooks
Prática Teórica Técnica
BOA VISTA
(95) 3623-9831
(95) 8111-7042
mantramandap@yahoo.com

A característica principal da dança é o Tribangui, correspondente a três dobras do corpo, formando sempre um triângulo com o corpo do dançarino, relembrando a linha sinuosa da estatuária em pedra dos templos.

 

Combina-se a expressão dramática com uma refinada e sensual estilização de movimentos corporais suaves e fortes, busca despertar emoções no espectador.

 

A Música e a Dança estão intimamente ligadas de tal maneira que a percussão feita pelo Mardala (tambor melódico próprio da dança) acompanha cada um dos movimentos da Dançarina, marcando o ritmo.

- Aparelho de som.

- Chão duro de madeira ou cimento frio, sem ser de cerâmica.

RR
Beatriz Cerbino
Teórica
RIO DE JANEIRO
 

Como relacionar a construção de projetos, elaboração de identidades com as transformações ocorridas em cena, no palco e no corpo que dança?


Essa oficina organiza-se a partir dessa questão a fim de entender as conexões existentes entre história, memória e o material técnico e estético presente nos processos de criação da dança cênica. Utiliza-se para isso um arcabouço teórico que leve em conta aspectos históricos e artísticos na produção da dança.



Objetivos:

. Apresentar aos participantes da oficina as relações entre temporalidade histórica, que não é linear, memória e produção artística em dança.



. Relacionar memória e construção de identidades no processo de elaboração da dança cênica.


 Sala de aula teórica

TV + DVD

Datashow

RJ
Benjamin de Oliveira Abras
Prática Teórica Técnica
CACHOEIRA DOS ANTUNES
(31) 3227-1187
benjaminabras@gmail.com
 

A oficina Corpo Tambor incorpora o atrito entre as realidades pulsantes no imaginário popular, na carne que sedimenta os conceitos filosóficos da ancestralidade corporal , nas danças e cantos cotidianos. Após 12 anos de vivencias no candomblé,umbanda e no Reinado, Benjamin funde a sensações apartadas, experimentando suas delicadezas e a potencia de suas ramificações dentro da contemporaneidade, acordando sentidos físicos nas vibrações canto dança, comungando de experiências empíricas de construção do despertar de uma estrutura natural em cada corpo criando dança apartir de cada um e não de uma coreografia fixa mas criando a dança através de temas interiores,tendo para este chamamento o canto.




A oficina possui duas modalidades: iniciante e profissional isto deve ser avaliado e enviado ao oficineiro pelos interessados para que ele adeque aos interesses dos (as) alunos (as) .

Sala ampla,
bem iluminada, 
piso de madeira ( pois os alunos trabalharão descalços )
Máximo de alunos 20 com roupas para trabalho corporal
MG
Benjamin de Oliveira Abras
Prática Teórica Técnica
Contagem
(31) 3227-1187
benjaminabras@gmail.com

Apresentar  a cultura africana através da dança é revisitar algo que já pertence ao nosso cotidiano, uma vez que muitas dessas danças tem como elemento fundador o dialogo do ser humano com os elementos da natureza. Dançar o fogo a agua, o vento, a terra e transforma-los em movimentos corporais é um dos princípios desta sensibilização. Partindo da descoberta de cada participante através de sua própria percepção destes elementos simbolizados por ritmos afro-brasileiros.

Sala ampla 
MG
Bernardo Stumpf
Prática Teórica
Curitiba
(41) 8496-7410
(41) 9515-5470
bernardostumpf@yahoo.com
Este projeto, concebido e desenvolvido pelo artista e arte-educador Bernardo Stumpf, consiste de uma aproximação teórico-prática entre diferentes paradigmas, lógicas, metodologias, habilidades, procedimentos e modos de ensino-aprendizagem em/através da arte em academias, estúdios, escolas e demais espaços e contextos nos quais formas de arte e educação se atravessam.

O trabalho é direcionado a professores e demais interessados em processos de ensino-aprendizagem em arte, uma vez que atua diretamente na problemática da formação de agentes, ou seja, a partir da perspectiva do educador sobre sua relação com o aluno, o campo de formação e os conteúdos a serem ensinados/aprendidos.

Essa “aproximação teórico-prática” diz respeito à possibilidade de este projeto trazer para a discussão, reflexão e experimentação uma série de proposições e provocações que têm como principal meta desenvolver as diversas noções de ensino-aprendizagem, as relações entre educadores, educandos e assuntos, e as habilidades técnicas específicas que atuam neste campo.

Ao passo que no contexto do ensino livre de artes, a formação de agentes muitas vezes se dá a partir da reprodução e repetição (ao longo das gerações de educadores) das mesmas lógicas fixadoras de ensino-aprendizagem, esse projeto vem para proporcionar tensões nos modos como os professores observam, desenvolvem , sistematizam e avaliam seus trabalhos como formadores.
Espaço para realização de encontros presenciais.


PR
Beto Madureira
SAO PAULO
(11) 3891-1124
atanaje@hotmail.com
 

Descrição do trabalho



Realizar Aulas de dança e percussão enfocando a cultura pernambucana. Utilizando o Método Brasílica. Método criado pelo Balé Popular do Recife através dos Quatro dos Ciclos Festivos da Dança:



Carnavalesco; Frevo, Caboclinhos e Maracatu.


Junino; Côco, Ciranda e Xaxado.


Afro; Maculelê, afro primitivo, capoeira e Afoxé.


Natalino: Cavalo-Marinho (Bumba-meu-boi ), Reisado e Pastoril.




Infra-estrutura:


Sala ambiente com estimativa de 15 a 20 pessoas. Som para uso das aulas de Dança.

Obs.: O material de uso em aula é de responsabilidade do professor. CDs para as aulas de Dança. Instrumentos para Aulas de Percussão.



Instrumentos Utilizados: Caixa, Alfaias, Gonguê, Agogô, Agbê (xequerê) e Pandeiro.



Período de Aulas:


(a combinar), de acordo com a duração do Evento.

SP
Bety Damballah
Prática
CURITIBA
(41) 3018-9558
(41) 3079-6379
damballah.ctba@yahoo.com.br
A dança urbana tribal é a fusão da dança do ventre, dança indiana, flamenco, hip hop, e outras ... Dançar o tribal é mostrar com o corpo a rede cultural do mundo.
Não imprescindivel .. snujs. Necessário...sala ampla com espelhos, e som.
PR
bruna antunes da silva
Prática
SÃO PAULO
(11) 5673-0538
(11) 8465-3302
bruninha_skgirl@hotmail.com

O projeto são aulas de Breaking visado para este público alvo, pois eles tem muita facilidade de aprender todos os tipos de cultura, também quero trazer a dança dentro da nossa cidade, a cultura hip hop, eles são bem esforçados e vivem cheios de curiosidade querendo sempre aprender algo novo, e quero trazer essa oportunidade para todos.


Este projeto está sendo feito pelo tanto de crianças e adolescentes que estão em faróis vendendo doces, fazendo arte circense e até mesmo dançando, isso me comove muito, porque eles poderiam estar fazendo apresentações em escolas, teatros e em instituições, porem possui poucos lugares de incentivo a dança e culturas artísticas para eles, então nada mais é do que nós irmos até eles e poder apresentar a dança , arte e a cultura, na minha visão, o que eles fazem nas ruas poderia ser muito melhor apreciado pelos centros culturais e escolas de artes, mais ainda falta oportunidade a todas essas pessoas e nosso projeto está pensando na necessidade de todos.


Eu vejo que não é só pensar em Bboys e Bgirls (Menino(a) que quebra) que já sabem dançar, as oportunidades são para todos os tipos os que já conhecem e os que pouco sabe o que é Break, redirecionei esse para novas artes uma nova era de jovens que desenvolvam onde moram a dança com seus amigos e familiares, quero que todos possam conhecer o mundo do Break, pois é muito incrível que só vivendo vai sentir a mudança de vida, como aconteceu com nós e vários outros que dançam Break.


O Breaking é a ferramenta que transforma instinto em ação e torna-se possível o desenvolvimento da sociedade, pois o sonho de todos é um país onde todo jovem receba educação de qualidade, podendo se tornar um bom cidadão, obter conquistas, ter saúde e garantir que ele possa ter acesso a cultura, arte e lazer, ter algo para realizar sempre, e todos os educadores poderem ver o crescimento dos nossos alunos e podendo ver a evolução do todo em ações e respeito com a sociedade.

Espaço com espelhos , som bom , chão de madeira ou de marmori
SP
BRUNO ALMEIDA DA SILVA
Prática
Rio de Janeiro
2180231971
2180231971
bruno_alsiv@hotmail.com

Dançar como Beyoncé e deixar os todos aos seus pés pode não ser mais uma tarefa impossível para as reles mortais: uma modalidade de dança promete ensinar os passos sensuais das cantoras pop da atualidades. O nome da dança vem do salto alto Stiletto - já que toda a prática dessa modalidade é realizada em cima do salto. Os movimentos são inspirados nas danças das poptars, como já citei acima, e mistura técnicas de jazz, hip hop e muita sensualidade. Como benefícios, favorece o equilíbrio e a boa postura. E não é só isso: trabalha bastante a região das pernas e glúteos e queima cerca de 600 calorias por aula.

Sala Espaço físico considerável pra fazer a atividade.
Salto alto altura máx de 10 centimentos
Camila Vinhas
Prática Teórica Técnica
SAO PAULO
(11) 4107-0717
camila.vinhas@gmail.com

A proposta da oficina é mixar o Contato-Improvisação, com alguns dos ensinamentos da M. M. Beziérs - fisioterapeuta francesa que mapeia e ensina sobre as conexões ósseo-musculares; e com a Ideokinesis, instrumentalizados como métodos de preparação de um corpo mais integrado e livre para explorar seus movimentos e se conscientizar deles.

 

O objetivo é realizar uma interface lúdica entre o que é um movimento físico para o corpo e como ele se torna poética de ocupação dos espaços. Criando a consciência de que todo corpo pode dançar e elaborando e multiplicando as possibilidades para a dança de cada um, conectada com o todo. Além de sociabilizar, experimentar a dança como arte e reflexão da atualidade e do meio em que vivemos; Captar e desenvolver as várias formas de dança despertando o corpo para uma comunicação mais expressiva.

 

Por isso é uma prática que também traz muitos benefícios àquele que dança, porque ajuda no processo de aterramento, de encontrar o próprio centro e levar essa conexão para a vida diária, assim também conectando ao corpo do planeta, seu centro de gravidade ao qual estamos todos ligados. Aprendendo a se beneficiar da força da gravidade para se movimentar e trazendo vivacidade dessa força através da respiração da sola dos pés. Promovendo o fortalecimento dos órgãos, músculos, ossos e de uma mente observadora atuando em favor da movimentação corporal, relacionando-se com escuta e integração com nosso “instrumento para estar no mundo", o corpo.

 

 

CONTATO-IMPROVISAÇÃO e IDEOKINESIS

 

O Contato-Improvisação é uma dança a dois, com transferência de peso que cria gravidade entre os corpos. Se apóia na estrutura esquelética como base operacional, na coluna vertebral como eixo e no refinamento da atenção e do olhar observador para realizar as escolhas do caminho. A idéia é que um corpo dê maior fluidez ao outro, sendo um muitas vezes a base para que o vôo do outro aconteça. O observador é uma atenção específica desenvolvida por essa prática e que consegue observar ao mesmo tempo a escolha do movimento e a sua execução de fato.

 

 

 

 

O Contato Improvisação nasceu do movimento pós-modernista de Nova Iorque nos anos 60, e foi criado por Steve Paxton que é considerado um dos mitos vivos da dança. Aos 66 anos ele ainda é pleno em suas performances. Esteve no Brasil algumas vezes, em São Paulo, no ano 2000, comentou em entrevista dada à imprensa que 1"Ao desenvolver o Contato-Improvisação foi necessário ensinar os alunos a explorar a improvisação como resultado da comunicação por meio do toque. O aspecto mais óbvio da improvisação é que ela é voltada para o interior de cada pessoa, seus reflexos, temperamento e mente. As pessoas precisam explorar muitos aspectos de si mesmas. Despertar fisicamente não significa apenas usar o corpo. Significa aprender a estudar o corpo durante a dança. É preciso aprender a concentrar a mente para reter as sensações do corpo enquanto o usamos e fazemos dele uma fronteira a ser explorada. Trata-se de um processo surpreendente. É infinitamente interessante estudar a inter-relação entre o corpo e a mente que estuda o corpo enquanto dança".

 

 

 

 

A Ideokinesis é um procedimento moderno e capaz de dar segurança à dança do contato-improvisação, que é uma dança repleta de riscos e imprevisibilidades, e que necessita de relaxamento muscular para permitir a passagem do peso e o refinamento da atenção. É uma dança cuja técnica demanda muitas fases de evolução. A Ideokinesis é um conceito que nasceu no início do século XX - significa: "Ideo: idéia; Kinesis: movimento, ou movimento imaginado" - quando Dra. Lulu Sweigard levantou a hipótese de que o treino da Ideokinesis conduziria a mudanças e melhoramentos específicos no alinhamento do esqueleto.

 

 

 

 

Em 1929, ela confirmou sua hipótese através de análise comparativa de medidas feitas em exames, ao experimentar esse sistema de ensino do movimento. Os resultados foram mudanças significativas no alinhamento postural. Isso trouxe um novo parâmetro para o olhar sobre o corpo, na medida em que seus resultados indicaram que a Ideokinesis acompanhava o modelo do sistema da coordenação neuromuscular. A 2Dra. Lulu deslocou o foco do início do movimento do corpo para a mente, o que resultou no relaxamento da tensão muscular, numa abordagem somática que coloca a mente a serviço do corpo, que por sua vez ganha alinhamento, equilíbrio e menos desgaste de energia.

 

 

 

 

Inicialmente, 3 princípios básicos são incorporados pela prática do contato-improvisação: o aterramento, um poder de decisão, escolha, e um entendimento, percepção das possibilidades do caminho e de como a escolha é feita pelo todo. No caso, o todo é a dança, criada pelos dois corpos em ação, mas livre das escolhas de seus egos, por estar conectada à uma lei maior, a lei da gravidade. O tempo todo está lidando com o aterramento do centro. Essa qualidade de conexão do próprio centro/eixo com o centro da terra multi-dimensionaliza a percepção do espaço. Relaciona o espaço interno do indivíduo com o centro do planeta, ou seja, seu chão.

 

 

 

 

Sempre que a experiência da Ideokinesis é vivida ela cria uma resposta no sistema neuromuscular, promovendo um alto grau de habilidade e inteligência corporal, que impede ferimentos e alcança maior liberdade de criação. 3Mabel Toddy, pesquisadora contemporânea e parceira da Dra. Lulu, afirmava que concentrar a mente num tipo de retrato corporal resultava em respostas no sistema neuromuscular que possibilitavam realizar movimentos específicos com menos esforço. Elas provaram que a Ideokinesis é um meio eficaz de produzir mudanças benéficas no alinhamento postural na medida em que a prática lida com o padrão subcortical da coordenação muscular. O movimento ocorre em resposta às idéias/imagens sobre o corpo imaginadas com precisão, integrando o corpo à mente. Steve Paxton afirma que o contato-improvisação não é uma técnica a ser adquirida, mas um processo de descoberta de um potencial ainda não utilizado.

 

 

 

 

 

Descrição e cronograma das atividades a serem desenvolvidas:

 

Através da exposição e da exploração da estrutura anatômica do corpo (sistemas ósseo, nervoso, cardiovascular, linfático, muscular, orgânico e “energético”) e dos conceitos físicos que orientam essa dança, são apresentados movimentos articulados que vão se inscrevendo no corpo. A didática deste curso propõe a utilização do esqueleto (estrutura óssea), assim como da coluna vertebral, para que se possa visualizar e obter informações táteis como volume, textura, peso, encaixes e o formato do contêiner da estrutura física humana. O ensinamentos da Madame Beziérs são utilizados na aprendizagem e desenvolvimento da movimentação e incorporados junto com a abordagem dos sistemas.

 

1FOLHA de S. PAULO de 29/01/2000, Caderno Acontece, Especial: pag. 4.

 

2 SWEIGARD, Lulu E. Human Movement Potential Its Ideokinetic Facilitation.

 

3 TODDY, Mabel E. The Thinking Body.

  • 1 esqueleto completo + 1 aparelho de som (CD) + um espaço bem amplo e limpo.

  • Faixa etária, a partir de 15 anos.

  • Lotação 22 pessoas, com alguma experiência em dança.

SP
Candice Santana de Araújo Oliveira
Prática
BELO HORIZONTE
(31) 8786-5978
(31) 3347-5688
candiatriz@hotmail.com
A oficina propõe revisitar as regioes do Brasil através da prática das danças folclóricas ,características de cada um delas.
Sala ampla ,arejada,com espelhos,e com piso adequado para a pratica da dança.
Aparelho de som com entrada p cd, (e ,ou mp3).
Tv e dvd.
MG
Carla Salvagni
Prática Teórica Técnica
são paulo
(11) 5052-9443
carlasal@terra.com.br
A dança de salão pode ser dividida em grandes grupos, como a danças de salão americanas, as latinas, brasileiras, as do começo do século XX, as dança de salão internacionais, as danças de salão clássicas.
Por estilo, época, local ou tipo de movimentação, é rica em informação e cultura, bem como adaptável às diferentes faixas etárias.
Espaço amplo com chão liso. Espelhos ajudam, mas não serão essenciais.
Aparelhagem de som.
SP
CARLOS ALBERTO VIEIRA SOARES (CARLOS KISS)
Prática Teórica Técnica
CAMPINAS
(19) 3873-5103
carlkiss@hotmail.com

Objetivo

Capacitação de  Bailarino na tecnica de Dança Negra Contemporânea, através do conhecimento técnico, explorando como base as dança do Oeste e Sul da Africa e as influencias da dança negra brasileira. Despertar a percepção musical e imaginética. Possibilitando a atuação profissional de forma etica e competente.

Preparação corporal:

Fortalecimento de musculos e articulações, para evitar contusões a medio e longo prazo.

Técnica

Anatomia Humana (esqueleto, sistema nervoso,respiratório, circulatorio e sensorial.)

Posições de mão, braços, cabeça, perna, mão, ombro, abdomen.

Ondulação, tremulação, equilibrio, desequilibrio, equilibrio precário.
Fator movimento, esforço, força, energia, inercia

Saltos, Giros, arcos

Procedimentos

Movimentos e composições coreograficos

Improvisação,Dramatização ,Percussão 

RELATORIO DO ALUNO

Impressões dos aluno sobre a aula, sempre entregue na aula seguinte.


Projetor mutimidia
Aparelho de som
Instrumentos de percussão
SP
Carlos Arão Martins de Araújo
Prática
BELO HORIZONTE
(31) 3047-2652
(31) 3292-5235
carlosarao@gmail.com

Oficina de dança contemporânea com trabalhos de improvisação, jogos para composição coreográfica e uma parte técnica para aquecimento, a consciência do corpo é tema principal, o espaço, a respiração, o movimento autoral e a criação, determinam o resultado da oficina.

As aulas buscam a compreensão do movimento no ato de sua execução, através das articulações, peso, apoios, estruturação e organização do corpo.

 

A oficina destina-se para cias, grupos, escolas de danças e universidade, para bailarinos e todos que atuam com o corpo e trabalhos relacionados ao movimento.

Sala ampla e vazia, um piso adequado, aparelho de som e caso seja possível um percussionista.
MG
CARLOS MARTINS
Prática
SAO PAULO
martanz@uol.com.br
ESTUDO E SISTEMATIZAÇAO SOBRE O CORPO EXPRESSIONISTA NA CENA COREOGRAFICA.
ESTUDO REFERENCIADO NO TRABALHO DA COREOGRAFA PINA BAUSCH E CONCEITOS SOBRE O ESTRANHO E GROTESCO.
EQUIPAMENTO DE SOM E VIDEO.
SP
Carlos Ujhama
Prática Teórica Técnica
BELEM
(91) 3242-8938
iaba.salvador@yahoo.com.br

A temática abordada por essa atividade, ligada as tradições da sociedade afro descendente instalada na cidade de Salvador, nasceu da necessidade de identificar o modelo adotado pela primeira escola de dança acadêmica em solo brasileiro, datada de 1954. Após o ano de 1971, quando novas tendências e técnicas da dança moderna e contemporânea são implementadas a este núcleo as danças de origem africana também ganham novos significados, fazendo surgir a primeira pesquisa e trabalho fundamentado dentro de uma universidade baseada na estética afro brasileira aplicando-se moldes europeus a execução dos movimentos e na forma de pensar o corpo. Hoje são muitas as interferências que formam essa dança de matriz africana instalada e tão admirada por aqueles que de todas as partes do mundo vem estudar e conhecer esta modalidade 100% brasileira, além de toda a simbologia sobre os elementos de sua natureza e dos movimentos urbanos. Este ultimo nos trará uma inigualável possibilidade de compreender historicamente certos aspectos da sociedade afro-baiana, considerando a exemplo a capoeira e o samba, além da vasta musicalidade popular como aquela que deriva do ijexà e do samba-reggae.

Para que possa ser realizada, a atividade necessita-se apenas de estrutura logística para estudantes, profissionais ou afins em desenvolver suas habilidades corporais:

 

- Sala com estrutura (piso, espelhos, barra, ventilação) adequada para dança

- Aparelho de som (com entrada para USB ou CD)

- Apoio logístico para alunos (vestiário, banheiro, etc.)

PA
Cássia Maria Medeiros do Valle
Prática
RIO DE JANEIRO
(21) 2552-9393
cassiacharrison@yahoo.com.br
Atuo nas enfermarias da Casa do Sol do IMAS Nise da Silveira no Engenho de Dentro onde atendo pessoas portadoras de doença mental cronica em fase de internação.
 Basicamente fisioballs, macarrões, lápis, papel, palitos, colchonetes, sala ampla e arejada, som.
RJ
Cassius Frazao
Prática
Rio de Janeiro
2185859166
2185859166
frazaomara2011@hotmail.com
Oficina de ritmos do Maranhão. abrangendo o bumba-meu-boi, cacuria tambor de crioula, reggae, bloco tradicional, baralho, dança do coco, lele, dentre outras particularidades que o estado do Maranhão nos oferece. 
local (sala, patio, galpão) para a realização da oficina, aparelho de som e caixa amplificadora.
RJ
Catia Assunção
Prática Teórica Técnica
LAURO DE FREITAS
(71) 3288-2377
(71) 3243-2230
catiadana@yahoo.com.br



Nome do autor: Cátia Regina de Jesus Assunção

Instituição: Universidade Federal da Bahia – Escola de Dança

Título: Oficina de Dança Contemporânea

 

 

 

Resumo

 

A oficina temática para o Seminário Interativo foi desenvolvida a partir dos resultados práticos e teóricos desenvolvidos a partir da pesquisa de Iniciação científica PIBIC /CNPq: Os estrogênios no Corpo que cria/ação: Estados de Tensão no corpo que dança.

A oficina temática vai propor aulas de dança contemporânea com dinâmica baseadas nos princípios básicos da Dança Tan (a palavra Dança vem do Sânscrito Tan que significa tensão) tendo como objetivo final fazer que o participante vivencie uma prática pedagógica em dança como enfoque nos estados corporais de tensão e relaxamento. Com atividades enviesadas pela experimentação, investigação de movimentos individual e coletivo, partindo dos princípios e técnicas da Dança Tan. Propiciando aos participantes atividades técnicas e artística em dança potencializando a vivência corporal, exercitando as funções operacionais - motoras que partem da dança como dispositivo de mobilidade. As atividades serão divididas em 3 momentos; 1º - Aquecimento e condicionamento corporal; 2º - Pesquisa de movimento e trabalho de criação; 3º Avaliação da experiência com o grupo. Público alvo serão estudantes, professores, pesquisadores na área das Artes Cênicas (Dança/Teatro). Recursos: Sala de aula para trabalho corporal e aparelho de som. A Oficina de Dança será realizada em dois dias com carga horária de 100 minutos.

 

 

 

 





Recursos: Sala de aula para trabalho corporal e aparelho de som.

BA
Cecília Rodrigues
Prática Teórica
CANOAS
(51) 3476-9730
cecirodrig@hotmail.com
 

Breve resumo da história do tango, onde se confrontam o tradicional e o moderno numa linguagem universal. Reúne o tango brasileiro, argentino e uruguaio, em toda a sua versatilidade nas formas inovadoras da expressão tangueira, numa linguagem que fundiu o primeiro período do tango, de 1880 a 1920, chamado “La Guardia Vieja”, ao tango que se desenvolveu depois dos anos 20, o tango de “La Nueva Guardia”, chegando ao Modernismo do tango eletrônico da Contemporaneidade.

Aulas teóricas e práticas.

 

O Tango é uma expressão cultural da Argentina (Buenos Aires), porém a sua essência e a sua carga emocional é universal. Isso tem levado a haver cada vez mais adeptos do tango em todo o mundo. É a manifestação cultural e popular, mais relevante de Buenos Aires, da Argentina. É o selo da identidade, de sentir, de nostalgia dos portenhos; é o grande protagonista cultural da vida da cidade, e talvez a maior contribuição de Buenos Aires à cultura popular universal.

É válido destacar que nos últimos anos o tango se difundiu bastante nas gerações mais jovens, afirmando a vigência de um gênero perturbado pelos vai e vens de sua trajetória, imerso em épocas de êxitos ou indiferença do público, o tango esteve sempre presente, deixando sua marca inconfundível em nossa radiografia social.

Urge inserir a cultura do tango no circuito cultural da América do Sul;

Divulgar a cultura do TANGO a população de brasileiros e conscientizar nossos jovens de que o tango é Argentino, é Brasileiro, é Uruguaio, é Francês, de origem, de gênese, de formação. É latino, é americano da América do Sul.

RS
Célia Gouvêa
Prática
SAO PAULO
(11) 3256-3069
(11) 3368-3797
celiargouvea@yahoo.com.br
 A proposta de Oficina de Improvisação e Composição em Dança compreende aquecimento corporal visando o contato profundo com o próprio corpo e a lubrificação das articulações.Na sequência, exercícios individuais, em duplas e grupos,estimulados por propostas relacionadas a qualidades de movimento no espaço e frases curtas visando projetar o imaginário
Sala ampla com piso  mole de madeira, com dimensões aproximadas de 10xao ms.
Som CD
1 bola (tamanho bola de vôlei)
alguns instrumentos de percussão para marcar o ritmo
-cerca de 15 participantes
-Preferência por capitais situadas no Nordeste, com a proposta de realizar 3 horas/aula na sexta feira (19 às 22h), 4 no sábado (14 às 18h) e 3 no domingo (10 às 13h)
SP
Charles Nelson
Prática Teórica
RIO DE JANEIRO
(21) 3874-5152
(21) 2233-7754
ileofe.afro@yahoo.com.br

A dança afro-brasileira existe dede que o primeiro negro apareceu no Brasil, ou seja, teve sua origem na África e chegou até nós através dos negros escravos. A dança afro-brasileira é constituída de movimentos de cabeça, ombros, quadril, juntamente com outros movimentos e ritmos do folclore brasileiro como: maracatu, cafezal, lundu, frevo, samba de roda entre outros, inclusive a dança dos orixás.

Espaço ou sala de aula, de preferência chão de madeira adequado de espelho e barra, que comporte de 30 a 50 alunos.

RJ
Charles Nelson
Prática
Rio de Janeiro
(21) 7840-4247
(21) 3448-0821
roberto.pacheco@afroreggae.org

Nesse momento nós do AfroReggae  passamos a nos empenhar ainda mais para efetivar essa qualidade artística criando esse projeto que é composto de aprimoramentos artísticos, ensaios, trabalhos de pesquisas, workshops e apresentações direcionados a Africanidade e Diáspora Negra.   Nossa intenção é inserir no cenário artístico novos profissionais que tragam originalidade e identidade com um Valor Cultural.

 

Sala ampla com piso adequado 
percussionista que saiba os ritmos da dança afro-brasileira
RJ
Cibele Sastre
Prática
PORTO ALEGRE
(51) 3029-5401
cibsastre@gmail.com

O trabalho tem suporte nos Fundamentos de Bartenieff para acessar a escuta do corpo num acesso ao sensível. Entre símbolos de notação, compostos ou não em motif writing, e situações dadas ou apreendidas de experiências pessoais, fluxos de sentido vão sendo identificados e organizados para uma comunicação gestual efetiva e conectiva. Pequenas composições coreográficas se originam destas sequencias

Material para escrita e desenho como rolos de papel pardo, giz de cera ou lápis de cor são importantes para o trânsito entre o desenho e o movimento. O espaço deve ter um chão adequado a atividade de dança e colchonetes para trabalho prolongado no solo.
RS
Clara F. Trigo
Prática Teórica
Salvador
(71) 3338-8274
claratrig@yahoo.com.br

Com a oficina Conexões Criativas pretendo compartilhar e experimentar coletivamente as questões, os caminhos corporais e as “regras” que resultaram no espetáculo DESLIMITES organizados resumidamente em questões filosóficas, exercícios, discussões e desdobramentos criativos.

Pretendo investigar, através da ação corporal, do diálogo e da observação, as conexões deste movimento - rasteiro, contínuo, lento e em constante deslocamento - com as tensões culturais que permeiam a pesquisa: identificações e des-identificações; espaço e tempo; mulher na dança; sobrevivência; reciclagem; poesia.
Serão necessários: caixa de som, cabo de som para conectar a caixa ao computador, TV com entrada VGA ou projetor, cabo VGA, papel, caneta e tesouras.
BA
Clara F. Trigo
Prática Teórica
Salvador
(71) 3338-8274
claratrig@yahoo.com.br

Com a oficina Corpo e Movimento a docente Clara F. Trigo propõe intensa vivência a partir da experiência de movimento com exercícios estruturados, exercícios de improviso e análises de movimento, além de reflexões, discussões e trocas sobre as transformações dos conceitos de corpo ao longo da história e as diversas mudanças paradigmáticas entre modernidade e contemporaneidade. Esta oficina se estrutura a partir da experiência da docente ministrando a disciplina homônima (corpo e movimento) na Escola de Dança da UFBA, onde atualmente ensina. Tem como objetivos: 

discutir paradigmas históricos e conceituais sobre corpo e movimento;

informar novas abordagens relativas ao corpo e sua (re)educação para presença e diálogo nas relações atuais;

experimentar práticas que possibilitem a experimentação e compreensão do discurso do corpo;


entender a vivência corporal como estratégia para conhecer e resignificar o mundo;


entender a vivência corporal como construtora e reveladora de ideologias e valores.

Equipamento de áudio e vídeo. Cabos que conectem TV e caixa de som ao computador.
BA
Clara Farias Trigo
(71) 3334-8827
(71) 3247-0068
claratrig@yahoo.com.br

A oficina propõe a transparência através do compartilhamento, do processo criativo. Todas as etapas visam compartilhar e experimentar coletivamente as questões, os caminhos corporais e as “regras” que resultaram no espetáculo Deslimites.

Essa oficina pretende ainda instigar o olhar através da prática corporal, do diálogo e da observação, às conexões desse movimento - rasteiro, contínuo, lento e em constante deslocamento - com as tensões culturais que permeiam a pesquisa: identificações e des-identificações; espaço e tempo; mulher na dança; sobrevivência; reciclagem; poesia.

Serão necessários recursos de filmagem (filmadora, fitas) e de exibição (TV e DVD).

BA
Clarice Braga Barbosa Lima
Prática
são paulo
(11) 2533-1681
clarice@claricelima.org
Árvores é um exercício do desejo de permanência, invertendo o espaço e questionando o tempo. 
Até quando o corpo aguenta?
 
O trabalho surge como desejo de enraizamento na cidade, onde pessoas vestidas com o mesmo figurino habitam em espaços de passagens. Ali, contrapõem-se ao fluxo de movimento, permanecem de cabeça pra baixo até o corpo não aguentar mais e cair.
  
A proposta de realizar a performance Árvores em diferentes cidades pretende ampliar a discussão sobre a permanência, ao possibilitar que os artistas locais deixem rastros, não só na paisagem urbana da cidade, mas também nos seus próprios corpos. Para isso, será ministrado um workshop com os artistas locais, com o objetivo de capacitá-los para realizar a performance bem como discutir a proposta e práticas de dança em espaços não convencionais.
 
A performance acontece a partir do momento em que os participantes vestem o figurino/ saia e saem em direção ao espaço performativo. O figurino é parte da performance, uma vez que não é possível a sua execução sem ele. Composto por uma saia-calça  deixa só as pernas à vista quando os bailarinos viram de cabeça para baixo.

Ao chegar no espaço performativo, a ação se inicia quando os bailarinos viram árvores de cabeça para baixo. A duração da performance varia com a capacidade de cada bailarino em ficar de ponta cabeça. Quando o corpo não aguenta mais eles vão caindo, um à um, onde permanecem criando um jardim de corpos deitados no chão.

Árvores interroga as maneiras possíveis para o corpo resistir, continuar, seguir em potência.

---

Realizar a performance Árvores a partir de um workshop com bailarinos locais surge enquanto desejo de ampliar a discussão sobre a permanência ao possibilitar deixar rastros não só na paisagem urbana da cidade mas também nos corpos dos bailarinos daquela região.

Dessa forma sugerimos a realização de um workshop com artistas locais com o objetivo de prepará-los para realizar a performance bem como discutir a proposta e práticas de dança em espaços não convencionais, pesquisa desenvolvida por Clarice Lima.

A performance Árvores cria paisagens temporárias na cidade que se tornam mais efetivas a partir do contato com os seus habitantes. Trazer seus habitantes para dentro da performance é estimular um ambiente de troca entre a performance e a cidade, bem como criar  e absorver novos significados dentro do contexto local.

Através de uma convocatória aberta e gratuita, convidaremos os bailarinos e demais interessados a participarem do workshop que acontecerá dentro da estrutura e da programação do Festival.


Conteúdo prático do workshop:
- técnicas de parada de cabeça
- técnicas de queda a partir da parada de cabeça
- ensaio da ação performática
- prova de figurino 
- visita, marcação e entendimento da ação no espaço performativo

Conteúdo Teórico do workshop:
- conversa sobre a performance no contexto local
- conversa sobre práticas de dança em espaços não convencionais

Pré-Requisito: os participantes devem saber realizar parada de cabeça/ parada de três apoios.
Numero de Participantes: 5 à 30 pessoas
Duração: 2 dias com 3 horas cada
Necessidade Técnica: sala ampla com piso liso e plano

SP
Claudete Aparecida Agostinho
Prática Teórica Técnica
São Paulo
(11) 5932-3943
clausprojetodancar@yahoo.com.br

***Gostaria muito de criar um grupo de Dança clássica Juvenil na zona sul de são paulo com o objetivo de passar  conhecimento artístico e coreógrafico para pessoas que não tem acesso a arte e cultura. E desta maneira mostrar um novo conceito através de participações em Festivais e atividades culturais que também visam esta necessidade nas periferias de São Paulo***.

***Uma sala ampla ou galpão com espaço para a realização das aulas e treinos. Espaço para a organização de materiais usados como: rádio entre outros, 02 banheiro, vestiário e espaço para lanchar.***
Claudia Mele
Prática
meleclaudia@gmail.com

A oficina tem como objetivo apresentar os princípios da técnica de improvisação Viewpoints para o treinamento de atores, bailarinos e performers utilizando como ferramenta, para a preparação do corpo e voz desses artistas, os elementos elaborados pelo método de Angel e Klauss Vianna e pelo Sistema Laban.

Viewpoints foi desenvolvido, em Nova York, primeiro pela coreógrafa Mary Overlie, depois adaptado pela diretora teatral Anne Bogart e hoje é utilizado por diretores de teatro e professores de diversas partes do mundo para o aperfeiçoamento do trabalho do ator- bailarino ou performer. Viewpoints é definido como um processo aberto que oferece caminhos que permitem ao artista cênico a percepção e melhor compreensão da dimensão psicofísica de suas ações e da sua relação com o espaço, com o outro e com o grupo. Através de um trabalho relacional de tempo/espaço o ator desenvolve a sua percepção, memória, atenção, escuta, sensibilização além do estado de prontidão para a ação no momento presente.

Propomos que a oficina tenha a duração de uma semana, de segunda à sexta-feira, com quatro horas diárias em um total de 20 horas.

O projeto tem como público alvo atores, bailarinos, performers, estudantes de teatro e dança em um total de até 25 pessoas.

Para a realização da oficina necessitaremos de uma sala que acomode bem 25 pessoas deitadas e um aparelho de som que tenha entrada para Ipod.

RJ
Clayton Leme
Prática Teórica
CURITIBA
(41) 3319-3947
clayton.leme@ibest.com.br

 

O projeto de oficina Embolação é a organização de vivências corporais, pautadas em processos de criação coletiva, aspectos afetivos, cognitivos e no desenvolvimento psicomotor da criança. É uma proposta para educadores, professores e público geral.O trabalho segue a busca pela corporalidade das brincadeiras, proporcionando o contato com elementos do imaginário infantil, presente não só na criança, mas também no adulto. Trata-se de uma proposta pedagógico-artística que provoca o corpo a abandonar a passividade  para tornar-se co-criador em tempo real.

É uma vivência teórico-prática, lúdica e cativante, embolando idéias, pensamentos e experiências motoras contidas nas brincadeiras, despertando sensações e o desejo de ação e articulação com o mundo.


- Tv e dvd
- Projetor
- Espaço amplo para vivências práticas
- Som com CD
- 1 Rolo de Papel Kraft (ou pardo)

PR
Coletivo O Bando
Prática
São Paulo
(11) 5562-5156
(11) 9659-0992
denisecurtouke@yahoo.com.br
 

Body Weather é um treinamento cinestésico criado pelo dançarino e coreógrafo Min Tanaka e sua troupe Mai Juku e em seguida desenvolvido em várias partes do mundo: Canadá,Estados Unidos,Europa e América do Sul. Este treinamento oferece uma profunda investigação que convida a: desafiar os hábitos e limites do corpo em busca de novas possibilidades,a evocar a memória sensorial(a partir dos ossos,músculos e pele) e perceber o corpo como um dinâmico ambiente que se transforma numa profunda inter-relação com os fenômenos que vem ocorrendo na natureza através do Tempo-Espaco.

Se dirige a dançarinos,coreógrafos,pesquisadores do corpo, e ainda outros interessados. Duração proposta: uma semana,04 hs diárias,total de 20 hs.





Aparelho de CD com conexão para IPOD.
SP
Cristina Matamba
Prática Teórica
SAO PAULO
(11) 2231-4524
(11) 2231-6424
crisdanca@ig.com.br


SP
Cristina Rocha
Prática Teórica Técnica
CARIACICA
(27) 9800-5168
baleafricabrasil@hotmail.com

A oficina RaçaCor é um trabalho apaixonante pois vai além das paredes de terreiro. Trás como pano de fundo a dança afro e suas influências, objetivando mostrar o universo cotidiano em ações e movimentos baseados nos fundamentos de Rudolf Laban, onde se valoriza cada gesto em um formato técnico e coreográfico, deixando a mensagem de aprender na oficina e utilizar na vida.

- infra-estrutura básica

- 01 aparelho de som – CD player

 

O elemento principal da oficina é o corpo. A oficina é adaptável, podendo ser ministrada em um centro esportivo, comunitário, escolas e praças.

 

Faixa-etária de público: de 08 anos até a idade saudável.

ES
Cynthia Diniz
Prática
Belo Horizonte
(31) 3047-3627
cynthia.diniz@hotmail.com

Oficina que traballha ritmo,coordenação motora, concentração e consciência corporal através de exercícios que contribuem para o condicionamento físico e aprendizagem de técnica básica para aprender a sambar. Público alvo: iniciantes, pessoas que desejam aprender a sambar.
Sala ou galpão amplo, com ventilador, banheiros, bebedouro, som com boa potência, entrada para cd, pendrive e auxiliar para computador.
Microfone auricular (necessário apenas se for um número muito grande de alunos). Se possível, um cuidado especial com a limpeza do piso para que as aulas possam ser realizadas inicialmente descalço.
MG
Daniela Santos da Silva
Prática Teórica
Recife
81999914142
danieladanca2016@gmail.com
A oficina de corpo, expressão e movimento, proporciona o encontro com a tomada da Consciência, pequenos movimentos, apoios, contato com o chão, respiração, localização corporal, observação transferência de peso, pele, sentidos e criação. Sentir o corpo em movimento e sua potência criativa. Apresenta a possibilidade de relacionar a arte com a educação, arte com saúde e arte com vida, pela linguagem do corpo e da expressão do movimento.
Uso de objetos: Bolas,bambus, escovas e tecidos

Papel para desenho do corpo, papel rascunho, canetinhas, giz de cera, massinhas coloridas, canetas, argila, cartões e revistas

 

TV , DVD E SOM

Cópia de textos para os alunos
PE
Danilo Bracchi
Prática
BELEM
(91) 3242-0342
(91) 8880-1150
bracchidanilo@hotmail.com

OFICINA DE DANÇA CONTEMPORÂNEA: O CORPO CRIATIVO

 

MINISTRANTE: DANILO BRACCHI

 

CARGA HORÁRIA: das 14h 00 min ás 18h00min de 2ª á 5ª (16 horas).

 

VAGAS: 15 PARTICIPANTES

 

PÚBLICO ALVO: ATORES E BAILARINOS

 

OBJETIVO ESPECIFICO: O Corpo como ponto de partida para a Construção da Cena.

 

OBJETIVOS GERIAS: Construir uma dramaturgia aberta a partir de diversos estímulos (texto, poesia, música, crônicas, objetos, entre outros) para a construção de solos.

 
CONTEÚDO PRÁTICO:

 

· Jogos Dramáticos.

· Improvisações.

· Criações Coreográficas.

· Leituras de Textos Teatrais.

· Montagem de um resultado final.

Sala de dança com linóleo e espelho.

Aparelho de som com CD.

Aparelho de DVD com TV.

PA
Deise Dutra Marques
Prática
SAO LOURENCO
(35) 3332-2768
deise.dutra@gmail.com


MG
DENISE TELLES HOFSTRA
Prática Teórica
RIO DE JANEIRO
(21) 9836-7231
denisetelles@yahoo.com.br

Objetivos do curso

O presente curso visa oferecer bases para a pesquisa e criação do movimento, a partir das teorias propostas por Rudolf Laban, focando nos estudos das Harmonias Espaciais e na Teoria do Esforço.

Programa

1.      Bases filosóficas das teorias de Rudolf Laban Estudo das bases filosóficas de Laban a partir de pensadores como Platão, Freud, Jung e Kandinsky. Bases estruturais da teoria labaniana e suas aplicações na Dança, no Teatro, na Psicologia, na Saúde, na Educação, na Música, nas Artes Plásticas e Visuais.

 2. Effort Theory ou Teoria do Esforço Estudo detalhado das qualidades      do movimento a partir dos Fatores de Movimento Tempo-Peso-Espaço e Fluxo e dos demais pilares desta teoria.

 3.      Space Harmony ou Harmonias Espaciais Estudo dos planos espaciais e dos Sólidos Geométricos como fundamento desta teoria.

4.      Teatro-Dança ocidental, oriental e a fusão das artes: Rudolf Laban/Pina Bausch . Rudolf Laban /Kazuo Ohno e a Dança Butoh. A questão da arte contemporânea, da contribuição do intérprete no processo de composição cênica e da criação em conexão com a identidade dos performers. Os processos criativos de Pina Bausch no Teatro-Dança ocidental. A composição coreográfica como um mosaico singular. Os processos criativos de Kazuo Ohno  e a dimensal universal do Teatro-Dança oriental pela Dança Butoh.A fusão das artes e a integração de linguagens: o cinema-dança, o vídeo-dança, a fotografia e a dinâmica da imagem, a pintura-música, instalações e as artes plásticas, a literatura e o imaginário do movimento, a dança pessoal.

 5.   Laban e seus estudos aplicados a Psiclogia, Arte-educação, Filosofia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Antropologia. Bases de  leitura corporal, observação e análise do movimento. Conexão com pesquisadores

 

 

SALA AMPLA
APARELHO DE SOM 
Diego Dantas
Prática Técnica
Rio de Janeiro
diegodantas25@gmail.com
A oficina visa apresentar ao praticante de qualquer faixa etária uma abordagem atualizada e consciente dos primeiros ciclos de aprendizagem do balé na proposta das progressões de Agrippina Vaganova. Deitados ou sentados no solo trabalhamos juntos, professor e alunos, os princípios de rotação interna e externa das pernas e seus alinhamentos e a organização ideal dos braços, do tronco e da cabeça promovendo ao mesmo tempo alongamento e fortalecimento do corpo.      
Estúdio com piso de madeira ou revestido por linóleo com aparelho de som/cd ou amplificador com entrada para cabo P10. 
RJ
Diego Mac
Prática
Porto Alegre
(51) 3325-5296
diego-mac@uol.com.br
A oficina objetiva utilizar a famosa coreografia Macarena como ferramenta de mobilização  de pessoas para a prática da dança. A Macarena é abordada como material de trabalho para o desenvolvimento de exercícios, jogos e improvisações que promovem e facilitam o contato de qualquer pessoa, amadores, iniciantes ou profissionais, com processos criativos em dança. Público-alvo: público em geral, profissionais da dança e de áreas afins.

Espaço amplo para a prática de dança e aparelho de som.

RS
Diogo Igor Cezário
Prática Técnica
JACAREZINHO
difc2008@hotmail.com
"Dança de Rua". Não há idade, para se começar a praticar a dança de rua, mas recomenda-se que a prática inicie aos 6 anos de idade.

Através dessas aulas espera-se que haja a integração dos participantes de diversos bairros do município, pois se privilegiará as turmas mistas, que contenham alunos de mesma idade, mas que sejam de bairros diferentes.

Os alunos serão estimulados a participar de “Festivais de Dança de Rua”

1. Utilizar a cultura HIP HOP como uma forma de integração social e familiar;

2. Propagar a prática da Dança de Rua no nosso município;

3. Promover espetáculos de Dança de Rua como uma atividade cultural para crianças e adolescentes e adultos;

4. Criar e incorporar o espetáculo de Dança de Rua no calendário cultural do nosso município.


PR
Douglas Jung Andrade
Prática Técnica
Porto Alegre
(51) 3779-8258
jung.douglas@gmail.com

O Workshop explora a aplicação de informações da anatomia e alinhamento corporal, visando utilizá-las de maneira consciente para manutenção e refinamento da mobilidade do corpo. Fazendo uso de diferentes dinâmicas espaciais e temporais aliadas ao emprego de imagens de/para o movimento e exploração do corpo e suas potencialidades; o curso combina práticas para absorção desses conceitos com exercícios de voltados tanto para estruturas de aquisição de vocabulário, quanto de improvisação, abrindo espaço para a transformação e a re-significação do conteúdo. 

A idéia central do Workshop é despertar o corpo do participante para a exploração dessas ferramentas com foco na descoberta de novos padrões de movimento e diferentes níveis de fisicalidade e expressividade.



Aparelho de Som com entradas Auxiliares para I-pod.
Os participantes devem trazer óculos de sol.
RS
Douglas Jung Andrade
Prática Técnica
Porto Alegre
(51) 3779-8258
jung.douglas@gmail.com

O Workshop explora a aplicação de informações da anatomia e alinhamento corporal, visando utilizá-las de maneira consciente para manutenção e refinamento da mobilidade do corpo. Fazendo uso de diferentes dinâmicas espaciais e temporais aliadas ao emprego de imagens de/para o movimento e exploração do corpo e suas potencialidades; o curso combina práticas para absorção desses conceitos com exercícios de voltados tanto para estruturas de aquisição de vocabulário, quanto de improvisação, abrindo espaço para a transformação e a re-significação do conteúdo. 

A idéia central do Workshop é despertar o corpo do participante para a exploração dessas ferramentas com foco na descoberta de novos padrões de movimento e diferentes níveis de fisicalidade e expressividade.

- Aparelhagem de Som com entradas auxiliares para I-pod.
- Os participantes devem estar munidos de óculos de sol. 
RS
Ednilson Ribeiro de Oliveira
Prática Teórica Técnica
UBERLANDIA
(34) 9125-9942
(34) 8845-2201
ed.danca@hotmail.com
 

BUSCAR OUTRAS ALTERNATIVAS DE ENSINO NO MOMENTO EM QUE O ALUNO NÃO CONSEGUE ASSIMILAR O DETERMINADO MOVIMENTO OU PASSO INSTRUIDO PELO PROFESSOR.

COMO LIDAR COM ESSE PROCESSO?

COMO MONTAR E PLANEJAR SUA AULA SEM DIFICULDADES?

COMO APRESENTAR UM DETREMINADO RITIMO PARA SEU ALUNO SEM QUE ELE TOME SUSTO OU JULGUE QUE NÃO É BOM PARA ELE MESMO?

COMO UNIR BOM HUMOR NA MEDIDA EXATA PARA QUE O ALUNO ELEM DE PEGAR O QUE O PROFESSOR PASSE SAIA DA AULA COM EXTREMA VONTADE DE VOLTAR NO OUTRO DIA?

COMO0 FAZER COM QUE OS ALUNOS SAIAM DAS AULAS TOTALMENTE MOTIVADOS E FELIZES?


ESSAS SÃO AS PROPOSTAS DESSE CURSSO POIS É UMA MANEIRA QUE EU TIVE QUE ENCONTRAR PARA MELHORAR O RELACIONAMENTO COM OS MEUS ALUNOS POIS NÃO PODEMOS USAR O MOTIVO DE SER ALUNOS PAGANTES PARA EMPURRAR UM DETERMINADO RITIMO NELE, E ELE SAIR INSATISFEITOS.


MG
Eduardo Hermanson
Prática Técnica
Niteroi
(21) 2716-2192
eduardowhermanson@gmail.com

Transmitir as bases de alguns estilos da dança de rua, o  Breaking e o Popping/Locking. Através desses três estilos, desenvolver as primeiras noções de cada dança, trabalhar as diversas expressões corporais, a técnica e as condições necessárias de preparo físico para o seu aprendizado como resistência, flexibilidade e força. Além de estimular a criatividade, a memoria, a relação consigo e com o outro.

O trabalho se iniciara com um alongamento/aquecimento especifico a cada estilo seguido dos chamados exercícios educacionais utilizados no meio das danças urbanas e que consistem em exercícios que ensinam posturas, mecânicas e manobras específicas à cada estilo. Além de fornecer os instrumentos necessários para o aprofundamento pessoal de cada participante.

 

 

01 sala com espelho
01 som com cd e/ou entrada com entrada um mini jack
RJ
Edvan Monteiro
Prática
FORTALEZA
(85) 8649-0509
vanlaban@hotmail.com

A idéia dessa oficina é de unir a construção do movimento a fotografia agregada a um longo período de pesquisas desenvolvidas pelo coreógrafo, afim de abraçar outras linguagens que visem somar a estética de movimento proposta. Com aplicações básicas de contato improvisação e sistema Laban, o coreógrafo pretende traçar um diálogo de movimento e imagem através da fotografia, trazendo para o bailarino a autonomia de desenhar e traçar seu próprio movimento. Com o auxílio da fotografia pretende-se captar minucias do movimento e assim desenvolver fotografias que não só demonstrem o movimento mais que dancem.

aparelho de som, um aparelho de dvd e um projetor.
CE
Eliete dos Santos Miranda
Prática
RIO DE JANEIRO
(21) 9868-4762
culturafro@ig.com.br
A oficina a arte de dançar afro tem como objetivo trabalhar a valorização da cultura afro brasileira através de um passeio pela musica, dança,e recontação de historia ,estimulando a corporeidade e auto estima.para sua realização e necessário trabalho corporal,nocoes didáticas da dança através dos quatro elementos da natureza ar agua terra e fogo estimulando o conhecimento de suas próprias origem.
E necessário uma sal ampla com espelhos barra piso adequado,aparelhagem de som com cd e dvd. papel oficio.caneta hidrocor,massa de modelar, bloquinhos, data show, panos estampados, pasta d agua, lápis borracha.
RJ
Eliete dos santos miranda
Prática Teórica Técnica
rio de janeiro
(00) 0000-0000
(00) 0000-0000
culturafro@.com.br


RJ
Elisangela Brito dos Santos magagalhães
Prática
MASCOTE
(73) 3629-2490
brenninho05@hotmail.com


BA
Elizabeth Santos
PORTO ALEGRE
(51) 3334-9982
(51) 3338-9159
elizabethsantos.rs@ig.com.br
Propiciar as crianças em risco social, interessadas, o acesso ao ensino de dança clássica(ballet), como meio multiplicador de oportunidades, tirando-as das ruas e contato com drogas ilícitas, trazendo-as para sala de aula, aprendendo ballet clássico, história da dança, anatomia, orientações sobre cuidados pessoais.

Uma sala com no mínimo 50 metros quadrados, aparelho de som com CD, um aparelho de video cassete ou dvd(para reproduzir vídeos).
RS
Elizete Duarte de Oliveira
Prática
BATAGUASSU
(67) 3541-2598
(67) 3541-1470
culturabataguassu@hotmail.com
 

O projeto de dança vem sendo desenvolvido pelo Núcleo Municipal de Cultura oferece oficinas desde março de 2007, conta atualmente com 25 participantes, com aulas semanais as quartas-feiras das 14h00 às 16h00, no Prédio do CREAS.



Um projeto artístico e social que tem como objetivo valorizar a nossa cultura através da dança, vem despertar jovens talentos, bem como oportunizar os alunos da rede pública de ensino a participação em ações culturais de fomento a expressão artística e a fruição estética.




MS
Enoque Santos
Prática Teórica
SAO PAULO
(11) 2964-9255
edafro@yahoo.com.br

 

CURSO DE DANÇA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA

 

 

 

 

            

 

               

 

 

 

 

 

OBJETIVOS:

 

 

 

Tornar conhecida a cultura afro-brasileira, objeto de muitas opiniões e desconhecimento de sua história, religião, valores e costumes, buscando-se resgatar sua importância histórica na formação cultural brasileira, através das suas danças brasileiras, como o coco de roda, jongo, congada, maracatu, etc.estas danças estão fortemente relacionada com a cultura brasileira, principalmente em seu aspecto religioso.

 

 

 

2.   Despertar o aluno para o conhecimento das tradição destas dança  Os orixás, deuses africanos, serão o tema principal, destacando-se a dança, valores, costumes, cânticos e posturas a eles pertencentes, a relação com os elementos da natureza, interpretação de seus toques, de suas vestimentas e apetrechos. Todo esse embasamento leva ao entendimento,  ou seja, através da metodologia proposta os alunos saberão o que esta  sendo feito na aula.

 

 

 

 

 

 

 

Metodologia:

 

 

 

Antes de cada movimento e cada toque há uma explicação do significado e do motivo de cada movimento para que assim se faça o elo entre o físico e o espiritual e a interiorização para atingir o aluno e fazê-lo começar a entender a proposta da aula, usando-se música instrumental, com movimentos de expressão corporal e a dança de cada orixá, com seus toques e posturas.

 

                                                    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dança Afro- Brasileira

 

 

 

A dança afro-brasileira manifesta-se através de movimentos variados, herados dos ancestrais e é através destes movimentos que podemos expressar os nossos sentimentos étnicos em toda a sua plenitude e importância. Esses rituais encerram sempre uma ligação com os orixás, os enquices, os Eguns, etc., fazendo-se presentes através dos movimentos, EM CADA FORMA, em cada gesto, EM CADA FIGURA.

 

Uma grande fonte de elementos culturais é traduzida pelos candomblés, que não só mantêm forte influência sobre os negros, como também sobre os brancos, uma vez que ambos estão, de certo modo, envolvidos nestas expressões, principalmente com relação à Bahia. A relação da dança afro com o negro está além da história, além do visível, além da palavra. Isso justifica o porquê de ser uma característica do negro viver a música dançada, viver a dança musicada, sendo isso uma condição sine qua non. A interpretação deste trabalho nos leva a discernir que cada manifestaçãO cultural se expressa simultaneamente através de conteúdos aparentes, abertos, visíveis ou MANIFESTO EM UM NÍVEL CONSCIENTE E DE CONTEÚDOS LATENTE, OCULTOS OU REPRIMIDOS NO NIVEL INCONSCIENTE. A religião assim comO a mitologia e UMA arte são os veículos mais sensíveis através dos quais uma cultura se manifesta.  Os mitos nos cultos afro-brasileiros não são apenas referências a um passado histórico, os mitos são revividos, dramatizados, são meios de comunicação e expressão através das danças.

 

 

 

 

 

ENOQUE SANTOS

 

 

 

 

Um aparelho de som ,um DVD  e TV, 2 cadeiras.
 

SP
ENOQUE SANTOS
Prática
SãO PAULO
(11) 2964-9255
(11) 7946-3563
edafro@yahoo.com.br

 

 

 

INTRODUÇÃO:

A dança é para todos os povos, em todas as épocas da história, a expressão através de movimentos do corpo, organizados em seqüências significativas de experiências que transcendem o poder das palavras e da imitação. É a representação de suas manifestações, de suas emoções, de suas crenças, da sua cultura e uma forma de comunicação. Pode-se supor assim, que no ensino de formas variadas de dança a linguagem corporal passa a estabelecer uma relação do comportamento expressivo com o comportamento humano como expressão emocional e corporal.

Nesse sentido, ambos os aspectos destacam-se como pontos relevantes para melhorar da auto-estima efetiva pelo ensino da dança.

 

OBJETIVO:

 

Neste projeto pretende-se desenvolver alguns pontos que entendemos como relevantes e necessários para a percepção tátil e auditiva, assim como, ajudar a criança e/ou jovem e adulto a lidar com seus limites físicos, a respeitar seu corpo e do seu semelhante, preparando-a assim para uma sociedade justa, sadia e harmoniosa, como também, transmitir o conhecimento das danças populares e suas manifestações lúdicas.

São eles:

1.    Relacionamento de grupo através de jogos corporais

2.    Conhecimento e noções dos tipos de dança (informações, teóricas e vivenciais)

3.    Trabalho de ritmo / movimento

4.    Trabalho de espaço / forma / movimento com música

5.    Trabalho com improvisação

 

JUSTIFICATIVA:

 

Explorar a cultura Afro-brasileira no contexto do presente projeto contribui para que os alunos identifiquem e vivenciem aspectos da cultura popular que são parte da sua história e do lugar onde vivem. Descobrir e assumir suas origens é importante para que o grupo possa, a partir delas, criar e afirmar sua identidade de sujeito histórico e social.

 

 

 

APARELHO  DE SOM ESTE TRABALHO E COM PERCURSSÃO  AO VVIO
SP
Eric Rabelo
Prática
São Paulo
eric.rabelo06@gmail.com

Conhecer, explorar, experimentar e desenvolver as bases do estilo “KRUMP” a partir de exercícios, pesquisas, estudos e diálogos propostos. Aprimorar a dança através de exercícios específicos. Ampliar a visão da dança dentro e fora de aula por meio de atividades que estimulem o autoconhecimento e reflexão próprios acerca do contexto do estilo. Estabelecer uma metodologia que busque o desenvolvimento não somente corporal, como também psicológico, emocional, social e cultural.

Sala com espelho e som
SP
Erico Reis Veríssimo
Prática Técnica
Belo Horizonte
(31) 3337-6388
(31) 3441-6229
secretariapassobasico@gmail.com

“Ao som de um bolero, na cadência do samba, no embalo da salsa, na alegria do rock, na paixão pelo tango, no prazer de dançar!”

Sala livre para prática dos casais,de acordo com o número de participantes (entre 30 a 40 participantes). 
Piso uniforme adequado para dança.
Som profissional com entrada auxiliar para MP3 ou Ipod.
Espelho opcional.
MG
Estela Lapponi
Prática
SAO PAULO
(11) 3020-9140
incena2.5@gmail.com
 

Workshop de dança-teatro que propõe a integração de pessoas com e sem deficiência física, usando os conceitos de Teoria do Movimento desenvolvidos por Rudolf Laban, com o intuito de explorar a diversidade das qualidades dos movimentos dos corpos e o que esta possibilita e inspira na criação do movimento.


Frases do Corpo propõe a pesquisa do movimento próprio, particular; através da valorização das diferentes qualidades de movimento de cada um, como meio de expressão da emoção contida em todo e qualquer corpo.


Explorar artisticamente as diferentes qualidades de movimento a fim de extrapolar os padrões estabelecidos às condições físicas tendo como meio as ferramentas utilizadas no processo de criação do espetáculo, in-Cômodo-ser-eu-só-tanta-gente solo de dança/teatro+multimídia da criadora/intérprete Estela Lapponi.


Neste workshop visa-se, salientar de forma artística a expressividade que cada indivíduo possui tendo ou não deficiência física.


Não se trata de provar se a pessoa com deficiência é capaz ou não para podermos dizer: Somos todos iguais.


Somos diferentes, diversos e é com essa riqueza que se quer criar.



A proposta é investigar a potencialidade de expressão de cada corpo, a fim de abrir possibilidades na construção de uma dança própria e a construção da autonomia artística.



Os participantes terão a oportunidade de conhecer as possibilidades criativas no movimento de seus corpos:


- estímulos de criação (Temas de Movimento de Rudolf Laban, frases, imagens, música e alguns exercícios do método Danceability de Alito Alessi – Joint Forces)


Estas ferramentas estimulam a descoberta do Vocabulário Corporal dos integrantes, são facilitadores de criação.



Esse workshop é ministrado pela criadora/intérprete Estela Lapponi que possui deficiência física (hemiparesia) adquirida por causa de um AVC há 12 anos.



PÚBLICO-ALVO – Pessoas com ou sem deficiência física com idade a partir de 15 anos com ou sem experiência em artes cênicas e dança.


No caso de Instituições, assistentes e fisioterapeutas, podem e devem participar.



Sala ampla e com acessibilidade arquitetônica tanto para acesso à própria sala como para banheiros.

Chão de madeira e ou linóleo.

Tomada para computador e caixas de som.

SP
Esther Weitzman
Prática Técnica
RIO DE JANEIRO
(21) 2259-4183
weitzman@gbl.com.br
 


Técnica aliada a um pensamento pedagógico



Ministrante: Esther weitzman


Carga horária: 12 horas


Formato: A oficina será realizada em cinco dias, no período da manhã. Cada encontro será de 4 (três) horas: .





Ementa:


Essa oficina tem como foco a comunicação do movimento dentro de um contexto contemporâneo, buscando para isso a elaboração de uma dinâmica própria e a percepção para o momento presente. Este trabalho de dança conecta-se à construção do espaço e à qualidade do movimento empregado, potencializando a criação da dança singular de cada indivíduo.



Objetivos:


. Proporcionar um vasto material de informações que potencialize um caminho de pesquisa e linguagem em direção a um projeto pedagógico.



. Estimular a pesquisa, organizar conceitos, para que o profissional elabore seu discurso expressivo individual.














 

-uma sala ampla

-chão de madeira ou forrada com linoléo

- uma boa ventilção

-sem espelho na sala

-Um cd player com boas caixas de som

RJ
Esther Weitzman
Prática
RIO DE JANEIRO
(21) 2259-4183
(21) 2239-3822
weitzman@gbl.com.br
 


Dança Contemporânea - Um sopro de idéias



A comunicação do movimento dentro de um contexto contemporâneo, procurando a dinâmica e a percepção para o momento presente . Este trabalho de dança está conectado a construção do espaço e a qualidade do movimento , potencializando a criação da dança singular de cada indivíduo.


Uma sala de dança ampla

mínimo : 10 x10

um chão confortável de madeira ou com linoléo

Um Cd player

não haver espelho ou então cobrir com cortina ou papel

RJ
Esther Weitzman e Beatriz Cerbino
Prática Teórica
Rio de Janeiro
biacerbino@hotmail.com

Essa oficina tem como objetivo apresentar aos alunos ferramentas práticas e teóricas que auxiliem no desenvolvimento e amadurecimento de seus processos de investigação e criação em dança. A oficina também ambiciona contribuir para a ampliação dos horizontes técnicos e estéticos de seus participantes. Parte-se, assim, do entendimento da dança como um fazer que conjuga teoria e prática, para fomentar a experimentação de novas possibilidades de criação coreográfica.

 

Elementos da composição coreográfica e da dramaturgia do movimento serão estudados para construir uma reflexão sobre a dança. As estruturas coreográficas e suas relações no tempo e no espaço serão o foco dessas discussões. Essas relações serão debatidas a partir dos trabalhos propostos pelos alunos e dos vídeos de dança contemporânea assistidos em sala, estimulando a percepção dos participantes.

 

 A oficina é organizada em aulas práticas, teóricas e de composição coreográfica que conectam diferentes perspectivas sem, no entanto, apresentá-las de maneira segmentada ou compartimentada.

 

Público alvo: professores, estudantes e profissionais de dança.

Sala de aula prática

 

TV + DVD

RJ
Evania dos santos jacobino gatti
Prática
Jundiaí
11998204012
(11) 9839-4652
evaniajacobino@hotmail.com
A dança havaiana contempla através de movimentos feminnos e delicados, a natureza. Assim como a dança no corpo masculino, traz o vigor e a força  da vida. Uma vivência  para trazer alegria, discipar tensões, proporcionar inclusão, equilibrio emocional, corporal  trabalhando variados ritmos da dança havaiana e taitiana .


Local aberto,  sombra, seria bom um parque onde as pessoas pudessem se achegar. Água.
todo o material  será disponibilizado por mim e grupo de apoio  que me acompanhará.
SP
Evelyn Tosta Valaci
Prática Teórica
BH/Sete Lagoas
(31) 3771-3096
the_magicfoot@yahoo.com.br

O movimento é condição inerente á vida. Animais, plantas, seres humanos, tudo o quanto tem vida, movimenta-se, mesmo quando está aparentemente parado. Afinal, é o dinamismo do organismo que define o quanto de vida ele tem. E disto, não escapa o corpo, nosso diário companheiro. Longe de ser uma entidade isolada, o corpo faz parte de um complexo emaranhado de sistemas. Estes englobam além das funções físicas, toda uma rede de pensamentos e emoções, que são frutos da nossa herança genética e da nossa educação. Juntos, estes fatores delineiam em cada um de nós linguagens e padrões peculiares de comportamento mental e físico .

Horas na frente do computador? Cansado do trabalho?Passeios só de carro? Uma vida de controle remoto?Corpo endurecido? Tensões musculares? Cansaço? Dores? Mau-humor?Ansiedades?

O projeto Hora Consciente surgiu da vontade de conscientizar as pessoas acerca da importância de conhecer e exercitar os seus corpos. Não só privilégio de profissionais da dança e outros artistas corporais, a atividade física e a consciência corporal deve ser algo ao alcance de todos.

O que andamos fazendo com nossos corpos? Será que o conhecemos o suficiente?

Respirem fundo e tirem os sapatos!

A proposta desta oficina se apresenta na forma teórico-prática e tem como objetivos:

  • Despertar e sensibilizar o público para a escuta de seus corpos e para a prática de atividade física.

    Metodologia:

  • Sensibilização com imagens, leituras de textos, debate, dinâmicas práticas individuais e em grupo.

    Tópicos a serem abordados

REFLETINDO SOBRE O CORPO

O corpo: Nosso companheiro por toda vida


  • Funções e implicações

  • Corpo Social X Corpo biológico

  • O corpo e o movimento

  • A contemporaneidade

  • A linguagem corporal

  • Você conhece o seu corpo?

CONHECENDO O CORPO

A máquina humana

  • O corpo: noções anatômicas básicas

  • A importância da atividade física

SENTINDO E EXPLORANDO O CORPO:

A consciência corporal

  • Partes do corpo, reconhecimento, exploração, contato

  • Respiração,alongamento, relaxamento

Sala  com aparelho de som e computador para projeção de slides.
MG
Evelyn Tosta Valaci
Prática Teórica
BH/Sete Lagoas
(31) 3771-3096
the_magicfoot@yahoo.com.br


Baseada na monografia entitulada “Bricolagens estratégias de criação em dança contemporânea”, de minha autoria, respectivamente influeciada por estratégias metodológicas dos processos criativos da coreógrafa Pina Bausch e do diretor  teatral Constantin Stanislavski, esta oficina propõe a reflexão sobre cinco estratégias de criação em dança contemporânea. Estas, que não constituem um método, visam fornecer aos bailarinos recursos para a canalização  do processo criativo. Recursos que vão desde o conhecimento intelectual sobre o tema a ser desenvolvido no trabalho artístico, até o fornecimento de meios como imagens, textos, objetos, para auxiliar o acesso á imaginação, criatividade e experiência própria. Nesta oficina, as estratégias se baseiam na pesquisa acerca do universo virtual, especificamente no mundo das comunidades virtuais de sites de relacionamento e visa a composição de células coreográficas.


Público alvo: Bailarinos interessados no tema. Máximo de 15 pessoas.




Necessidade: Sala ampla, som, computador para projeção de slide
MG
Fábio Brazil
Prática Teórica
SAO PAULO
(11) 3021-7510
caleidos@caleidos.com.br
Oficina teórico-prático voltado para compreensão criativa e crítica dos elementos verbal e corporal a partir da leitura, análise e fruição de poemas e de suas relações com a linguagem da dança.

 

Conhecer, reler e sistematizar o conhecimento, a produção e a apreciação de dança e da poesia.

Foco

- conhecer e fruir poesia

- conhecer e fruir dança

- mover-se

- poetizar a dança

- dançar a poema

Objetivos

- criar interfaces entre a linguagem da dança e da poesia

- compreensão criativa e crítica dos elementos da linguagem verbal e corporal

- contextualização histórica da poesia e da dança

- leitura e compreensão do texto poético

- exercícios de improvisação em dança

- composição coreográfica e poética

Reprodução em xerox de textos, aparelho de CD, lousa, papel sulfite, sala adequada à movimentação e proporcional ao número de participantes.

SP
Fabio Farias
Prática
SAO BERNARDO CAMPO
(11) 4509-5125
fabiobfarias@hotmail.com
 

Utilizar a dança popular brasileira como atraente motivo para atividades educativas, pois permitem centros de interesses, unidades de experiências e trabalhos altamente construtivos, contribuindo assim para o apuro das relações inter-pessoais, desenvolvendo os diferentes papéis na vida social e o espírito comunitário.


A educação pode e deve ser estimulada pela danças brasileiras.


A dança pode ser entendida como linguagem, à medida que estrutura um sistema de signos que estabelece um canal de comunicação.


Uma vivência corporal por meio da dança e musicalidade do universo popular brasileiro, principalmente no tocante às influências africanas, em um trabalho que envolva o corpo em seu aspecto sensível, expressivo e social.



Sala ampla, aparelho de cd e colchonetes.
SP
Fábio Reis
Prática Técnica
SAO PAULO
(11) 9917-3718
contato@fabioreis.com
iniciantes e iniciados
Estudo da técnica do ritmo forró com base no reconhecimento da estrutura corporal e organização do movimento (coordenação motora).
São realizados exercícios usando as diversas formas de se dançar forró que são inúmeras.
A dança é construída com o suporte da exploração de movimentos, seqüências e composições coreográficas.
Tem em vista fortalecer, organizar o corpo e desenvolver potenciais expressivos. Promove a relação com o outro e o prazer de dançar.
O Forró é o ritmo a dois mais dançado no Brasil e vem de uma cultura muito antiga, no Brasil cada estado tem uma forma peculiar de dançar este ritmo tão alegre e contagiante e nas aulas ensinamos essas várias formas de se dançar.
sala ampla e arejada, com piso adequado para dança (madeira, linoleo ou similar);

aparelho de som com CD ou entrada auxiliar;


SP
Fafa Daltro
Prática
SALVADOR
(71) 3495-2624
(71) 3495-2624
fadaltro@hotmail.com
Oficina de Improvisaçao em Dança para multiplos corpos, incluindo a pessoa com deficiencia. O curso/oficina oferece uma aproximaçao sobre a pratica da dança contemporanea, estimulando a a criaçao , discussao, dos trabalhos elaborados pelos alunos.   Oferece, atraves de jogos coreograficos os elementos basicos da dança de Contact Iprovisation,vivencias ritmicas, percepçoes e açoes corporais. 

Sala de aula ampla e aparelhagem se som com midia CD
BA
Felipe Melnyk Oresten
Prática Teórica Técnica
Curitiba
(41) 3345-7536
formacao.coreografos@gmail.com
O Curso de Formação de Coreógrafos foi criado no ano de 2013 em uma parceria entre a Companhia Nacional de Danças Ucranianas Virsky, Representação Central Ucraino Brasileira e Associação da Juventude Ucraino Brasileira com o objetivo de aprimorar o conhecimento dos coreógrafos dos 25 grupos de folclore ucraniano existentes em território Brasileiro.
O curso de 70 horas divide sua carga horária em pratica da técnica e coreográfica de dança ucraniana e eslava, teoria de folclore, história da dança eslava, etnografia, etc. e grupos de discussão entre os participantes. A parte prática do curso é sempre ministrada por um solista, artista nacional da Ucrânia escolhido pela organização do curso a partir de critérios que são determinados pela necessidade encontrada por estudos feitos anualmente nos grupos folclóricos. As aulas teóricas são ministradas por estudiosos da comunidade ucraniana no Brasil e coordenadas pelo Sr. Andreiv Choma, mestrando da universidade de Alberta no Canará no setor de folclore ucraniano.
São ofertadas por oficina um numero de 46 vagas podendo passar até 48 vagas sendo que as inscrições são feitas visando facilitar a parte prática do curso.
Todas as aulas são ministradas em salas de dança com barras de ballet, linóleo, tendo o acompanhamento de musico concertista e tradutor.
As aulas teóricas são ministradas com o recurso de datashow e materiais cedidos pelos grupos para estudos.
As necessidades para a execução do Curso de Formação de Coreógrafos são:
Recursos financeiros para pagamento da passagem aérea do ministrante de aulas práticas;
Recurso financeiro para pagamento de cachê do ministrante de aulas práticas (base de 90 dólares por dia + alimentação)
Recurso financeiro para pagamento de estadia do ministrante de aulas práticas;
Recurso financeiro para pagamento de cachê do musico concertista;
Recurso financeiro para pagamento de cachê para palestrantes;
PR
FERNANDA COLLI
Prática
ARAÇATUBA
(18) 8161-8396
(18) 3301-4230
fernanda_colli@msn.com

A catira ou cateretê é uma dança genuínamente brasileira.Ninguém sabe ao certo a verdadeira origem dessa dança, alguns acreditam que foi uma mistura de várias culturas como a africana,espanhola,índigena e portuguesa.Mas outras acreditam que foi uma forma encontrada pelos jesuítas para melhor introsamento com os índios.A dança, é muito chamativa devido ao seu vigor e sincronicidade, compõe-se de palmateios e sapateios ritmados que os catireiros executam, em duas fileiras - uma em frente à outra, formando pares.
É uma cultura que necessita ser estimulada e revigorada para que as futuras gerações tenham oportunidade de conhecer a própria história, criem vínculos com o passado, para poderem atuar conscientemente no presente, através do resgate histórico e preservar a própria história no futuro
SP
Fernanda Cristine Coyado Araújo
Prática
ITAQUAQUECETUBA
(11) 4642-1522
ferna_araujo@hotmail.com

O objetivo é evidenciar a relação do ser e estar do indivíduo no mundo, melhorando assim sua percepção corporal, que vem da concepção fenomenológica de corpo, que tem como fonte principal o trabalho de Merleau-Ponty que fala sobre a relação sujeito/mundo/objeto. O corpo torna-se elemento fundamental da pesquisa, pois ganhará espaço tanto interno quanto externamente, expandindo assim a sua respiração e seu preenchimento no mundo, possibilitando uma exploração unificada enquanto movimento e expressão na dança contemporânea.

Trabalhar no indivíduo a criatividade, a percepção corporal, a exploração de sons através da utilização de objetos alternativos. Experimentação de diversos elementos como bastões, bolinhas, chocalhos, canos de pvc, tecidos, entre outros...

 

A proposta é fazer com que cada participante faça uma investigação pessoal sobre o que é a dança, o que ela representa e contribui para sua criação, sua movimentação e expressão corporal.

SP
Fernanda Gomes
Prática
Rio de Janeiro
fehgcelino@gamil.com
A oficina basea-se em uma junção laboratorial, jogos cênicos e experimentações a cerca do dialogo corpo e objeto. Os participantes vão investigar possibilidades de criações a partir do contato com o objeto escolhido.
Participante: levar um objeto do cotidiano

local: aparelho de som
sala arejada e ampla
RJ
Fernanda Gomes FOnseca Bevilaqua
Prática Teórica
UBERLANDIA
(34) 3236-5056
(34) 3237-2150
f.bevilaqua@uol.com.br
 

Esta oficina pretende propor um estudo do corpo a partir do método de cadeias musculares e articulares (GDS) . Este estudo será realizado por abordagens teórico- práticas em 16 horas sendo as mesmas distribuídas em 4 dias e quatro módulos com 4 horas de duração , totalizando 16 horas de oficina.


Público -alvo:

Trata-se de uma oficina destinada a professores de dança, teatro, bailarinos, atores e pesquisadores do corpo nos campos da arte e educação. Indica-se um número máximo de 25 pessoas. Os quatro módulos serão divididos da seguinte forma:



Primeiro e segundo módulos:

- Estudo das estruturas ósteo articulares e musculares nas 6 cadeias de equilíbrio em pé prepostas pela osteopata belga Godelieve Dennys Stryuf .

- As cadeias e a abordagem comportamental.

***Este estudo será teórico e prático e sempre ilustrado e discutido por estudos de caso .


Terceiro e quarto módulos: Prática de trabalhos corporais com ênfase nas 6 cadeias de equilíbrio e na melhora da qualidade postural.





Uma sala sem pilastras de no mínimo 8x8 . Um esqueleto completo ( tamanho adulto) Um data show com tela se não houver parede branca na sala. Aparelhagem de som para CD, Colchonetes.
MG
Flavia Meireles
Prática Teórica Técnica
rio de janeiro
flaviameireles@hotmail.com

O grupo de pesquisa Temas de Dança se dedica, desde 2011, a criar modos de pesquisar e produzir material de pesquisa em dança. O grupo se reuniu impulsionado pela necessidade de conceber um modo de acesso e de produção de arquivos culturais da dança no Brasil, aliando teoria e prática, afeto e intelecto. O material do grupo pode ser acessado em www.temasdedanca.com.br


Assuntos abordados:

Apresentação da pesquisa e do curso: breve histórico e perspectiva.

Conversa sobre o desafio da história da dança, problematização da noção de história e  desafio de construir historia(s) da(s) dança(s) a partir da sua própria prática. Discussão de alguns critérios possíveis tomando como exemplo teóricos e artistas da dança.

A dança dos anos 60: Dança pós-moderna americana – Anna Halprin, Yvonne Rainer, Trisha Brown. Exibição de vídeos com obras e/ou artistas ícones na história da dança ocidental entremeada com discussões. A dança nos anos 60 no Brasil: a família Vianna (Angel, Klauss e Rainer), Graciela Figueroa e o grupo coringa.

Improvisação e coreografia. John Cage e Merce Cunningham; Steve Paxton e o contato-improvisação como invenção de linguagem e democratização da dança. Recentes obras de performance que lidam com participação. O acaso, a indeterminação e aleatoriedade na criação e performance. Dança e tecnologia desde Cunningham. Videodança e experimentações em telemática.

Pina Bausch e a dança-teatro. Criação em dança, repetição, transformação, processos criativos. A materialidade na dança e o lugar da cena contemporânea.

A Dança dos anos 90: pesquisas de linguagens nos coreógrafos cariocas. La Ribot, Vera Mantero, Jerome Bel.  A precarização do trabalho do artista da dança e novas estéticas. O conceito de paragem e de exaustão do movimento a partir de André Lepecki.

Metodologia:

O intuito das conversas é promover um espaço onde reflexão e ação em dança se encontrem a partir de algumas perguntas iniciais: O que é corpo? O que a dança faz/move? Como podemos articular dança/pensamento? 


A conversa funciona como dispositivo em que a relação entre dança e pensamento acontece de forma horizontal e onde ela é o meio de troca entre os participantes. Pode-se entender conversa como um movimento no qual já não é importante saber de onde partiu o impulso, sua origem, mas sim investigar como nos inserimos e como nos deixamos levar. O pensamento põe a dança em movimento e a dança promove metamorfoses nos modos de pensar. Nesse sentido, a partir de questões levantadas há muito tempo pela história da dança e de novas questões trazidas pelos participantes da oficina a respeito de suas práticas poderemos criar novos caminhos narrativos para entender e escrever histórias da dança.

 

“Ora, hoje se vê que o movimento se define cada vez menos a partir de um ponto de alavanca. Todos os novos esportes - surfe, windsurfe, asa delta - são do tipo: inserção numa onda preexistente. Já não é origem enquanto ponto de partida, mas uma maneira de colocação em órbita. O fundamental é como se fazer aceitar pelo movimento de uma grande vaga, de uma coluna de ar ascendente, “chegar entre” em vez de ser origem de um esforço.”

DELLEUZE, Gilles.

Preparação para os participantes: visita prévia no site Temas de Dança lendo os textos, audios e videos.

Perfil: Artistas, estudantes de arte e áreas afins, curiosos em dança e arte. Público adulto.

Necessidades Técnicas: uma sala, cadeiras ou pufes, videoprojetor, acesso à internet (desejável), papéis em branco, canetas.


RJ
Flavia Souza da Cruz
Prática Teórica
RIO DE JANEIRO
(21) 2269-0428
(21) 8593-9942
flaviarussa@hotmail.com

OFICINA DE DANÇAS DA AFRICA

CARGA HORÁRIA: das 09h 00 min ás 13h00min de 2ª á 5ª (16 horas).

VAGAS: 15 PARTICIPANTES

PÚBLICO ALVO: TODO PUBLICO APARTIR DE 14 ANOS

OBJETIVO ESPECIFICO: TRAZER A NOSSA DESCENDENCIA A CULTURA ATRAVÉS DAS DANÇAS FOLCLORICAS DE AFRICA

OBJETIVOS GERIAS: RESGATE CULTURAL

CONTEÚDO PRÁTICO:
- Aprender as danças.
- Improvisações em cima do que sera dado em sala.
- Criações Coreográficas.
- Falar sobre a história das danças.
- Montagem de um resultado final.

Esta oficina é fruto de um trabalho de quatro anos de estudos, pesquisas, e vivências relacionadas as danças africanas e que desaguaram em oficinas para a cia folclorica do rio de janeiro UFRJ.

- Som
- TV
- DVD
- Sala
RJ
Flávio Sampaio
Prática Teórica
PARACURU
(85) 3344-2332
(85) 3344-2090
flaviosampaio91@yahoo.com.br

Devido as grandes distâncias entre o Norte e Nordeste do Brasil e os centro produtores de arte como Rio e São Paulo, há grande carencia na distribuição de informações entre profissionais da dança dessa região.

O Encontro de Dança do Norte e Nordeste disponibilizará cursos e oficinas de dança clássica e contemporânea para bailarinos e professores de dança na cidade de Paracuru-Ce, distante 100 km de Fortaleza.

Fundada pelo Prof. Flávio Sampaio, a Escola de Dança de Paracuru localiza-se numa das praias mais bonitas do Ceará e forma bailarinos, coreógrafos e arte educadores, na segunda semana de julho estará recebendo profissionais da dança para cursos práticos, teóricos e discussões metodológicas.


CE
Franciande de Paula
Prática Teórica Técnica
BELO HORIZONTE
franciane.depaula@gmail.com

Espaço de pesquisa da dança negra contemporânea. A criação em arte contemporânea inspirada nas culturas negras.
 

Entre alfazemas propõe o estudo da dança e o procedimento de criação cênica por meio:

- da história corporal do individuo;

- do estudo de sua estrutura física - elementos e componentes básicos do corpo onde se expressam as danças de matrizes africanas: pés, joelhos, quadril, coluna, tronco, membros e cabeça;

- da relação tempo-espaço a partir das diferentes qualidades gestuais das danças origem africano brasileiras.

 

A oficina se orienta por três vieses:

- o (re) conhecimento do corpo-espaço-ritual;

- a imersão - apreensão matrizes de movimento;

- elementos estéticos - identificação dos elementos que compõem as danças e suas diferentes qualidades para o processo de identidade individual nas danças.

Necessidades: Sala ampla com piso adequado para aulas de dança;


Aparelho de som (entrada para cd e/ou mp3) e/ou músicos ao vivo;

TV e dvd.

MG
Franciane de Paula
Prática Técnica
BELO HORIZONTE
franciane.depaula@gmail.com
 

O Ciclo de Danças propõe o estudo da dança cênica ( procedimento de criação) por meio da história corporal do individuo, o estudo de sua estrutura física, da relação tempo e espaço através da reelaboração estética e de linguagem das matrizes gestual e corporal das danças tradicionais e populares de origem africano brasileiras, como o jongo, a congada e a capoeira.


Público alvo: artistas cênicos (bailarinos, atores e performes) e interessados na arte e estudo do movimento a partir de 14 anos.

 

Sala ampla com piso adequado para aulas de dança;

Aparelho de som e/ou instrumentos de percussão.

MG
Francisco Rider
Prática Técnica
Manaus
(92) 3233-0328
dancedemente@hotmail.com

A PESQUISA CÊNICA CORPORAL UMA (PREMIADA COM O PRÊMIO FUNARTE KLAUSS VIANNA DE DANÇA 2007) É A SÍNTESE DE PESQUISAS E EXPERIMENTAÇÕES REALIZADAS POR FRANCISCO RIDER, NOS DEZ ANOS EM QUE VIVEU E TRABALHOU COMO ARTISTA NA CIDADE DE NOVA YORK, NAS LINGUAGENS DA DANÇA, TEATRO FÍSICO, PERFORMANCE ART, IMPROVISAÇÃO COMO ARTE PERFORMÁTICA E ABORDAGENS SOMÁTICAS/RELEASE TECHNIQUES.


A SÍNTESE É ESPECIALMENTE INFLUENCIADA PELA SUA RESIDÊNCIA DE 1996 A 1999 NA ESCOLA PÓS-MODERNA MOVEMENT RESEARCH-NYC (RESIDÊNCIA QUE O PROPONENTE FEZ COM UMA BOLSA DA FUNDAÇÃO CAPES-MEC-BRASILIA); E PELAS AULAS E WORKSHOPS FREQUENTADOS POR NA TRISHA BROWN COMPANY.
 
PROPOSTA: INVESTIGAR A INTELIGÊNCIA CORPORALCOMO UMA TOTALIDADE, ONDE CORPO, MENTE E ESPÍRITO FORMAM UM SISTEMA ORGÂNICO, E O MOVIMENTO É ABORDADO A PARTIR DA ESTRUTURA ÓSSEA; RESULTANDO NUMA QUALIDADE CORPÓREA DE GRANDE FLUIDEZ E CONEXÃO.

A ESTRUTURA DA OFICINA ABORDA TÓPICOS COMO SISTEMA ESQUELÉTICO, SOLTURA E LIBERDADE DE MOVIMENTO NAS ARTICULAÇÕES, ALINHAMENTO CORPORAL, PONTOS DE INICIAÇÃO DO MOVIMENTO, PESO-LEVEZA, CONEXÃO CORPORAL, RESPIRAÇÃO E USO DE IMAGENS ANATÔMICAS E POÉTICAS.

 ESTRUTURA DO WORKSHOP:
-MANHÃ: DUAS HORAS DEDICADAS A TÉCNICA DE POSTMODERN DANCE, E INTERVALO DE UMA HORA E MEIA PARA ALMOÇO;
-TARDE: TRÊS HORAS DEDICADAS A IMPROVISAÇÃO, PROCEDIMENTOS, ABORDAGENS E ESTRATÉGIAS DE CRIAÇÃO COREOGRÁFICAS; E PEQUENA MOSTRA DE TRECHOS COREOGRÁFICOS DOS ARTISTAS TRISHA BROWN, MERCE CUNNINGHAM, SIMONE FORTI, ENTRE OUTROS.

CARGA HORÁRIA: VINTE E CINCO HORAS.
PÚBLICO ALVO:
MANHÃ: BAILARINOS COM NÍVEL INTERMEDIÁRIO E PROFISSIONAL (VAGAS: 30); MAIORES DE 16 ANOS.
TARDE: BAILARINOS COM FORMAÇÃO DIVERSAS, ATORES, MÚSICOS E ARTISTAS VISUAIS (VAGAS: 30); MAIORES DE 16 ANOS.

ESPAÇO AMPLO, SILENCIOSO, BEM ILUMINADO E DE PREFERÊNCIA COM O CHÃO DE MADEIRA E LISO.

PROJETOR, TELA DE PROJEÇÃO E SISTEMA DE SOM PARA USO DE CDS.

BEBEDOURO PRÓXIMO AO ESPAÇO ONDE SERÁ REALIZADO O WORKSHOP.
AM
Francisco Xavier Silveira dos Santos
Prática Teórica Técnica
SAO PAULO
(29) 1081-96
odwdwa@ig.com.br



SP
Francys Alves Paulino
Prática
SAO PAULO
(11) 2965-1040
francyspaulino@hotmail.com

Oficina de Técnica Clássica dirigida para todos os intérpretes da dança e artes.

 

Conhecimento de técnica clássica (barra e centro) com o objetivo de fornecer aos intérpretes das artes ferramenta corporal para que tenham melhor desempenho em suas atividades artísticas.

 

Pliés, tendus, sautés...exercícios aplicados para que qualquer artista possa executá-lo.

 

É importante para o intérprete da dança e artes em geral, conhecer e adquirir em seu corpo várias linguagens corporais. Quanto maior o repertório corporal maior a capacidade de interpretação e domínio cênico. A técnica clássica surge então para dar apoio, pois tem a capacidade de organizar o corpo, dando-lhe sustentabilidade, força, leveza e desenvoltura, fornecendo instrumentos para que o artista intérprete atue com excelência.


SP
Gabriela Rezende de Oliveira Venturini
Prática Teórica
CATAGUASES
(32) 3421-2032
(32) 3421-5837
gabriela-venturini@hotmail.com

A oficina possui em sua ementa temas como a importância de ser professor e educador; como despertar o interesse do aluno para as atividades em geral; promoção do desenvolvimento da psicomotricidade e a integração social através de recursos didáticos criativos; como florear exercícios e aperfeiçoar técnica; como elaborar aulas criativas de alongamento e flexibilidade; dinâmicas envolvendo ritmo e musicalidade, criatividade e improvisação, socialização e soltura de movimentos para a motivação do aluno; e o passo a passo da elaboração e execução de um espetáculo de dança.


Durante a oficina será necessário que cada aluno leve lápis de cor, e vestimenta adequado para a execução das aulas de alongamento e flexibilidade.

MG
Gabriela Santos Cavalcante Santana
Prática
Salvador
gabiscs@yahoo.com.br

Fruto de uma pesquisa teórica e prática sobre a constante apropriação da capoeira pela dança cênica brasileira, a presente oficina é elaborada objetivando sensibilizar os participantes (dançarinos e/ou capoeiristas e leigos) para processos de criação em dança que tem como motivação primeira a linguagem da capoeira.

Além da sistematização de dinâmicas que propiciam uma pesquisa de linguagem no e pelo corpo, a oficina estimula reflexões sobre algumas obras artísticas de diferentes linguagens que se valem da capoeira como matéria prima. Tais reflexões visam expandir conexões entre modos de criar a partir da capoeira para alimentar idéias e modos de entrecruzar a capoeira em processos criativos de dança.

Essa pesquisa de linguagem poderá ser vivenciada em contextos e faixas etárias diferenciadas, podendo enfatizar tanto questões pedagógicas significativas no trabalho com jovens e crianças como também, a perspectiva artística e estética da capoeira para processos de criação em dança que se interessam pela hibridização de diferentes linguagens.

Sala de aula, aparelho de som e computador para projeção de imagens.
BA
Gal Quaresma
SAO PAULO
(11) 2839-3447
(11) 7886-5968
galquaresma@yahoo.com.br
 

O encontro com a arte gera resultados excelentes. O uso produtivo da criatividade como eixo de processos de aprendizagem e relacionamento entre pessoas, supera toda e qualquer dificuldade expressiva.








A oficina que proponho está voltada para um conhecimento corporal a partir de diversas formas artísticas.


Na oficina será inserido danças africanas (danças da Guiné), condicionamento corporal com alongamento utilizando técnicas do yôga e da dança contemporânea e improvisação.









Segundo Julio Tavares no livro O Corpo Negro “Como corpo percebemos sentimos o mundo. Por esse intermédio desenvolvemos e aperfeiçoamos a comunicação com as outras pessoas, com os outros indivíduos, criando símbolos que nos permitem significar expressivamente a realidade.”


OBJETIVO GERAIS





Numa oficina com carga horária a combinar pretende-se sensibilizar os alunos para as danças Guineanas Kuku, Yankadi e Kakilambe.


No condicionamento corporal com alongamento será trabalhado a partir de técnicas do yoga e da dança contemporânea e improvisação.





Vale ressaltar que este projeto pode sofrer alterações a depender do número de horas aula desejada pela instituição.





Aqui elenco os objetivos propostos dentro do plano de trabalho.



- Treinamento corporal trabalhando alongamento, ritmo, sensibilização e coordenação motora.





-Ampliar reflexões sobre a cultura afro descendente (sua importância, valor histórico e cultural), assim como difundir e dar legitimidade à identidade cultural afro-brasileira dentro de um contexto populacional que carece deste tipo de informação;





- Promover a compreensão e avaliação das produções artísticas e manifestações simbólicas diversas que revelam direta ou indiretamente a presença do negro no Brasil;





- Fortalecer os vínculos entre arte e identidade, valorizando a cultura africana e as inúmeras colaborações advindas desta.











JUSTIFICATIVAS








Este trabalho está circunscrito no âmbito dos estudos que concebem a oficina como resultado de investigação de novas formas e possibilidades expressivas. Encontra sua relevância, justamente, na medida de suas pretensões: ampliar na perspectiva da técnica do aluno as conexões com elementos contemporâneos, experienciar e ampliar o espectro de informações contidas neste universo.



Infelizmente, por questões econômicas e por conseqüência do pouco espaço reservado a investigação e experimentação, há poucas possibilidades de estudos como este.









Os resultados de experimentos como estes somente podem advir de um trabalho sério e investigativo, como o proposto. As técnicas a serem trabalhadas, encerram através de suas práticas, espaço de animação e identidade. Constituem-se como instrumentos possibilitadores de auto-expressão e desenvolvem elementos vitais como atenção, vitalidade, além de permitir interações subjetivas, espontaneidade, interpretações pessoais e improvisações.





Entendo que um trabalho investigativo em torno destas técnicas contribuirá para o desenvolvimento da consciência de que nós brasileiros trazemos elementos históricos e visão de mundo que, voluntária ou involuntariamente, estão presentes no nosso cotidiano. Consciência que todos estes elementos presentes nos dará enquanto cidadãos, a via de comunicação e reflexão com o mundo em que vivemos.





Sobre a relevância desta ação, entendo que em alguma instância ela poderá contribuir para diminuição de uma lacuna, discutindo, provocando-os a falar de elementos e de um universo que lhe é concernente, recebendo suas contribuições, acreditamos que contribuímos para valorização e difusão de nossa cultura, dando legitimidade à identidade cultural afro-brasileira.








Sobre as Danças Africanas abordadas no trabalho:





Kukú (Malinkê)





Originalmente da região de Beyla e tocado para as mulheres que voltavam da pesca e de seus trabalhos do cotidiano. Este ritmo tornou-se popular em toda a Guiné e para todos os amantes de djembê, sendo um ritmo alegre e muito tocado também nas noites de lua cheia.











Yankadi / Makuru (Sussu)





Ritmo e dança de flerte e sedução, acontece em festas e festivais onde aldeias vizinhas se reúnem promovendo o encontro dos jovens de 15 a 25 anos, embora sempre haja a participação dos adultos.


Yankadi é dançando em duas fileiras (meninos e meninas) face a face, aproximando-se gradativamente, onde o menino coloca um lenço ao redor do pescoço da menina, como um gesto de amor. No Makuru, as fileiras se desfazem e todos dançam energeticamente, dirigidos por um “mestre de cerimônias” com um apito.











Kakilâmbe (Baga)





Kakilâmbe é um espírito da floresta que protege os aldeões, e aparece uma vez por ano, fazendo previsões e espantando todo o mal. Pode chegar a ter oito metros de altura, e sua chegada é marcada pelo respeito e adoração de toda aldeia e ele segura um cordão para cada representante de família, que se “conecta” a ele assim que chega na aldeia.


Um sacerdote sempre o acompanha e transmite suas mensagens, após momentos de música e dança frenéticos (echauffement). Previsões de chuvas, secas, colheitas, etc... são repassadas à população.





DADOS GERAIS:

Duração: a combinar

No. De participantes: 20


Idade dos participantes: Jovens a partir de 15 anos, Os alunos deverão vestir roupas leves que facilitem a movimentação.






Aparelho de som que toque cd, sala ampla e limpa
SP
Gerson Moreno
Prática Teórica Técnica
ITAPIPOCA
(88) 3631-3533
gersonballetbaiao@yahoo.com.br

No decorrer da História da Dança Universal verifica-se que são muitos os personagens sociais excluídos da possibilidade de apreciação e, sobretudo de vivencia em dança. Por muito tempo a dança, especificamente a dança cênica, foi exclusividade dos acadêmicos e tecnicistas da área, nisso firmou-se fronteiras históricas até hoje presentes entre povo e elite artística. Com o desabrochar da Dança Moderna via Isadora Duncan, Von Laban, Marta Graham, José Limón, dentre outros, tornou-se possível pensar em uma dança focada na vida e na expressão genuína do corpo enquanto manifestação infinita de códigos e significados. Com Merce Cunningham, Pina Bausch, Steve Paxton, e outros mais, consodidou-se o súbito, o inesperado, a criação pessoal, tolerância e acolhimento dos corpos singulares. Independente de padrões pré-estabelecidos pelo balé clássico qualquer corpo poderia finalmente dançar. Klaus Viana, Isabel Marques, Flávio Sampaio, Lia Rodrigues, Ivaldo Bertazzo, são referências que trazem à tona o contexto do ser humano, do cidadão contemporâneo, como via de construção da dança vigente; e como protagonistas do processo criativo “as pessoas” (profissionais ou não-profissionais) que se propõem a dançar: pesquisadores em dança, intérpretes-criadores, performances, pessoas comuns, crianças, adolescentes, jovens em situação de risco, universitários, operários, idosos, minorias excluídas dos processos de produção e circulação artística em geral. Inaugura-se o tempo de inclusão via dança, conspira-se pelo hibridismo, linguagens singulares se edificam a partir de vivências pessoais e coletivas desenvolvidas por coreógrafos, bailarinos e professores de dança junto a “corpos comuns” no bojo das ONGs, associações, escolas públicas, universidades e empresas. Novos espaços de formação permanente em dança se configuram fora das academias e extra escolas de dança. Salões, auditórios e quadras cobertas tornam-se alternativas de espaço cênico para a mostra e circulação de dança em áreas onde predomina a carência de equipamentos culturais. Organizam-se e estruturam-se projetos de cunho sócio-cultural através de parcerias utilizando-se da dança cênica como prática de integração e emancipação humana. Os apelos dessa vigência alertam para a necessidade de uma maior compreensão do que possa ser uma dança inserida, das suas pretensões enquanto via de educação e transformação social e, sobretudo estética e linguagem, performance e intervenção, obra artística de qualidade técnica que pode nascer da mais simples e desafiante realidade, do mais intuitivo e rústico corpo. 

 

A referida proposta de oficina parte dos anseios e buscas que trago enquanto intérprete, pesquisador, coreógrafo e pedagogo atuante em diversas realidades de dança no interior cearense junto a demandas distintas, especificamente de bailarinos que começaram a dançar na adolescência, crianças de periferia, adultos que nunca fizeram aula de dança, universitários, professores da escola pública e arte-educadores. A partir de vivências físicas e teóricas desenvolvidas e codificadas dentro da Cia Balé Baião pretende-se estabelecer construções e reconstruções da dança enquanto produção artística, campo de pesquisa, experimentalismo, conceito, estética e expressão para a cena, como também focar a dança enquanto construção de conhecimento humano, emancipação sócio-afetivo-cultural e postura protagonista no cotidiano.

 

OBJETIVO GERAL

 

Possibilitar vivências e produções coletivas em dança-improvisação a partir da linguagem corporal desenvolvida por Gerson Moreno junto com a Cia Balé Baião de Dança Contemporânea- CE.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

·         Integrar intérpretes-criadores que improvisam em cena;

·         Proporcionar a produção individual e coletiva;

·         Suscitar ações colaborativas e intercâmbios pós-plataforma;

·         Discutir os anseios e tendências da dança experimental no nordeste, contribuições para a dança contemporânea brasileira;

 

CRONOGRAMA DE TRABALHO

 

Vivências e conteúdos: Exercícios de fragmentação do corpo, tempo, peso, espaço e fluxo do movimento corporal;

Jogos de composição a partir de ações orgânicas e temas contemporâneos;

Jogos de composição a partir da criação de estados corporais;

Criação em solo, duo e grupal;

Estudos e debates sobre tendências da dança contemporânea no ceará, Brasil e mundo.

Análise de trabalhos coreográficos em vídeo;

Estudo do texto “Plásticas e poéticas da dança”;

Montagem de um exercício coreográfico envolvendo a todos os participantes da oficina. Avaliação e encerramento.

"font-�ml:�L��'�ans-serif; font-size: 12pt; margin-top: 0cm; margin-right: 0cm; margin-bottom: 10pt; margin-left: 0cm; line-height: 18px; letter-spacing: 1.5pt; text-align: justify; ">Criação em solo, duo e grupal;
  • Estudos e debates sobre tendências da dança contemporânea no ceará, Brasil e mundo.
  • Análise de trabalhos coreográficos em vídeo;
  • Estudo do texto “Plásticas e poéticas da dança”;
  • Montagem de um exercício coreográfico envolvendo a todos os participantes da oficina. Avaliação e encerramento.
  • Sala ampla,
    Aparelho de som,
    Xerox de apostila,
    TV e aparelho de DVD ou telão e datashow.
    CE
    Gerson Moreno
    Prática
    Itapipoca
    8892156569
    gersoncafuzo@gmail.com

    Interessa à dança afroancestral e indígena desenvolver processos coletivos de vivência e produção em danças tendo os corpos e suas individualidades como matéria-prima de investigação e experimentação. Experiências particulares de formação, estudo, pesquisa e produção desenvolvidas e sistematizadas por grupos, companhias e coletivos de dança em todo o país, vêm garantindo plularidade nos modos de conceber e fazer dança, legitimando as peculiaridades estéticas que caracterizam e dão personalidade a cada coletivo. Diferente de outras épocas, hoje é necessário que se fale no plural usando sempre “s”, por isso: danças, contemporâneas, ancestrais, modos de fazer, modos de criar, proposições, corpos, territórios, etc. Não cabe nessa reflexão receitas fechadas, moldes ou fórmulas que garantam um resultado esperado, pois sempre existirão caminhos a traçar, riscos a correr e conceitos a reformular.

    A oficina de criação: “Reinvenções do corpo ancestral na cena contemporânea” conduzida pelo artista e educador Gerson Moreno, se propõe gerar experimentações corporais e performances de dança a partir de ritos cênicos, exercícios e jogos de criação, visando estabelecer diálogos entre tradição e tempo presente, possibilidades de reinvenção e conexão das danças negras e ameríndias com as emergências da contemporaneidade. 

    - Sala ampla para as práticas corporais;

    - Som mecânico com cabo para celular;

    - Xerox de textos para estudo (enviarei por e-mail para ser reproduzido e entregue aos participantes da oficina);

     

    CE
    Gilberto Mendes Coelho
    Prática Teórica Técnica
    Vitória
    2732238857
    2733961596
    gilmendes2@hotmail.com

    A oficina tem como finalidade trabalhar os princípios e fundamentos da composição coreográfica e estudo dos elementos estruturais: corpo-espaço, corpo-forma, corpo-tempo/ritmo e dinâmica; em coerência com temas, enredos, conteúdos, acompanhamento musical, cenário e dramaturgia. Trabalho prático de montagem e composição coreográfica. Tem como objetivos:

    1-      Oportunizar o exercício da criação e elaboração coreográfica entendendo a dança como obra de arte e linguagem artística.

    2-      Facilitar a exploração das fontes individuais de transformação criativa dentro de um contexto artístico atual.

    3-      Estimular a criação de movimentos autênticos relacionados à busca de um estilo próprio.

    4-      Exercitar a capacidade de análise crítica para melhor seleção do material coreográfico e adequação a escolha temática.

    5-      Desenvolver a capacidade de uma rápida emergência de idéias e de sua rápida transformação em ação.

    APARELHO DE SOM - CD, USB
    QUADRO E PINCEL
    TV/DVD E OU DATASHOW
    ES
    Gilda Maria Serra Regalino
    Prática
    SAO PAULO
    (19) 2121-8744
    (11) 8851-8389
    regalino@ig.com.br
     

    Corpo- Linguagem -Poesia ( Dança -Poesia)

    A linguagem do corpo é expressa em todos os níveis de arte para isto é necessário despertar nosso corpo para as infinitas possibilidades do fazer artístico. A memória do corpo e seus registros são trabalhados no sentido de despertar , sensibilizar, torna-se presente( o aqui e agora) e relacionar se com o outro ( jogo) e com as outras formas de arte!

    aparelho de som
    SP
    giordano bruno nepomucena de assis
    Prática Teórica Técnica
    rondonopolis
    (66) 3422-4848
    (66) 9922-1359
    giordanobrunoroo@hotmail.com
    Incentivar a prática da Dança de Rua no ambiente escolar, buscando um maior envolvimento dos jovens, não só como realização de uma atividade física, mas também buscando uma reflexão sobre preconceitos, valorização e conhecimento da cultura.
    Rondonópolis tem muita carência na parte de cultura, e vejo que com a dança podemos mudar a história de Rondonópolis oferecendo aos participantes uma nova vida, com muita dança, alegria e amor, a dança pode oferecer muitos princípios, e tenho como sonho e meta diminuir o índice de criminalidade e violência e mostrar para a população que podemos mudar nossa história ensinando com amor e muita responsabilidade, e que podemos fazer um Brasil melhor.
    MT
    Giselda Barbosa Fernandes Filha
    RIO DE JANEIRO
    giselda@odois.com
     

    O Workshop tem como finalidade a experimentação de uma linha de pesquisa coreográfica da Os Dois Companhia de Dança baseada no conceito de Objeto-Partner, estimulando a criação através dos movimentos das gaivotas de papel e da observação de seu lançamento. O curso apresenta aspectos relacionados à improvisação direcionada, numa dinâmica que se dá entre a observação informada e o acaso, estimulando a construção de frases coreográficas em solos, duos, trios e grupos. O movimento é trabalhado de forma lúdica, com foco na percepção corporal e na criatividade do aluno.


    Os workshops são ministrados em 4 encontros de 3 horas por dia, para participantes com disponibilidade para o movimento (não necessariamente bailarinos) em número de 30 a 50 participantes no máximo. Ao final do curso (quinto encontro) são coladas diversas frases criadas com possibilidade da realização de uma apresentação pública. Carga horária total 15hs










     

    2. Necessidades : sala ampla que atenda ao número de participantes e em um dia da oficina com vídeo, DVD e TV ou projetor.


    Equipe : Dois professores


    RJ
    Glaucia Lobo
    Prática Teórica Técnica
    SAO PAULO
    (11) 9515-9224
    glaucialobob@yahoo.com.br

    Curso voltado para atores e bailarinos com foco na expressão, na gestualidade e na clareza dos movimentos. Os participantes colaboram ativamente com o processo de montagem da "coreografia", levando em consideração temas discutidos e elaborados em sala de aula. A expressão de cada participante é ferramenta fundamental para a criação sincera e sucinta do tema abordado. A pesquisa em sala de aula visa "criar" um espaço onde criadores possam compartilhar idéias, criar e acima de tudo tomar conta de sua autonomia quanto "artista".

    Sala de dança, aparelho de som, aparelho para DVD.

    SP
    Glauco Fernando Cruz
    Prática
    SAO PAULO
    (11) 3535-2904
    glauco@artesofia.com.br
    Oficinas de ballet clássico, voltadas para bailarinos e bailarinas de nível intermediário e avançado. Para as moças, em algumas aulas será solicitado o uso pontas.
    A proposta da oficina é trabalhar e aprimorar os fundamentos da técnica clássica, com base nos métodos russo, inglês e cubano, com os quais tive contato durante estes 17 anos de experiência.
    Sala de aula com piso flutuante ou linóleo, barras, aparelho de som para cds e espelhos (se possível) 
    SP
    Glauco Fernando Cruz
    SAO PAULO
    (11) 3535-2904
    631
    maria.caldas@bbcr.com.br
    Gledson Olímpio Pagung Souza
    Prática Teórica Técnica
    IPATINGA
    (31) 3826-4753
    (31) 3826-9985
    gledsonops@yahoo.com.br
    Teoria sobre a origem e as técnicas que a Dança de Rua engloba (Freestyle, Locking, B-boy, House, kumping, etc), bem como uma abordagem na prática dessas técnicas, as quais podem ser inseridas na dança contemporânea. 

    Projetor gráfico ou quadro acrílico, ambiente arejado próprio para dança, som de qualidade.
    MG
    Gleice Lemos
    SAO PAULO
    (11) 2501-4143
    gleicel@hotmail.com
    Combinando Dança livre com Danças Orientais, alongamentos, posturas de Yoga e meditações dinâmicas em busca do auto conhecimento corporal, mental e espiritual. Tonificando  o corpo através dos alinhamentos energéticos e a fluidez da dança. Uma série de exercícios de fusões com passos de danças e posturas de  yoga,  despertando os nossos centros de energia, ajudando-nos na liberação da tensão e estresses, tratando o equilíbrio interno e os  nossos sentimentos. Apropriada para qualquer idade e nível de conhecimento, trabalhando um Chakra por dia com os seus respectivos elementos e arquétipos.
    colchonetes
    SP
    Héfren Cristiano Mota Castro
    Prática Teórica
    Santarém
    hefrencultura@hotmail.com
    A preparação corporal do ator é indispensável para alavancar qualquer começo de trabalho. O ator necessita conhecer e desenvolver suas habilidades, bem como experienciar uma diversidade de exercícios que ponha sua corporeidade afinada com a proposta de cena. Esta oficina objetiva a imersão teórica e prática de diversos métodos que possibilitam um melhor desempenho corporal do artista da cena.
    Microssistem 
    Caixa amplifica 
    Sala arejada com janelas e piso de taco, linóleo ou carpete.

    PA
    Heloisa Peres
    Prática Teórica
    PORTO ALEGRE
    (51) 2111-7086
    heloperes@hotmail.com
     





    OBJETIVOS:



    - Desenvolver e aprimorar a sensibilização, desinibição, afetividade, equilíbrio, disciplina, expressão individual e de grupo.


    - Incentivar os jovens para o conhecimento da dança


    - Valorizar o potencial individual desenvolvendo as capacidades artísticas dos jovens.


    - Educar e qualificar através da arte da dança.


    - Contribuir para o despertar da sensibilidade e valorização do individuo.


    - Promover atividades de integração e socialização através da arte da dança


    - Fomentar a produção artística



    JUSTIFICATIVA:



    A proposta das oficinas de Sensibilização a Dança justifica-se pela sua perspectiva de estimular a convivência social e cultural de jovens, através do conhecimento e apreciação das expressividades artísticas. Faz-se necessário a arte para que todos, de forma irrestrita possam desenvolver-se a si próprio e melhorar o meio em que vivem.


    O método utilizado nas oficinas de sensibilização à dança propicia a formação primordial ao desenvolvimento artístico neste segmento. Este projeto vem possibilitar aos adolescentes e jovens formas de expressão mais autônomas resultando através da arte o fortalecimento da sua identidade e do seu papel na sociedade.






    METODOLOGIA:



    A oficina de Sensibilização a Dança centra-se no conhecimento e desenvolvimento de métodos e procedimentos de pesquisa e construção corpórea para a dança bem como da autonomia do intérprete-bailarino para a construção de partituras coreográficas próprias.


    Em cada aula serão desenvolvidas as noções básicas de diversas técnicas fundamentais para a conscientização e construção corporal através de exercícios práticos e conhecimentos teóricos complementares de: fisiologia, anatomia do corpo , consciência do movimento, expressividade do gestual, improvisação, contato-improvisação e técnicas somáticas.


    O desenvolvimento das oficinas estará centrado nas estruturas técnicas do balé e dança contemporânea com uso das diagonais e da dança conjunta bem como das improvisações a partir da transmissão de sentimentos, idéias e conceito.


    Este método serve de instrumentos para o conhecimento e desenvolvimento das potencialidades corporais, proporcionando também, que o intérprete crie suas composições a partir de temas relacionados a questões políticas, sociais, culturais, autobiográficos, comportamentais e cotidianos.


    As oficinas não possuem uma técnica única estabelecida.

    Cada aula terá duração total de 03 hs sendo utilizado 01 h para o desenvolvimento de laboratórios específicos de criação coreográfica

    PÚBLICO ALVO:


    Jovens de ambos os sexos a partir de 15 anos de idade.

     

    VAGAS:


    20 alunos por turma

    FREQUÊNCIA:


    A combinar

    MINISTRANTE:


    Heloisa Peres



     


    Sala ampla com estrutura necessária para a prática de Dança


    Estrutura para recebimento das inscrições das oficinas


    Transporte, alimentação e hospedagem do oficineiro


    Equipamentos de CD, DVD e TV



    CACHÊ : A combinar



    RS
    Herbet Santos Gois Borges
    Prática
    SALVADOR
    (71) 3259-2620
    (71) 8756-5954
    herborges_@hotmail.com
    O curso trata de esclarecer os movimentos da dança afro,mesclada com tendencias da dança moderna e contemporânea,onde será demonstrada uma arquitetura do movimento elucidando de onde parte o sentido da realização de determinado movimento,deixando claro a trajetória deste aos dias atuais..
    Um espaço para serem realizadas as aulas(espaço com espelhos de preferência uma sala de dança,ou um local amplo,músicos(as aulas se designam por serem ao vivo).
    BA
    Isabel Marques
    Prática Teórica
    SAO PAULO
    (11) 3021-7510
    caleidos@caleidos.com.br

    OBJETIVOS

    · Discutir e apresentar propostas metodológicas para o ensino de dança em academias de dança, projetos sociais e escolas formais;

     

    CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

    · A dança no mundo contemporâneo:

      O que mudou? Como devemos pensar hoje as aulas de dança?

    · O ensino de dança nas academias, nas escolas e nos projetos sociais:

      É a mesma coisa? O que devemos levar em consideração?

    · Dança e ensino: a arte e a educação:

      Quem ensina dança? Professor ou artista?

    · Definições e conceitos:

      O que é Pedagogia, Didática, Metodologia, Procedimentos;

    · Proposta metodológica da “dança no contexto”:

      Como ensinar dança? O quê ensinar? Por que ensinar dança?

    · As práticas de dança: o ensino da linguagem.

      

    PROCEDIMENTOS

    · Aulas teóricas e discussões em grupo;

    · Leituras e discussão, diários de bordo;

    · Aulas práticas de Improvisação e Composição com base em Laban.

     

    PÚBLICO ALVO

    · Professores de dança, monitores de projetos sociais, professores de escolas formais que já ensinam dança, interessados em geral com experiência docente na área de dança;

     

    NÚMERO DE VAGAS

    · mínimo: 10 - máximo: 30

    · Aparelho de CD e DVD, datashow, lousa e giz ou equivalente

    · Sala ampla (min. 7 x 7m)

    SP
    Isabel Marques
    Prática Teórica
    SAO PAULO
    (11) 3021-7510
    caleidos@caleidos.com.br

    Objetivos

    · Conhecer os princípios e propostas de Rudolf Laban;

    · Trabalhar o processo criativo do intérprete a partir dos princípios de Rudolf Laban.

     

    Conteúdo Programático (4 módulos)

    · Rudolf Laban hoje:

      Conhecer e repensar os princípios de Laban no mundo de hoje;

    · Elementos estruturadores do processo criativo:

      Corpo, espaço, dinâmicas, ações e relacionamentos;

    · Improvisação estruturada:

      Do jogo à dança;

    · Composição coreográfica:

      Procedimentos de composição individual, em duos e em grupos;

    · Escrita da dança (motif writing).

        

    Procedimentos

    · Mostra e discussão de vídeos;

    · Leituras e discussão, diários de bordo;

    · Aulas práticas de Improvisação e Composição com base em Laban.

    · Aparelho de CD e DVD, datashow, lousa

    · Sala ampla (min. 7 x 7m)

    SP
    Itana Abreu
    Teórica Técnica
    GUANAMBI
    (77) 8808-6363
    (77) 8808-6363
    itana_bailarina@hotmail.com
     

    A oficina traria aos profissionais de dança informações que são necessárias para a formação do prof

    estabelecer relaçoes com os profissionais de dança de todo o pais.
    BA
    Ivana Delfino Motta
    Prática
    TABOAO DA SERRA
    (11) 4701-4126
    ivanamotta@yahoo.com.br
     Nesta oficina possibilitaremos a exploração de características individuais de movimento através de uma proposta de estudo das qualidades peso, tempo, fluência e uso do espaço. Com a utilização de pequenas seqüências coreográficas, e momentos de pesquisa e improvisação, a proposta é encontrar a dança de cada corpo, e instrumentalizar a criação de pequenas seqüências coreográficas individuais ou coletivas, explorando o potencial expressivo.


    Ainda promoveremos a relação, atenção e a observação do seu próprio corpo e o do outro, as interrelações possíveis e um estudo do corpo em suas características físico-antômicas (estruturas ósseas e musculares; o alinhamento e uso das mesmas no movimento), sempre aliado ao uso da respiração, buscando fortalecimento e organização do corpo.



    Esta oficina é direcionada a pessoas que queiram investigar as possibilidades de movimento do seu corpo, ampliando seu repertório pessoal. (a partir de 15 anos, sem limite de idade)


     

    Sala ampla, com boa ventilação e chão adequado para dança (madeira ou linóleo)




    Aparelho de som com toca cds (ou entrada auxiliar)



    SP
    Ivis love
    Uberlândia
    bboy.ivislovegrc@gmail.com
    É um curso voltado a Dança ... desenvolvi um método próprio de aula onde mostro o real estudo da dança, a real dança de rua ( que quase ninguém realmente conhece ) baseado em estudos e vivências com ícones que participaram ativamente do desenvolvimento da própria, visa despertar o sentimento, para se possa alcançar um fluir de técnicas e criações que permite as pessoas estarem levando suas vidas em sua dança . colocando para as pessoas envolvidas sobre originalidade, uma personalidade própria que é fundamental para todos. 
    Caixa de som amplificada , com entrada para pen drive, ou som com a mesma entrada, sala com chão liso e antiderrapante ( paviflex, paviflor ,dercoflex )
    e se preciso uma aula teórica , um projetor , com uma tela.
    agua para os alunos.
    MG
    Jacqueline Navarro
    Técnica
    PORTO ALEGRE
    (51) 3344-8831
    (51) 3044-8717
    jqnavarro@yahoo.com.br
     

    O Projeto Dança para todos envolve pessoas que vão da faixa etária dos 4 aos 80 anos de baixa renda,moradores da cidade de Alvorada.

    É realizado no Ginásio Municipal e em locais descentralizados para que todos tenham acesso.Trabalho que envolve profissionais de dança e pedagogia.

    Tem como objetivo inserir através da dança as pessoas de baixa renda dentro do contexto social melhorando sua auto-estima.

    Aparelho de som
    CDS
    Roupas de dança  para aula


    -


    RS
    JANAINA SANTOS DE OLIVEIRA
    Prática Teórica Técnica
    (81) 3543-3463
    JANAINASPE@HOTMAIL.COM

    Objetivo Geral:

     

    O Fórum de Cultura é um espaço de proposição de políticas públicas, articulação, mobilização, apoio mútuo e fortalecimento dos grupos, manifestações artísticas e atividades culturais de Igarassu.

     

     

    Objetivos Específicos:

     

    Propor políticas públicas ao poder público de desenvolvimento das atividades artísticas em Igarassu;

    Desenvolver e/ou elaborar pesquisas ou documentos de registro da cultura local;

    Possibilitar em parceria ou realizar a capacitação dos agentes culturais da cidade;

    Acompanhar as atividades culturais realizadas por grupos, companhias e manifestações populares;

    Debater os principais assuntos no que diz respeito à cultura no município;

    Articular e mobilizar o debate sobre a criação do Conselho Municipal de Cultura;

    Fortalecer a relação entre os agentes da cultura gerando uma rede de apoio mútuo.

     

    Quem participa do Fórum:

     

    Os membros do Fórum de Cultura de Igarassu são aquelas pessoas que representam alguma instituição ou atividade artística de cunho cultural, que preserve a nossa ancestralidade ou agentes culturais e companhias de arte contemporânea que dialoguem diretamente com as nossas manifestações populares.

     

    Poderão participar também indivíduos que se identifiquem com a causa do Fórum, técnicos em arte, pesquisadores ou funcionários públicos que representem algum dos órgãos do governo municipal.

     

    O Fórum é composto das seguintes entidades, manifestações e agentes da cultura popular: NORTESS CIA. DE DANÇA, GRUPO TEATRAL ARIANO SUASSUNA, CONTRAPASSOS-DANÇA DE SALÃO, GRUPO MULUNGU TEATRO DE BONECOS E ATORES, GRUPO OFICEN, GRUPO DE TEATRO DE BONECOS Q-RISO, COMPANHIA OS MELHORES DA PRAÇA, ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA DE IGARASSU, RALA COCO MARIA, MOVIMENTO VALVULADO, INSTITUTO HISTÓRICO DE IGARASSU, MARACATU ESTRELA BRILHANTE, BANDA MARCIAL SANTOS COSME E DAMIÃO, ORQUESTRA OURO E PRATA             E QUADRILHA JUNINA ACONCHEGO.

     


    JANAINA SANTOS DE OLIVEIRA
    Prática Teórica Técnica
    (81) 3543-3463
    JANAINASPE@HOTMAIL.COM

    Apresentação

     

    O Projeto Novos Brincantes é desenvolvido pela NORTESS Cia. de Dança desde janeiro de 2010, dentro da programação das atividades do Centro de Artes e Cultura Poeta Manuel Bandeira. O Projeto é apoiado pelo Fórum de Cultura de Igarassu e pela Escola Estadual Santos Cosme e Damião.

     

    Infelizmente, o Projeto não recebe nenhum tipo de apoio financeiro, mas funciona semanalmente desenvolvendo aulas de dança popular para crianças, adolescentes, jovens e adultos da cidade. Através da NORTESS os alunos do projeto já se apresentaram por diversas vezes em blocos de carnaval, projetos sociais e feiras de cultura e artesanato.

     

    Atualmente a NORTESS Companhia de dança tenta se colocar nos principais festivais, concursos e mostras de dança do estado e do país, representando a cultura e o povo Igarassuense, mas por falta de apoio financeiro o desenvolvimento que tanto se espera acaba ficando em segundo plano.

     

    Por isso, este ano pretendemos ampliar nossas atividades, contando com o apoio e a parceria de empresas, indústrias, empresários e comerciantes locais para que possamos dar sustentabilidade as nossas atividades  artísticas e culturais e produzir diversas ações na busca da realização de nossos objetivos.


    Janaina Veloso de Araujo
    Prática
    ARACAJU
    (79) 3222-6756
    (79) 3223-3444
    janavelo@hotmail.com

    Corpos que se mexem, é uma oficina de dança que tem como principal elemento o respeito aos limites do corpo de cada participante, e que através da música, do movimento, vai revelando onde esse corpo pode chegar. Preocupando-se não apenas com o corpo, mas também com a mente, o bem estar. Através de algumas técnicas de dança moderna, afro e outras faremos visível a dança livre, onde a expressão será nossa maior preocupação.

    - Sala ampla, ventilada
    - Som pra música digital
    - Barra
    - Espelho

    SE
    Jane Lena Moreira de Oliveira Brito
    Prática
    BELEM
    (91) 3231-3232
    (91) 8169-2417
    janelenab@bol.com.br
    A dança do ventre é a educação da nossa sensualidade.É a busca e realização da feminilidade em cada mulher.Uma terapia dinâmica mergulhada no interior em busca da auto-expressão.Uma Iniciação a dança ancestral onde os movimentos partem do conhecimento íntimo do corpo, dos sentimentos e das energias femininas da maternidade e erotismo saudável e sem culpas.
    Resgatar a verdadeira essência desta arte milenar "sagrada" através de todo o seu processo histórico, proporcionando ao mesmo tempo conhecimento bio-psico-social em direção aos inúmeros benefícios que esta dança pode fornecer a quem praticá-la.
    PA
    Jean Frank da Silva
    Prática Teórica
    Natal
    (84) 8846-7996
    distribuidoraqualificart@hotmail.com
    Inclusão das diferentes deficiencias em uma apresentação musical.  A oficina contemplará a comunidade do assentamento Anatália de Souza Alves pertencente ao bairro Guarapes em Natal/RN.
    Figurino, Iluminação e som.
    RN
    Jefferson Araujo
    Prática Teórica Técnica
    São Sebastião de lagoa de roça
    8386722358
    8386425048
    jefersonbboysnoop@gmail.com


    PB
    Joao Carlos Elias
    Prática Teórica Técnica
    MACEIO
    vandersonpaulista78@hotmail.com
     

    O Break foi criado em meados dos anos 70 pelos americanos, para ser mais exato no broklim.

    Para diminuir e até eliminar a violência que assolava as ruas na época. Através de saltos, giros, quebradas de corpo o break leva sua historia dentro do hip hop no mundo.

    Ao chegar ao brasil tomou sua própria roupagem, onde hoje é um instrumento importante na inclusão social e auto estima dos menos favorecidos.

     

    Local apropriado / som / lanche / telão /dvd / agua / transporte/ retroprojetor / informativos.

    AL
    Joao Carlos Elias
    Prática Teórica Técnica
    MACEIO
    vandersonpaulista78@hotmail.com


    AL
    Jomar Mesquita
    Prática
    BELO HORIZONTE
    (31) 3295-5213
    (31) 3295-4367
    mimulusjomar@uol.com.br

    A Mimulus Cia de Dança desenvolve há vários anos um trabalho de composição coreográfica de forma coletiva na composição de seus espetáculos. Este trabalho possui características bastante peculiares que ajudam na eficiência do processo criativo em grupo.

    conhecimento técnico intermediário em diferentes estilos de danças de salão.
    MG
    José Eremito Nunes
    Prática
    (79) 3213-7023
    ere_danca1@yahoo.com.br
    O movimento  como descobrimento de um objetivo na vida.
    Uma sala ampla.
    José Ricardo Francisco da Silva
    Prática Teórica Técnica
    PAULISTA
    (81) 3431-4691
    (81) 8675-4961
    ricardo_fracisco25@yahoo.com.br

    Nascida há quatro anos, a Academia Explosão de forró é dona de uma grande aptidão no estilo musical que representa o nordeste em todo o país: o forró. Os 40 alunos da escola de dança se dedicam ao pé-de-serra, estilizado e vaneirão realizando apresentações por meio de coreografias variadas na Primeira Capital da Cultura do Brasil: Olinda.

    O trabalho começou com um dançarino apaixonado pelo ritmo, José Ricardo Francisco da Silva, que decidiu fundar uma escola de dança na Terceira etapa de Rio Doce. No começo, Ricardo tinha apenas uma aluna, já esta convidou mais duas amigas e hoje o grupo conta com mais de 40 componentes, sendo 30 profissionais. As aulas, gratuitas, eram realizadas duas vezes por semana, mas por falta de tempo dos professores, foram transferidas, através do projeto Escola Abeta, para os sábados e domingos, Atualmente, os ensaios continuam, de graça, nos fins de semana e nas terças e quintas-feiras, na Academia All Esporte, em Rico Doce.

    Aulas serão aos sabádos e Domigos, um Som  vestuario,água mineral uma Renda para os estrutores e ETC.
    PE
    JOSINALDO DE FARIAS FLORES
    Prática Teórica
    JOÃO PESSOA
    (83) 3612-2821
    (83) 3612-2820
    josinaldoflores@hotmail.com
    As oficinas de Danças Populares Nordestinas, envolve o universo dos ritmos do Arrasta pé junino, Baião, Ciranda, Cocos, Xaxado, e Xote, voltado para o universo dos coreógrafos de grupos folclóricos, ballet popular, danças contemporâneas e para professores de artes em escolas públicas. A oficina conta com três dias de oficinasas, onde cada dia terá uma duração de 6h/a com um intervalo de meia hora. Sendo 3h/a para cada ritmo trabalhado. Cada oficina, comportará no máximo 30 pessoas. 
    Sala ampla e bem arejada;
    Microfone auricular;
    Caixa de som;
    Data show;
    Certificação.

    PB
    Juliana Bittencourt Manhães
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2255-1717
    (98) 8137-3089
    manhaes.ju@gmail.com

    Brincante é aquele que dança, canta e toca. Vive a brincadeira como matéria prima. A oficina oferece uma vivência corporal e rítmica, integrando a consciência corporal e dinâmicas de improviso, a partir do intercâmbio entre movimentos contemporâneos e folguedos brasileiros, com jogos em roda e cordão. Abordaremos danças e histórias de festas da nossa cultura popular, misturando a dança, ritmo e canto.

    Sala ampla com chão liso.

    Aparelho de som com cd.

    Televisão com DVD.

    RJ
    Jussara Miller
    Prática
    SAO PAULO
    (19) 3287-8861
    jussaramiller@terra.com.br
     

    O curso propõe a exploração dirigida do movimento com noções de espaços articulares, apoios, oposições ósseas, alinhamento do esqueleto, uso apropriado da força, do peso e da energia para gerar movimentos no processo de construção do corpo cênico.


    Público alvo: bailarinos, atores e estudantes interessados na pesquisa do movimento consciente e expressivo.

    Sala adequada para trabalhos corporais com piso de madeira e CD player.
    SP
    karine dos santos sterque
    Prática Teórica Técnica
    rio de janeiro
    (21) 2482-3839
    (21) 8700-0634
    sterques@ig.com.br
    Tem como objetivo propiciar um estudo reflexivo sobre o processo de construção da critividade através da expressão do corpo ,estimular o processo criativo através de objetos , pensamentos ... por meio de variadas formas de se expressar através do movimento.
    A oficina conta com um programa de  estudo sobre desconstrução do movimento, processo criativo , intensão e fluxo do movimento, baseando-se na influência das danças urbanas e suas matrizes culturais
    espaço físico e som
    Karla Maria de Oliveira Pinto
    Prática
    SAO GONCALO
    (21) 2712-5556
    bodykarla@ig.com.br

    Este projeto visa aulas para crianças de escolas públicas tirando as crianças do ócio após o final das aulas. Ao final as crianças participarão de um espetáculo voltado para o encerramento do projeto com platéia, cenário e tudo que forma um espetáculo.

    - Som

    - Barra móvel

    - Linóleo

    - Espaço físico amplo e arejado

    RJ
    KASSIA RODRIGUES
    RIBEIRÃO CASCALHEIRA
    (66) 9647-7738
    (66) 9979-5369
    aculturanasceaqui@hotmail.com
    A oficina é com base no equilibrio do corpo e a diversidade de músicas, sendo coreografia e movimentos espontaneos.
    Espaço Adequado
    Som
    Elastico comum
    balões
    MT
    KASSIA RODRIGUES
    RIBEIRÃO CASCALHEIRA
    (66) 9647-7738
    (66) 9979-5369
    aculturanasceaqui@hotmail.com
    Ofina para ensinar grupos folclóricos a Dançar Quadrilha.
    Passos solos femininos e masculinos e passos em grupo.
    Construção de Figurino (aula expositiva)
    Montagem de músicas do ciclo Junino
    Espaço Adequado
    Som

    MT
    Kassia Rodrigues Barros
    Prática
    Ribeirão Cascalheira
    (66) 9942-5092
    aculturanasceaqui@hotmail.com
    A oficina começa com uma apresentação do que é dançar quadrilha junina e os significados do mundo junino (bandeirola, fogueira, mandacarú). A importância do cantar, dançar e interpretar ao mesmo tempo.
    Postura.
    Leveza.
    Compassos
    Passos tradicionais
    Coreografia
    Interpretação  de músicas. 
    Precisa para fazer a oficina data show, equipamento de som, microfone e local de no minimo 20mx20m para executar a oficina.
    MT
    Katia Cupertino
    Prática
    BELO HORIZONTE
    (31) 3413-7901
    katiakupertino@hotmail.com
    A oficina de "danças brasileiras- uma proposta para se pensar e dançar a nossa memória coreográfica" tem como objetivo oferecer vivências práticas das diversas manifestações de danças populares brasileiras, estabelecendo uma relação entre as nossas raízes e sua diversidade de leituras.
     


    No mínimo: 20 alunos

    Espaço apropriado para a prática de atividades corporais.

    Um cabo de vassoura para cada integrante.

    01 Aparelho de som e dvd.

    valor da hora aula: a combinar.

    MG
    Lara Orlow
    Prática
    ITAPETININGA
    lara_kalin@hotmail.com

    O povo cigano, enquanto nômades, passaram desde o Egito antigo, até os modernos continentes, atravessando a Península Ibérica chegando à Europa e daí para o resto do mundo. Nessa caminhada absorveram as diferentes culturas, integrando-se à sociedade na qual tentavam participar. Apesar de intrigarem as pessoas com sua mágica forma de viver a vida em liberdade, foram coadjuvantes importantes na estruturação da história como a conhecemos hoje. Bandidos ou mocinhos? Apenas um povo errante, em busca de sua posição na sociedade atual.

    Salão, com medida mínima de 20m²

    Aparelho de som para CD

    Banheiros com local para a troca de roupas

    Equipamentos necessários para cada uma das alunas aprenderem todas as modalidades de dança cigana, quais sejam: kit de dança cigana - véus, leques, pandeiros, fitas multicoloridas, xales, lenços e cestos com flores artificiais, saias rodadas em godê e multicoloridas.

    SP
    Lean Silva Santos
    Prática Teórica Técnica
    São Paulo
    1123724480
    1123724480
    producaoagbarayorubahiphopsty@gmail.com

    O Projeto Hip Hop e Cidadania têm por objetivo oferecer ao público infanto-juvenil o contato com uma cultura de paz, solidariedade e cooperação de forma a promover o comportamento social, a capacidade de autonomia do “construir-se a si mesmo” de forma justa e responsável como um ser em um mundo social, interessado em compreender e transformar a sua realidade.

     Nas oficinas de trabalhos os participantes poderão aprender técnicas de introdução ao graffiti e técnicas de dança de forma criativa e prazerosa

    Aparelho de som,CDs

     Sala ambiente com piso liso (se possível com espelho)
    SP
    Leônidas Portella
    Prática Teórica
    SAO LUIS
    (98) 3222-8298
    (98) 8123-1869
    danca_teatro@hotmail.com
     

    A Oficina de Dança-Teatro ministrada por Leônidas Portella é uma proposta de que visa sensibilizar os intérpretes através do processo criativo de uma obra, ampliando a valorização da pesquisa e investigação do movimento, aguçando o senso crítico para a dança.


    Experimentar aspectos e estruturas do aprendizado do movimento e possibilidades de vivenciar a dança em si, através de constantes exercícios criativos improvisacionais e composições coreográficas para o reconhecimento de suas possibilidades expressivas são princípios que regem esta proposta.




     



    Aparelho de Som



    MA
    Letícia Pereira Teixeira
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2527-4065
    lpt@wb.com.br
     

    Como discípula direta de Angel Vianna e com uma convivência de mais de 30 anos venho oferecer um curso que pretende apresentar os principais elementos desenvolvido no trabalho corporal proposto por Angel Vianna. Por meio dos elementos: o osso (direção óssea), a pele (toque) e a articulação (mobilidade) o corpo será aprimorado, sensibilizado e despertado para manifestar a expressão, a habilidade e a singularidade própria de cada um.

    Aberto a qualquer público seja na área de artes cênicas ou não.

    Um espaço amplo, limpo e com aparelho de som. Como se faz uso direto com o chão é necessário mantê-lo aquecido. 
    RJ
    Leticia Sekito
    Prática
    SAO PAULO
    (11) 3812-1718
    lsekito@uol.com.br

    Convidamos os participantes da oficina a experimentarem algumas estratégias de criação que foram utilizadas no decorrer do processo de criação dos trabalhos da Companhia Flutuante: "Disseram que eu era japonesa", “E eu disse:” e "O Japão está aqui?" , com orientação da coreógrafa e dançarina Leticia Sekito.

     

    Há um interesse em descobrir a plasticidade e a possibilidade do corpo transitar por estados de identidade diferenciados. Surgem algumas questões a serem abordadas na oficina:

     

    Como construir esse corpo-imagem em movimento?

    Quais ações ou situações físicas podem caracterizar cada estado de identidade?

    Como podemos escolher as relações entre a intenção, a imagem e a ação do corpo com intensidades diferenciadas?

     

    Vamos trabalhar na primeira parte do encontro com explorações e improvisações para afinar a atenção e estimular a percepção do corpo no espaço-tempo, a relação do participante com seus espaços corporais internos, a relação do seu movimento com o espaço-tempo e simultaneamente o seu corpo com os outros corpos. Na segunda parte de cada encontro, vamos entrar mais especificamente na questão da possibilidade de transitoriedade de identidades do corpo, contando com o potencial criativo de cada um. Vamos sugerir também algumas estratégias de criação coreográfica, além de mostrar em DVD trechos ilustrativos do trabalho da companhia.

     

    Este workshop é destinado a pessoas que se interessam em trabalhar seu corpo na dança com autonomia e curiosidade criativa.

     

    Público: estudantes e profissionais dançarinos, atores, performers que se interessem pela proposta.


    Faixa etária: a partir de 15 anos a adultos


    Numero máximo de participantes: 20 (conforme área destinada ao workshop).

    - Chão de madeira ou linóleo próprio para dança

    - Aparelho de som para CD

    - Área mínima de 7mx8m


    Material para a oficina:

    - 20 metros de conduite amarelo

    - Papel A4 reciclável

    SP
    Lica Martins schamann
    Prática
    novo hamburgo
    (51) 3035-1561
    (51) 3527-1868
    lica_schamann@hotmail.com
    Trabalho de pesquisa que vem sendo realizado desde 1992, com  o objetivo de buscar caminhos mais saudáveis na utilização do instrumento corpo,com menos desgaste articular,mais resultado de força muscular com menor numero de repetições[exometria] e ampliação dos espaços  nas articulações,tomando consciência da sua importância para desenvolver a ampla capacidade do corpo em se expandir em diversas direções.Como o corpo se comunica através de sinais ,nos alertando para prestarmos atenção de como lidamos com ele diariamente,pois ele e sábio e perfeito.Respiração,dinâmica,linguagem corporal,pausas e movimentos,intensões,ritmo,observações  individuais do instrumento e 9 elementos de base para movimentação do mesmo.Pode ser ministrado para iniciantes,intermediários e profissionais,[em horários diferentes].serve para atletas,bailarinos,atores e pessoas em geral...[devem ser trabalhados separadamente ,por necessidades , objetivos e interesses diferentes que cada grupo prioriza na sua modalidade.
    Sala ampla e arejada,com luminosidade adequada,som de qualidade na utilização de cds ou computador,colchonetes,bastões,linóleo,espelhos,barras.......................COMPLEMENTOS:Bolas,elásticos,pano para tapar espelhos;carrinhos de madeira[para massagem]bolinhas de tênis;
    RS
    Lincoln Luiz Lattari
    Prática Teórica
    (14) 3325-3173
    lincolnlattari@yahoo.com.br

    "Dança uma proposta de vida" é mostrar de que forma podemos mostrar movimentos de dança sem técnica de dança, explorando o corpo conhecimento. Aprendizagem para crianças adultos, na silueta da dança com movimentos livres e técnicos, criação e montagem de coreografias através da expressão corporal, criatividade, etc.

    - Sala de aula

    - Aparelho de som

    - Espelho

    - Horários

    Lívia Uhlmann
    Prática
    Almirante Tamandaré
    (41) 3047-4012
    liviauhl@hotmail.com
    A Dança Contemporânea possui grande ligação com o teatro e pode proporcionar ao ator o desenvolvimento da sua capacidade de atuar com o corpo. Proporcionar a descoberta de uma expressão própria e das facilidades e fragilidades corporais de cada aluno, explorando alguns aspectos do movimento.
    Espaço com piso próprio para dança (não necessito de espelhos), caixa de som para conectar ao notebook, cartazes A4 para divulgação.
    PR
    LOUISE FHAEDRA DA SILVA PEREIRA
    Prática Teórica
    brasilia
    61991736208
    louisefhaedra2@yahoo.com.br
    TREINO TEÓRICO E PRÁTICO DO MÉTODO DANCEBODYTRAINING. ESSE MÉTODO UNE FUNAMENTOS DO KARATE COM ALGUMAS TÉCNICAS DO BALLET CLÁSSICO. MELHORA A FLEXIBILIDADE E O CONDICIONAMENTO FÍSICO DOS PARTICIPANTES, FAZENDO EXERCÍCIOS INOVADORES E QUE DESAFIAM A CONSCIÊNCIA CORPORAL DOS ALUNOS. 
    SOM E MICROFONE
    DF
    luan carlos dos santos
    Prática
    SÃO PAULO
    (11) 5673-0538
    bboy_san_zl@hotmail.com

    objetivo das aulas de Breaking, ajudar a abrir a mente das crianças para o mundo da cultura, eu quero que todas as crianças e adolescentes conheçam a dança como ela realmente é, e com isso incentivar elas para a cultura artística, fazer apresentações, participar de competições para maior incentivo, tudo isso para que elas possam ter algo para ocupar o dia a dia e não se envolverem com as coisas erradas.


    Muitas pessoas só precisam de uma oportunidade pra poder ser alguém que realmente tem por dentro e não ir pela cabeça de outros colegas, com o projeto iram perceber o quanto é bom dançar, também conhecer como foi e mudou a minha vida desde quando comecei a dançar, estarão após uns dias a interagir muito com seus pais, poder chegar em casa e mostrar o que elas aprenderam poder transmitir para seus pais o que elas estão sentindo e se divertir além de aprender, conhecer a história da dança de onde ela começou em outros países, pois a arte de dançar Breaking não é só treinar, e sim participar de competições, dançar nas rodas dos eventos de break, viajar para ser jurado e dar workshop  quando já tiver uma experiência, e o mais importante conhecer a vida e o costume de outros bboys e bgirls de todos os lugares.

    Nesta nossa observação cultural para os jovens , favoreço com o meu projeto a conhecer experiência de vida de cada pessoa, com isso crescendo muito mais as minhas aulas podendo explicar para todos qual a verdadeira essência de dançar, com isso não vou só ensiná-los mais vou aprender muito também, pois são trocas de informações, perguntas, pesquisas, atividades e etc.

    Meu projeto tem um diferencial muito grande que traz o assunto principal chamado Breaking que foi destinado no bronx na década de 70´s, por meio deste diferencia-se muito de qualquer outro projeto, pois outros falam de danças clássicas, contemporâneas algo que não tem muito a entrar na periferia e pessoas carentes, dentro da comunidade de hoje temos é um estilo musical muito ofensivo chamado funk e queremos tirar esse estilo musical de crianças e adolescentes, mostrando-lhes o que é funk de verdade pois veio do James Brown o verdadeiro cantor de Original funk soul, este projeto tem lugar para a comunidade, para todas as crianças poderem se expressar e se divertir e querer se aprofundar mais e mais pelos movimentos difíceis e incríveis que o breaking tem.

    A importância do meu projeto para a comunidade é que as pessoas possam se interessarem mais para frequentarem teatros, ler documentários, assistir a vídeos, ir a eventos de dança e musica, além de excelente diversão, todas essas opções são ótimas fontes de informação, contendo sempre palestras e demonstrativos de para que serve tal cultura e com isso eles vão aprender a ter mais disciplina onde mora, e contudo ter humildade pois eles só vão conquistar seus objetivos e respeito sendo humildes em sua casa, escola e onde sempre estiverem, assim todos vão aprender como lidar com a sociedade, e a cidade vai poder ver o desenvolvimento dos jovens em apresentações pela cidade, com isso toda a comunidade vai conhecer o projeto e se interessar cada vez mais depois que elas verem o desenvolvimento deles.

    SP
    luan carlos dos santos
    Prática
    SÃO PAULO
    (11) 5673-0538
    bboy_san_zl@hotmail.com

    objetivo das aulas de Breaking, ajudar a abrir a mente das crianças para o mundo da cultura, eu quero que todas as crianças e adolescentes conheçam a dança como ela realmente é, e com isso incentivar elas para a cultura artística, fazer apresentações, participar de competições para maior incentivo, tudo isso para que elas possam ter algo para ocupar o dia a dia e não se envolverem com as coisas erradas.


    Muitas pessoas só precisam de uma oportunidade pra poder ser alguém que realmente tem por dentro e não ir pela cabeça de outros colegas, com o projeto iram perceber o quanto é bom dançar, também conhecer como foi e mudou a minha vida desde quando comecei a dançar, estarão após uns dias a interagir muito com seus pais, poder chegar em casa e mostrar o que elas aprenderam poder transmitir para seus pais o que elas estão sentindo e se divertir além de aprender, conhecer a história da dança de onde ela começou em outros países, pois a arte de dançar Breaking não é só treinar, e sim participar de competições, dançar nas rodas dos eventos de break, viajar para ser jurado e dar workshop  quando já tiver uma experiência, e o mais importante conhecer a vida e o costume de outros bboys e bgirls de todos os lugares.

    Nesta nossa observação cultural para os jovens , favoreço com o meu projeto a conhecer experiência de vida de cada pessoa, com isso crescendo muito mais as minhas aulas podendo explicar para todos qual a verdadeira essência de dançar, com isso não vou só ensiná-los mais vou aprender muito também, pois são trocas de informações, perguntas, pesquisas, atividades e etc.

    Meu projeto tem um diferencial muito grande que traz o assunto principal chamado Breaking que foi destinado no bronx na década de 70´s, por meio deste diferencia-se muito de qualquer outro projeto, pois outros falam de danças clássicas, contemporâneas algo que não tem muito a entrar na periferia e pessoas carentes, dentro da comunidade de hoje temos é um estilo musical muito ofensivo chamado funk e queremos tirar esse estilo musical de crianças e adolescentes, mostrando-lhes o que é funk de verdade pois veio do James Brown o verdadeiro cantor de Original funk soul, este projeto tem lugar para a comunidade, para todas as crianças poderem se expressar e se divertir e querer se aprofundar mais e mais pelos movimentos difíceis e incríveis que o breaking tem.

    chão de madeira ou marmori , sala com espelhos , um bom som .
    SP
    Luciana Bortoletto
    Prática
    SAO PAULO
    (11) 2893-5783
    danca@lucianabortoletto.com

    Através de jogos de movimentos, brincadeiras (com bolas, bexigas, tecidos e populares) e exercícios de sensibilização, a criança entra em contato com seu corpo e com a dança. Ela começa a expressar-se e relacionar-se na dança e nas brincadeiras, desenvolve sua criatividade, coordenação motora e atenção com o próprio corpo. A partir disso, trilha suas próprias descobertas.

    (para crianças de 05 a 07 anos).

    sala ampla e arejada com piso adequado para dança (madeira, linóleo ou similar);
    aparelho de som com CD ou entrada auxiliar;
    materiais de apoio como bambolês, colchonetes / colchões, bolas, bexigas;
    SP
    Luciana Bortoletto
    Prática Técnica
    SAO PAULO
    (11) 2893-5783
    danca@lucianabortoletto.com

    Estudo da técnica de dança contemporânea com base no reconhecimento da estrutura corporal e organização do movimento (coordenação motora).

     

    São realizados exercícios de alongamento e alinhamento ósseo, toque, peso, pressão e respiração.

     

    A dança é construída com o suporte da exploração de movimentos, improvisações dirigidas, seqüências e composições coreográficas.

    Tem em vista fortalecer, organizar o corpo e desenvolver potenciais expressivos. Promove a relação com o outro e o prazer de dançar.

    Oficina direcionada para iniciantes.

    - Sala ampla e arejada

    - Piso adequado para dança (madeira, linóleo ou similar)

    - Aparelho de som com CD ou entrada auxiliar

    SP
    Luciana Bortoletto
    SAO PAULO
    (11) 2893-5783
    -2890
    arbowen@macomb.com
    Luciana Lambert
    Prática Teórica Técnica
    SAO PAULO
    (11) 5041-5222
    lulambert@terra.com.br
     

    Dança do Ventre: Uma arte a favor do corpo


    O curso de Dança Oriental – a Dança do Ventre - tem conteúdo abrangente, tanto prático quanto teórico. Visa a consciência do movimento e a saúde da mulher em seus aspectos físico, emocional e psíquico. Traduz uma ampla abordagem do tema.


    Primeiramente será ministrado um breve histórico sobre a dança oriental.


    Também sobre os temas específicos da aula quando estes forem introduzidos.


    Todas as aulas contarão com alongamento e preparação corporal.




    Programa das aulas:


    Curso Básico

    - Dança do véu;

    - Movimentos de ondulação; círculos e oitos;

    - Dança Balady – ritmo básico, popular egípcio;

    - Dança de chão;

    - Derbäk básico – dança que acompanha a “tabla” árabe.







    sala ampla e ventilada, equipamento de som.
    SP
    Luciana Lambert
    Prática Teórica Técnica
    SAO PAULO
    (11) 5041-5222
    lulambert@terra.com.br
     

    Tendo como base a Dança Oriental, por nós conhecida como a Dança do Ventre, este curso propõe aglutinar uma gama de movimentos de culturas diferentes da nossa – como a árabe, indiana, africana e espanhola, trabalhando também a consciência do movimento, do impulso e o uso do espaço.


    Serão aplicados os seguintes conceitos e linguagens de movimento:


    1 • método Ivaldo Bertazzo: leitura da postura, dos gestos e formas do corpo, buscando o funcionamento harmonioso do corpo e o respeito a sua tipologia, o equilíbrio de seus vários segmentos, a unidade e organização deles em torno de um centro.


    2 • Alongamentos e inversões da yoga – método Iyengar, desenvolvido pelas americanas Linda Sparrowe e Patrícia Waden.


    3 • movimentos de impulso, deslocamento e força da dança AFRO.


    4• movimentos básicos das danças árabes, indianas e flamencas, que trazem uma diversidade de ajustamentos ósteo-articulares, modelagens, harmonização das tensões musculares e manobras que associam contrações e estiramentos.


    O resultado será um modo funcional e personalizado de equilíbrio, harmonização e utilização do corpo integrado, consciente e adaptado às exigências do meio ambiente.

    Sala ampla e ventilada, equipamento de som.
    SP
    Ludmila Cecilina Martinez Pimentel
    Técnica
    SALVADOR
    (71) 3347-4627
    ludmilapimentel@hotmail.com

    Workshop que pretende investigar e favorecer a exploração coreográfica usando o software "Isadora", software este que permite a criação de peças de coreografia interativa em tempo real.

    - Câmera digital para captura em tempo real

    - Notebook Macbook ou Macbook Pro

    - Software Isadora instalado no computador

    - Projetor de vídeo

    - Espaço físico que permita a projeção dos resultados

    BA
    Luis Carlos Sores Nunes
    PORTO ALEGRE
    (05) 1337-2199
    carlosbatida@gmail.com
     


    1 - Público alvo do curso (assinalar as opções):


    ¨ Estudantes de dança x


    ¨ Professores de dança x


    ¨ Coreógrafos x


    Das 14h as 18h.


    2 – Descrever três pré-requisitos que o aluno deva preencher para acompanhar melhor suas aulas (incluir tempo de estudo).


    I. O aluno deve possuir noções básicas de Dança de Rua em geral , principalmente Free style Por mais de 2 anos de estudo.


    II. O aluno deve ter uma idade mínima em torno dos 12 anos;


    III. O aluno deve estar calçando tênis, roupas largas e folgadas e se possível, utilizar joelheiras para os exercícios de solo.



    3 – Descrever em tópicos o “Programa de Aula” (incluir linha de trabalho).


    Os professores que ministram cursos com níveis diferenciados (intermediário e avançado), deverão apresentar programas de aula específicos para cada nível.

     

    I. FASE PREPARATÓRIA – aquecimento geral com movimentos de grande amplitude muscular para uma elevação da freqüência cardíaca e seguido de alongamento estático.


    05 minutos.


    II. FASE PREPARATÓRIA – aquecimento específico com exercícios localizados de mobilidade articular seguindo uma ordem articular crânio – caudal ( pescoço , cintura escapular, coluna, cintura pélvica e assim por diante) .


    15 minutos.



    III. FASE PRINCIPAL – exercícios específicos ou especiais. Aonde o aluno aprende os exercícios, passos básicos, posturas, alinhamentos, direções e intenções necessárias para um bom acompanhamento das dinâmicas coreográficas;


    30 minutos.


    IV. FASE PRINCIPAL - ensino coreográfico de uma seqüência ou bloco que está pautada nos exercícios específicos aprendidos na parte inicial da aula. Do simples para o complexo em um processo didático pedagógico o aluno aprenderá a realizar de forma correta os movimentos desta rotina.


    40 minutos.

    AULAS TEÓRICAS [ video aula ] – Histórico das Danças de Rua, mais precisamente Locking , Popping,Free Style ,influencias , situação atual da dança de rua no país.


    1h 15 minutos.

    Dinâmicas de grupo, laboratórios coreográficos e apresentações de pequenos grupos.


    40 minutos.


    VII. Sessão de improviso – nesta parte o aluno aprende a improvisar através dos passos ensinados, dando assim mais liberdade de expressão .


    40Minutos.

    VIII. Relaxamento final ou Volta a calma .


    5minutos.






    Tv,dvd,Telão e projetor.
    RS
    Luiz Fernando Porfirio de Padua
    Prática Técnica
    RIO CLARO
    (19) 3536-4859
    zulu-kam@hotmail.com

    Desenvolver aulas focadas nos estudos dos passos primários da dança e suas variações. Noções de uso do espaço para deslocamento, formas de impactos corporais na dança, musicalidade e diversidade musical utilizada dentro dança.

    - Espaço com espelho frontal
    - Chão de madeira, liso e/ou linóleo
    - Aparelho de CD e/ou mp3

    SP
    LUIZ GILMAR DE CASTRO FURTADO
    Prática
    São Thomé das Letras
    (35) 9858-7769
    (35) 9957-9164
    LUIZHLERA10@HOTMAIL.COM

    O espaço da H-LERA, iniciou suas atividades dia 06 de agosto de 2013 no CRAS-Centro de Referência a Assistência Social como um projeto piloto para atrair os adolescente, jovens e adultos atendidos pelos programas sociais do município  de São Thomé das Letras . H-LERA é um projeto voltado para  atrair este publico  e direcioná-los para as praticas da dança. São desenvolvidas  dois tipos de oficinas. Da seguinte forma: segunda e quarta feira das 16 as 19:00 horas ensaios e treinos do grupo STREET DANCE com o oficineiro Maycon e terça e quinta feira  das 16 as 19:00 acontecem os treinos de  B’BOYS’ com o oficineiro Mailson. São Thomé da Letras é um município rico em diversidade cultural onde a identidade local mistura-se com as características dos visitantes e do novos moradores que trazem consigo seus estilos e dialetos.A adolescência, como é sabido, é um período de auto descoberta e todo este choque cultural pode aflorar ainda mais  incertezas nestes jovens. Percebemos ao longo das atividades que a dança além trabalhar a parte física também trabalha inúmeras característica, segurança em si e entrosamento em um grupo.A dança quando trabalhada de forma seria e bem planejada consegue benefícios satisfatório. Hoje passam pelas oficinas mais de 30 jovens que estão comprometidos com a dança.

    Data show, caixa de som amplificada de alta potencia,notebook, encerado/linolio, equipamentos e acessórios de proteção para a pratica da dança de rua.
    MG
    Luiza Viegas
    Prática
    SAO PAULO
    (11) 5561-0857
    (11) 5044-1557
    luizaviegas@terra.com.br
     

    Todo corpo dança


    Seu Corpo


    Sua Dança




    Nossos corpos são plenos de possibilidades dançantes e de expressão.


    A educação e a necessidade de cumprir nossos papéis sociais vão tolhendo essas possibilidades e acabamos por carregar corpos (com)formados, defendidos e limitados por tensões das quais já nem nos damos conta.


    Tomar consciência do corpo é torná-lo presente, pronto para experenciar o mundo e a dança.


    Perceber e respeitar os limites naturais (ou construídos e nutridos vida afora) de seu corpo. Respeitar para conhecer, conhecer para passar da possibilidade à ação.


    Ação e observação. Observação para a ação.


    E assim se constrói dia a dia sua dança.


    _______________________________________________





    Essa oficina se propõe a um público diversificado, a partir de quatorze anos, sem limite de idade. Qualquer pessoa que esteja disposta a (re)descobrir o seu corpo dançante (aquele que toda criança tem e que as máscaras sociais vão tolhendo ao longo da vida) e que esteja disposto a prestar um pouco mais de atenção em si mesmo, é bem vinda; atores, estudantes, engenheiros, donas de casa, advogados, aposentados,médicos, cibernéticos, bailarinos...



    _________________________________________________________________






    ALGUNS ELEMENTOS A SEREM TRABALHADOS NA BUSCA DA CONSCIÊNCIA CORPORAL



    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->o peso dos ossos – perceber os diferentes pesos de cada parte do corpo, a partir dos ossos


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->articulações – como e onde os ossos se articulam, perceber, “amaciar” e “azeitar” essas articulações a fim de conseguir o movimento mais solto e amplo


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->apoios – diferentes apoios gerando diferentes posturas e sensações, a ligação desse apoios gerando o movimento


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->impulsos – como é originar o movimento de diferentes partes do corpo? como o restante do corpo reage a esse impulso?


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->alavancas – a idéia de que é necessário o encaixe correto dos ossos e uso de oposições musculares e não força (no sentido de tensões desnecessárias) para executar os movimentos.


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->memória corporal - nossos corpos trazem em si memórias traduzidas em posturas e movimentos condicionados; acessar essas memórias afim de uma desejável ampliação de possibilidades de movimentos


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->auto massagem e troca de massagens - conhecimento do corpo através do tato, do tocar e ser tocado



    O corpo no espaço



    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->trabalhar as diferentes direções e planos


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->o corpo que traça linhas retas e curvas


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->o movimento em espiral


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->o movimento largo, normal ou pequeno



    O corpo no tempo



    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->diferentes ritmos – lento, normal e rápido


    <!--[if !supportLists]-->· <!--[endif]-->o corpo produzindo sons e ritmos



    Os exercícios são em sua maioria lúdicos, com uso de imagens (imaginação) como ponto de partida. A observação é trabalhada constantemente; observação das sensações, das reações de seu corpo aos estímulos, ao entorno, à musica, ao outro. Conhecimento e respeito aos seus limites, tanto naturais, quanto os construídos (e nutridos) vida afora.


    O objetivo não é virtuosismos ou reprodução de “belos” movimentos e sim que, através do reconhecimento de seus limites esses possam ser ultrapassados e pelo conhecimento do próprio corpo chegue-se à execução de movimentos realmente belos, porque presentes.

     Sala ampla, com chão adequado ás atividades de dança.

      Aparelho de som, com toca CD

     

    Obs: A depender da  verba disponível seria muito enriquecedor o acompanhamento das aulas por músico percussionista ao vivo
    SP
    Manon Toscano Lopes Silva Pinto
    Prática Teórica
    SALVADOR
    32401212
    32058865
    manonlopes@yahoo.com.br
    A partir da proposta de uma educação transdisciplinar para o desenvolvimento humano, o curso pretende trabalhar o auto conhecimento colocando como ícone do processo: "a arte de aprender" através da dança educativa, embasada na dança-teatro para um público diversificado e sem experiência com dança.
    folder / cartaz / jornais / lenços / máscaras / bexigas / som / multimídia / TV / DVD /
    BA
    Marcela Levi
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    marcelalevi@hotmail.com

    Partindo do treinamento físico, originalmente, estruturado pelo diretor de teatro Polonês Jerzy Grotowski serão trabalhadas questões relacionadas à presença do performer, através das seguintes premissas: a diminuição do lapso de tempo entre o impulso gerado pela imaginação e seu resultado em ação; a construção de um corpo que age em relação, ou melhor, reage e a (re)descoberta da organicidade de cada corpo.


    O trabalho se dará de forma coletiva, ou seja, todos habitarão concomitantemente o espaço, através de uma partitura de ações: caminhadas, corridas, exercícios de salto, força, equilíbrio e alongamento; colocando em jogo as seguintes questões: Como ocupar coletivamente um espaço? Como observar o outro e a si mesmo ao mesmo tempo? Como povoar, dar corpo-presente ao movimento?


    Público alvo: artistas, estudantes e interessados.

    sala com piso de madeira de ao menos 8X8

    RJ
    Marcela Levi
    Prática
    Rio de Janeiro
    improvavelproducoes@gmail.com
    A partir da estrutura de treinamento físico criada por Jerzy Grotowski, Marcela Levi – performer, bailarina e coreógrafa - ramifica numa visão particular essa estrutura procurando investigar pontos específicos de performers, bailarinos e atores em relação ao movimento.
    Um enfoque que tem como objetivo dar ao performer a possibilidade de investigar o uso de seu corpo a serviço de sua imaginação e de seus sentidos, acessando assim outras qualidades físicas.

    Os exercícios que compõem este treino são elaborados visando eliminar obstáculos e resistências que bloqueiam o corpo, diminuindo, portanto, o lapso de tempo entre o impulso gerado pela imaginação e seu resultado em ação. Assim o performer redescobre sua organicidade, ou seja, um equilíbrio entre espontaneidade e precisão.  

    Elementos do treinamento físico

    O princípio do treinamento é o de que nada pode ser feito mecanicamente, o que significa que cada exercício deverá ser impulsionado por imagens, associações, memórias e intenções.

     

    Pontos trabalhados no treinamento:


    . Relação com o espaço e com os outros.

     
    . Qualidades dínamo-rítmicas

     
    . Exercícios de salto, força, equilíbrio e alongamento


    . Exercícios plásticos e acrobáticos.

     

    sala com piso de madeira, com dimensões de aproximadamente 10x10m. Caixa de som ativa.

    RJ
    Marcelo Cirino
    Prática Teórica Técnica
    SANTOS
    (13) 3299-1698
    (13) 3226-8000
    cirino@dancaderua.com.br
    O curso visa desenvolver a movimentacao tecnica, para profissionais interessados em lecionar ou coreografar, enriquecendo o conhecimento com nocoes basicas,com embasamento tecnico e didatica para facilitacao do aprendizado.Explorando todos os segmentos que abrangem o universo do hip hop.

    Sala com carpete de madeira, som compativel com o local, espelho no local e dvd a disposicao.
    SP
    Marcelo dos Santos
    CAMPINAS
    (19) 3032-2044
    mcubanola@yahoo.com.br


    SP
    Marcia de Godoy Gomes
    Técnica
    São Paulo SP
    (11) 2641-3842
    caixadebombons@ig.com.br
    Apresentar um projeto de divulgação e desenvolvimento de dança para a pessoa madura, na forma de uma linguagem global de arte,cultura e comunicação. Já a muito tempo é conhecido os benefícios da dança sobre o ser humano.Dançar é expressar a vida em sua totalidade, trabalhando domínios cognitivos, afetivos e psicomotor, entre outros.

    Colchonetes e aparelho de som
    SP
    Marcos Antônio Almeida Campos
    Prática Teórica
    BELO HORIZONTE
    (31) 3234-6453
    marcosacampos77@yahoo.com.br

    Esta oficina propõe a capacitação de professores(as) de Educação Física, pedagogos e docentes em geral, que pretendem aprender ou melhorar sua atuação no ensino da dança no meio escolar, com ênfase no ensino das danças populares brasileiras.
     

    Muitos professores se vêem reféns da dificuldade em desenvolver trabalhos com dança popular brasileira por causa de uma formação deficiente ou inexistente em suas graduações. Lidar com o conhecimento técnico de danças populares de regiões distantes daquela na qual trabalha pode ser um dificultador para a ampliação do repertório de danças populares, algo extremamente importante para a consolidação do sentido de identidade a ser desenvolvido com alunos.

    Esta oficina pretende capacitar professores para o trabalho com danças populares de todas as regiões do Brasil, permitindo trabalhar com danças a partir de várias perspectivas (etnias, ciclos festivos, regiões, dentre outros).

     

    Na oficina são trabalhadas danças de todas as regiões (maracatu, congado, danças gaúchas, boi-bumbá, frevo, côco, samba, carimbó, catira, afoxé, ciranda, fandango paranaense, bumba-meu-boi, xaxado, araruna, caboclinhos, xote bragantino, forró, guerreiro, carneiro, dentre outras), a partir do histórico, período de manifestação, passos característicos, possibilidades de adaptação para diferentes públicos, pesquisa musical, possibilidades de construção de figurinos e adereços, pesquisa pela internet, compondo uma capacitação ampla e totalmente aplicável à realidade escolar e artística.

     

    A partir da experiência como dançarino profissional, coordenador de projetos de extensão, trabalhos coreográficos com crianças e adolescentes e de várias oficinas ministradas em prefeituras, instituições e capacitações de órgãos públicos, esta oficina permite o trabalho com dança popular brasileira de forma mais tranqüila, contextualizada e dinâmica.

    - Aparelho de som com boa potência

    - TV e DVD

    - Sala ampla e, se possível, com espelhos


     

    MG
    Marcos Lima de Moraes
    Prática Teórica Técnica
    SAO PAULO
    (11) 3237-1877
    (21) 8206-9686
    marcomor@hotmail.com
    Dividido em 2 momentos - aula e pesquisa/produção - o curso propõe encontros de 3 horas diárias; na aula, de aproximadamente 1,5 hora são oferecidas ferramentas e técnicas para a preparação do corpo, do intérprete, coreógrafo e/ou criador; no segundo momento, de 1,5 hora são propostos exercícios de criação, investigação, discussão, composição coreográfica, técnicas psico-corporais e suporte teórico, segundo o interesse do local e dos alunos. Recomenda-se um mínimo de 5 dias.
    espaço físico mínimo de 50 mtos2; tocador de CD; piso de madeira adequado å dança.
    SP
    Margit Kolling
    Teórica
    São Leopoldo
    (51) 3037-3609
    51999786155
    margitkolling@gmail.com
    WORKSHOP EMPREENDEDORISMO NA DANÇA - A ARTE DE FAZER ACONTECER

    O Workshop está voltado para apresentar um método e estratégias que irão ajudar a traçar metas e alcançar melhores resultados na vida profissional e pessoal, com foco para a área da dança.

    São abordados:

    - Principais características do empreendedorismo
    - Como estabelecer objetivos e metas
    - Planejamento
    - Gestão
    - Liderança – habilidades de um líder
    - Autoconhecimento
    - Mentalidade empreendedora – Mudança de Mindset
    - Produtividade
    Projetor, som e microfone.
    RS
    Margit Kolling
    Teórica
    São Leopoldo
    (51) 3037-3609
    51999786155
    margitkolling@gmail.com
    Produtor Cultural e suas atribuições, o papel do gestor, as etapas de um projeto, conceitos, metodologias e ferramentas de gestão.
    Gerenciamento de Riscos, técnicas e ferramentas para planejamento, identificação, análise e respostas aos riscos.
    CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
    1- Produção - O Projeto e sua Gestão;
    2- Estrutura do Projeto - etapas e tarefas;
    3- Documentação;
    4- Gestão do Projeto: Cronograma, Planejamento Financeiro, Planejamento das Aquisições e Contratações (Recursos Humanos, Recursos Materiais e Contratos);
    5- Gerenciamento de Riscos: Identificação dos Riscos, Análise dos Riscos, Respostas aos Riscos.
    Projetor, som, microfone.
    RS
    Maria Angélica Jardim
    Prática Teórica
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2208-3881
    angelicadoballet@angelicastudio.com.br

    O curso visa fornecer panoramicamente subsídios práticos e teóricos das danças ciganas, com o intuito de apresentar aspectos culturais da Índia, Egito, Turquia, Romênia, Rússia, Eslováquia, França e Espanha. E, através de experiências visuais, auditivas e motoras, estruturar o corpo em movimento dançado, abordando a visão e a estética destas danças, da antiguidade à contemporaneidade. Favorecendo aos alunos, através do sensível e exótico, a consciência e domínio corporais necessários à execução específica da técnica, bem como levá-las a apreciação, pensamento crítico e construtivo das culturas em questão. Familiarizando também os alunos com os ritmos e sonoridades musicais específicos. E ainda relacionando a dança oriental à dança ocidental, estimulando o interesse e a mentalidade de pesquisa histórico-cultural.

    - Preferencialmente sala de dança (com espelhos e barras, se possível)

    - Aparelho de som para CD (desejável entrada auxiliar para outras mídias tipo MP3, USB, se possível)

    - Aparelho DVD ou de vídeo VHS e TV (ou sistema de projeção para filme)

    RJ
    Maria Antonieta Vilela Mendes
    Prática Teórica
    TAGUATINGA
    (61) 3797-9153
    (61) 3562-3792
    mariaantonieta_mendes2@hotmail.com


    Promover vivências práticas e teóricas, partindo dos conceitos, percepções e vivências dos participantes com a dança, proporcionando a oportunidade de manifestarem-se a partir das experiências pessoais e coletivas com a dança. Otimizando as experiências já tidas a partir de exercícios de improvisação articulados a conceitos, proporcionando a criação individual e coletiva de movimentos, o conhecimento e a apreciação desta linguagem artística integrando o coletivo e o individual, a razão e o sensíve. Tendo como objetivo final a montagem de uma obra coreográfica de grupos, onde os participantes escolherão o tema abordado e explorarão suas possibilidades enquanto dança, atuando como intérprete-criadores.

    Sala para atividades práticas;
    Aparelho de som;
    Data show;
    Televisão;
    Aparelho de DVD;
    DF
    Maria Antonieta Vilela Mendes
    Prática
    TAGUATINGA
    (61) 3797-9153
    81218089
    mariaantonieta_mendes2@hotmail.com
    Partindo das percepções e experiências de movimento dos participantes, promover situações que proporcionem a exteriorização de novas vivências pessoais e coletivas do contato com o movimento até então. Para tanto, serão priorizados “exercícios-vivências” de improvisação que otimizem as criações em grupo explorando conceitos e experiências, paralelamente articulando a apreciação e o conhecimento da linguagem artística da dança. Objetivando uma participação dos alunos como intérprete-criadores no desenvolvimento das aulas, proporcionar a eles a exploração da linguagem da dança como criação de movimento e linguagem.
     - som para cd
     - 10 folhas de papel pardo
     - tinta guache (cores diversas)

    DF
    Maria Beatriz Frade Nanci
    Prática
    CAMPINAS
    biafrade@gmail.com

    Expressar um sentimento, emoção, sensação, uma idéia ou imagem por meio do movimento, do gesto ou até mesmo uma postura, de forma inteira, presente e cenicamente interessante, pede um corpo que ultrapasse as linguagens estéticas, códigos e julgamentos pré-estabelecidos; um corpo esvaziado. O corpo-vazio é uma metáfora para o corpo que busca quebrar alguns automatismos e padrões corporais cotidianos e cênicos, criando novas possibilidades de movimentação com consciência corporal, de acordo com a estrutura óssea, o trabalho de tônus muscular e o contato do corpo com o solo. Nesta oficina serão apresentados e desenvolvidos elementos e princípios técnicos frutos da fusão de diversas técnicas corporais para sensibilizar o corpo para o movimento essencial visando essencialmente à composição coreográfica individual e em grupos através da improvisação. O objetivo é dar ao dançarino ferramentas e possibilidades para construir sua própria linguagem corporal.

    Sala grande, piso de madeira ou plastico/linóleo e aparelhos de CD e MP3.
    SP
    Maria de Lourdes T Herrmann (Dudude Herrmann)
    Prática
    BELO HORIZONTE
    (31) 3283-2422
    (31) 3575-3378
    herrmann@uai.com

    Improvisação, tempo de performance, aonde o estado de dança envolve o performer. Trabalhar com a sensação de aparição e desaparição, linhas de força, instante decisivo. Instrumentalizar o performer-improvisador com ferramentas da dança, da improvisação etc. O sentido de estar em obra todo o tempo da ação.

    A dinâmica dessa oficina será construída no seu decorrer, dependendo do nível dos oficineiros.

    Práticas corporais para ativação dos sentido sem ambiente fechado e práticas em espaços públicos.

    Indicado para maiores de 18 anos.

    Som para CD/TV e DVD

    Espaço arejado e amplo de preferência piso de madeira.

    Cada oficineiro deverá ter consigo seu caderno para anotações e roupas confortáveis para a prática do movimento.

    MG
    Maria Julia Santos Minervino
    Prática Teórica
    SAO PAULO
    (11) 3662-4721
    majudellarte@yahoo.com.br

    A oficina de Estudos do Movimento é voltada para estudantes e profissionais de dança e teatro, que tenham a vontade de observar o funcionamento do próprio corpo, explorando suas possibilidades de movimento, criando novas partituras e exercitando o jogo cênico através da improvisação.

    - Espaço apropriado, com chão de madeira ou linóleo

    - Aparelho de som

    - Colchonetes

    SP
    Maria Melo
    Prática
    (06) 0391-6957
    (06) 0391-6957
    m.melo@wanadoo.fr


    Mariangela Aloise Onofre
    Prática
    PORTO VELHO
    (69) 3212-5116
    mariangela.aloise@gmail.com
    Através da utilização de técnicas de bioenergética, respiração e desbloqueio de couraças musculares os participantes entrarão em contato com emoçoes geradoras de movimento.
    Sala com espelhos, equipamento de som, piso em madeira ou linóleo.
    RO
    MARILA ANNIBELLI VELLOZO
    Prática
    CURITIBA
    (41) 9953-8181
    (41) 3044-0395
    marilaemovimento@hotmail.com

    Como explorações de movimento - que partem de diferentes sistemas corporais como os órgãos, glândulas, esquelético, entre outros sistemas - podem estimular a exploração do corpo no espaço, sua mobilidade articular e uma compreensão refinada entre o que se sente e o que se materializa em pequenas composições, em dança? Este workshop pretende contribuir com estratégias de exploração do corpo e do movimento pela sensação do que se mobiliza e pela potência do que se pode perceber como estrutura compositiva para a dança.



    sala de aula apropriada para para o ensino da Dança e de práticas de somatização; aparelho de som; projetor (se houver).
    PR
    MARILA VELLOSO
    Teórica
    CURITIBA
    (41) 9953-8181
    (41) 3044-0395
    marilaemovimento@hotmail.com

    Objetivo: Conhecer metodologias para aplicar abordagens da Educação Somática e entender propriedades e princípios do sistema dos ossos, das Glândulas endócrinas e dos órgãos com vistas a planejar uma aula de dança e (ou) criar dança.

    O sistema esquelético é trabalhado tanto isoladamente quanto integrado a aspectos do sistema dos músculos e também dos órgãos. Quando trabalhado isoladamente, algumas propriedades são exploradas como a clareza espacial, a arquitetura/estrutura do corpo e/ou de partes do corpo, a estrutura óssea como suporte para ações como ceder, empurrar, alcançar e puxar. Ações que são também relacionadas a ação dos músculos.
     
                É um sistema que possibilita trazer à luz a percepção da amplitude, peso, dimensões das partes do corpo e do corpo todo (mãos, pés, antebraços, pernas - tíbia e fíbula, por exemplo) e integrar conexões ósseas e mesmo cadeias musculares, conforme for relacionado e utilizado. Exemplo de conexões ósseas: ísquio-calcanhar; cabeça-cóccix; cabeça-pés; mão-omoplatas entre outras.
     
           A ativação do sistema Glandular facilita o alinhamento do corpo na vertical expandindo campos de energia ao longo da coluna vertebral e promovendo a sustentação do tronco de modo mais potente e ao mesmo tempo sutil. Ativando o sistema dos órgãos é possível relacioná-los ao sistema ósseo - container dos órgãos-, que os recobrem e protegem (coração, pulmão) por meio das caixas torácica, pélvica e craniana. Sintonizar estas relações promove uma tonificação dos órgãos ao mesmo tempo em que permite uma distribuição do peso equalizada entre as caixas ósseas e uma percepção de vitalidade no corpo
    sala de aula apropriada para a prática de Dança, de somatização; aparelho de som; projetor (se houver)
    PR
    Marilene Melo
    Prática Teórica
    BELEM
    (09) 1322-9381
    marilenemelobelem@hotmail.com
     

    Há 8 anos desenvolve trabalho artístico através da pesquisa do corpo com a dança contemporânea para pessoas com e sem deficiência, mostrando assim que o corpo conta sua história independente dos padrões estéticos que podem ir para cena.

    Em Belém, tem desenvolvido várias oficinas pelo interior do estado com essa proposta e com grande resultado, onde também insere outras formas de estilo como a dança de salão, e danças circulares, mas sempre sentindo necessidade de dar continuidade para esse processo ou de ir mais além. A partir de 2009, mudará para S.Paulo ou Salvador, mas não gostaria de perder o vínculo com o Estado do Pará.

    Local arejado com piso próprio para trabalhar no solo (liso)
    Um aparelho para CD
    Tv e DVD
    Tecido leve
    Elástico com uma largura de 4 dedos mais ou menos
    varas de miriti ou material similar
    cadeiras sem braços nas laterais
    flores de plástico ( variadas)
    PA
    Marineide do Socorro Pereira de Barros
    Prática Teórica Técnica
    MACAPA
    marisocorro.barros@hotmail.com

     Atualmente trabalho com a disciplina Atividade Rítmica e Dança no curso de Educação Física na Faculdade de Macapá FAMA e pela distância de minha cidade dos grandes centros culturais é muito difícil termos cursos ou oficinas que possam aprimorar e atualizar os conhecimentos em dança.
    AP
    Marise Dinis Sousa
    Prática
    BELO HORIZONTE
    (31) 3222-1438
    marisedinis@yahoo.com.br
     

    Através de exercícios que desenvolvam e exercitem a percepção, facilitando e orientando o deslocamento no espaço, o participante poderá vivenciar e experimentar o corpo em situação de diálogo: consigo, com o espaço, com o outro.


    Serão utilizadas técnicas de dança contemporânea, exercícios básicos de contato e de improvisação que, além de considerar e respeitar o corpo do indivíduo como ele é, proporcionam um estudo através da linguagem sensorial do toque.


    O objetivo é, através da dança, estimular uma maior autonomia do próprio corpo bem como a expressão e criação pelo movimento.


    A oficina está aberta ainda para bailarinos ou estudantes de dança que queiram trabalhar essa paridade de maneira a experimentar se privar da visão em alguns momentos buscando o contato com seu corpo e com o espaço de maneira diferenciada da usual. E, principalmente, dialogar com pessoas que têm em sua condição, outros tipos de orientação e organização do corpo, possibilitando um encontro de trocas e grandes descobertas.




    Sala ampla com piso apropriado para dança, de fácil acesso, sem muitos obstáculos.


    Aparelho de CD com possibilidade de conexão de mp3.

    MG
    Marise Reis
    Prática Teórica
    Rio de Janeiro
    marisereis@ig.com.br
     

    Curso de aperfeiçoamento para professores de dança.


    Aulas práticas e teóricas.


    Objetivo: Instrumentalizar o professor a proporcionar a seu aluno um no "olhar do corpo" para, a partir daí, possibilitar a pesquisa de novas linguagens coregráficas.

    Tornar o professor apto a ter abordagens múltiplas da dança, a partir da pesquisa de cada aluno, desenvolvendo a reflexão crítica sobre sua prática, viabilizando a escolha da melhor metodologia a ser aplicada em cada um desses casos.


    Qual o conceito de dança o professor leva para a sala de aula?


    Como isso é aplicado em sua prática?

    sala de aula prática e aparelho de som.
    RJ
    Martha Schluter Blanco
    Prática Técnica
    NITEROI
    (21) 2617-6630
    marthablanco@ig.com.br
     Com as aulas de alongamento mostrar a necessidade do "alongamento interno" para a melhoria da mobilidade e da flexibilidade corporal e ao mesmo tempo, como os exercícios funcionam na flexibilização e mobilidade do "intermo " e corporal do individuo. Com a dança moderna , mostrar uma outra possibilidade corporal de expressão.
    Uma boa sala de aula, com barras e espelho, som.
    RJ
    Mauricio Moraes Motta
    Prática Teórica
    mmotta_44@yahoo.com.br
     


    Esta oficina tem por finalidade desenvolver a consciência do papel que o corpo adquiriu na cena artística contemporânea e oferecer aos participantes condições de explorar as possibilidades corporais individuais utilizando os princípios de estruturação cênica e de construção de personagens individuais que formam a base da dança-teatro, pensar o corpo em movimento como variações de configurações de estados corporais, o movimento como um processo contínuo de alterações e atualizações. Não existe um produto pronto e finalizado, mas sim, um produto processual desprendido de narrativas lineares e desfechos absolutos. O corpo e o movimento são parte da identidade do homem contemporânea. Esta identidade é o cerne da dança-teatro, considerado um dos mais importantes desenvolvimentos nas artes cênicas do Século 20, influenciando toda uma geração de autores, diretores e criadores, abrangendo todas as formas de interpretação artística da contemporaneidade.


    Antes associado a valores morais e éticos, hoje o corpo se transformou num instrumento de afirmação pessoal. Exibido e consumido como linguagem, transformado, é expressão de si mesmo, destituído de pudor e inibição. Mais do que a representação de ideal de beleza, passa a ser suporte de diferentes linguagens não-verbais e instrumento de transgressão sócio-cultural. (JEUDY, 2002)



    Objetivos Gerais:

    - Desenvolvimento de uma maior consciência corporal, individual e coletiva.

    - Capacidade de improvisação e composição coreográficas.



    Objetivos Específicos:

    - Capacidade de desenvolver idéias criativas e conceitos de movimento;

    - Capacidade de desenvolver as potencialidades temáticas da evolução, variação, contraste e manipulação do vocabulário coreográfico;


    - Gerar e organizar material de movimento;


    - Uso do processo de improvisação e pesquisa como inicio da descoberta autêntica e intencional do material a trabalhar;


    - Sala de dança ou similar (seria ideal um espaço com recursos de iluminação para utilização durante as improvisações)


    - Aparelho de som.


    - Aparelho de DVD e TV para exibição de documentários e/ou trabalhos de outros coreógrafos e para avaliação dos trabalhos criados pelos participantes.

    Mauricio Ribeiro dos Santos
    Prática
    Valinhos
    agniarte@hotmail.com

    Um jogo cooperativo

    que se joga dançando

     

    Esta oficina propõe introduzir seus participantes em uma nova técnica que procura conjugar as linguagens da Capoeira com o Ballet Clássico.

    Ela visa realizar um trabalho de troca entre estas duas tradições, conectando os aspectos de improviso ginga e diálogo da capoeira artística com a disciplina da repetição e aperfeiçoamento das seqüências coreográficas da dança clássica.

    Através da montagem coletiva de uma apresentação artística de dança, propomos exercícios e jogos corporais cooperativos e em equipes que buscam desenvolver a capacidade de estabelecermos relações criativas e harmoniosas entre todo o grupo participante e explorar as habilidades desenvolvidas e latentes dos individuos do grupo.

    Os temas  propostos para as montagens geralmente se referem a consciencia socio ambiental e o respeito a biodiversidade e a diversidade cultural.

    A oficina é aberta para todo cidadão a partir dos 06 anos de idade e visa atingir publicos heterogeneos quanto a faixa etária e experiencia artística.

    Esta oficina já foi realizada para grupos de ate 70 pessoas.

    As montagens são sempre realizadas em caráter celebrativo e comunitário, procurando sempre incluir os entes proximos aos participantes em diferentes atividades auxiliares que envolvem a produção cenica ( cenário, figurino, cenotecnica, maquiagem, apoio ao grupo infantil, etc.)

    Espaço com chao adequado para atividades de danca.
    Espaço para a realização da apresentação de encerramento
    Aparelho de som com cd player e  microfone disponível para as aulas e para a apresentação.
    SP
    Mayana Marengo Machado
    Teórica Técnica
    Florianópolis
    (48) 3879-5031
    mayanamarengo@hotmail.com

    INTENSIVO CORPO E MOVIMENTO - desenvolvimento pessoal através  da dança e práticas somáticas

    Público alvo: adultos com ou sem experiência em práticas corporais

    Este Intensivo trata-se de um laboratório prático no qual investigamos as percepções do corpo cotidiano através do movimento da dança, preconizando o desenvolvimento da propriocepção.  O movimento cotidiano e os métodos terapêuticos incorporam-se à dança na relação com outras práticas corporais e somáticas constituindo a dança individual e/ou em grupo como forma de expressão, provendo saúde psicofísica. O uso de diferentes abordagens corporais, sejam elas de dança ou não, resgata o respeito à individualidade e às diferenças de corpos e interesses, preservando a integridade física e psicológica do praticante. No percurso do Intensivo buscamos desenvolver a autorregulação  a partir do trabalho de consciência corporal e autoconhecimento,  relacionando intimamente o indivíduo com seu eu profundo, corpo, ritmo e energia, capacitando-o a viver em acordo com sua própria natureza e manifestar-se com prazer. 

    Conteúdos: Dança e teatro de improvisação. Elementos da dança terapia. Psicologia Corporal. Princípios do aikidô. Elementos constitutivos de práticas somáticas como RPG, Pilates e Body Mind Centering. 

    Sala ventilada e apropriada para o trabalho corporal (com piso de madeira); aparelho de som; bolinhas de massagem; tapetinhos de yôga.
    SC
    Michelle Camargo
    Prática Teórica
    Curitiba
    (41) 3039-7737
    michelle_camargo@hotmail.com

    A dança, como forma de conhecimento, deve ser explorada nas suas infinitas possibilidades. Sentir a experiência a partir de propostas de movimento sugere um caminho para que o artista encontre e aproxime as relações estabelecidas com a dança, com a arte e com o mundo. A Oficina de Investigação do Movimento tem como objetivo principal expandir essas possibilidades de criação em dança a partir da pesquisa de determinados elementos que compõe o movimento como: espaço, qualidades objetivas e subjetivas, peso e contrapeso, partindo da dinâmica de improvisação direcionada como condução do trabalho. Além das aulas práticas, serão discutidos os possíveis direcionamentos que o olhar diferenciado para a dança pode alcançar, atendendo dessa maneira, as necessidades de reinterpretação do mundo contemporâneo por meio da arte. 

     


    Sala com capacidade mínima para 25 alunos
    Aparelho de som com CD
    DVD e projetor multimídia
    Bebedouro
    PR
    Mônica Silva Ferreira Miguel
    Prática Teórica
    Rio de janeiro
    (21) 3046-6778
    monicadanca@hotmail.com
    Oficina de danças populares visando o ensino de danças de matriz africana, especificamente o jongo e o coco. O propósito é trabalhar a história, os movimentos que compõe cada dança e os pontos (cantos), fomentando o encontro com a nossa herança cultural. A atividade será realizada por dois profissionais de dança ao som de tambores com 3 percussionistas. Ao final da oficina realizaremos uma grande roda de dança.
    Sala ampla


    RJ
    Movasse - Coletivo de criação em dança
    Prática
    BELO HORIZONTE
    (31) 3225-4523
    (31) 3225-4523
    movasse@gmail.com
     através de estímulos de diversas ordens visamos abordar em várias direções a criação. Em um primeiro momento acontece um breve aquecimento enfocando a consciência do corpo. Depois são dados estímulos físicos em forma de movimento e emocionais em forma de imagens.
    Sala de dança com piso adequado e som compatível com o local.
    MG
    Nara Faria
    Prática Teórica
    (61) 9241-2627
    narafaria@hotmail.com
    Oficina para mulheres abordando a fusão entre elementos práticos introdutórios de dança aérea em tecido e dança oriental. A partir de reflexões  com base nos arquétipos femininos e discussões teóricas sobre o processo de desenvolvimento social da mulher criar micro performance coletiva.

    Sala com pé direito a partir de 6 metros de altura e , se possível, sala com espelho. Aparelho de som, água potável e banheiro disponíveis.
    Acesso a estrutura (escada, andaime ou outro). 
    Natanael Ferreira da Silva
    Prática Teórica Técnica
    GOIANIA
    (62) 3513-1868
    natan_dance@hotmail.com
     Em nossa proposta de pesquisa prevemos, como parte dos processos de composição coreográfica, um ensino de dança onde o professor torne-se não o impostor de técnica e conceitos, mas o fomentador das experiências, o guia que orienta seus alunos para uma descoberta pessoal de suas faculdades.

    GO
    Natasha Mendes Mesquita
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    anova.idade@gmail.com


    RJ
    Nathálie Alves
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    thaliealves@hotmail.om

    As aulas de Dança Criativa proporcionam aos alunos uma educação corporal com a introdução de exercícios que trabalham os diferentes segmentos corporais de formas isoladas, para, futuramente, utilizar formas mais globalizadas.

     

    A Dança Criativa funciona ainda como agente do aprimoramento da coordenação motora, do equilíbrio dinâmico, da flexibilidade, da amplitude articular, da resistência localizada, da agilidade e da elasticidade musculares.

    espaço e material adequado, como sala ampla e espelhada om boa ventilação.
    bolas,tecidos,material para escrever e colorir, material para reciclar e etc.
    RJ
    Neila Baldi
    Prática
    LAGO SUL
    (61) 3367-1897
    (61) 9104-3514
    neilabaldi@gmail.com
    Oficina que alia técnicas de balé clássico com técnicas de educação somática. O curso irá abordar exercícios do balé clássico, laboratório de criação e elementos de consciência corporal da fisioterapeuta Marie-Madeleine Béziers. Serão trabalhados os sete fundamentos do balé clássico e as torções propostas por Béziers que dizem respeito ao alinhamento ósseo e sua relação com o balé clássico (pés, relação ísquio-calcâneo, bacia, tronco e braços). O aluno será convidado a vivenciar os ensinamentos através de laboratórios de criação.
    Sala de aula com barra.
    DF
    Nicole Blach Duarte
    Prática
    Belo Horizonte
    nicolinhaduarte@yahoo.com.br

    Ao invés de moldar o corpo condicionando-o a atender um padrão específico de movimento, pretende-se ajudá-lo a se movimentar livremente de modo que, através do movimento consciente, seja possível a apropriação de sua auto-expressão.

     

    O prazer de dançar cria a oportunidade do desenvolvimento da capacidade de aceitar e lidar com você mesmo. Possibilita o encontro de suas referências e a apropriação de seu poder pessoal. Faz uma ponte entre a matéria e o espírito, o racional e o indizível e nessa experiência de lidar com o que se é, com suas limitações e capacidades, com o corpo, com a realidade que se encontra, e com a força de sua energia interior, você percebe que pode fazer escolhas e transformações em si mesmo.

    Sala com piso em madeira ou linóleo e aparelho de som.

    MG
    Nirvana Marinho
    Teórica
    SAO PAULO
    (11) 3831-7876
    nirvana.marinho@terra.com.br
     

    O corpo vem sendo revisitado por teóricos do século XIX a fim de compreender suas dinâmicas artístico-estéticas em um mundo híbrido e líquido (Baumman, 1999). O corpo que dança e o corpo das artes da performance vem convergindo para uma área comum na qual as questões descrevem cenas de dança que se aproximam muito do corpo da performance (Lepecki, 2006; Setenta, 2008).

    Nesta oficina, propomos conhecer os trabalhos artísticos dos integrantes (vídeos ou relatos) e, a partir deles, refletir sobre tal convergência – dança e performance.

    A dinâmica se organiza, portanto, com partes expositivas (teóricas) e partes clínicas, ou seja, observando a prática artística dos participantes.


    Projetor (data show), TV e tocador de DVD, Flip chart
    SP
    Nirvana Marinho
    Prática Teórica
    SAO PAULO
    (11) 3831-7876
    nirvana.marinho@gmail.com
    Criação Spam é um curso de criação em dança contemporânea na qual participantes criam trabalhos artísticos - coreografias, performances - a partir de instruções que compreendem o conjunto de táticas do Profanações Dança. Profanações Dança é o projeto artístico em colaboração criado em 2010 para agregar um debate acerca de formas de profanar, segundo Agamben. Profanar a atividade do próprio autor, deslocar padrões estabelecidos, atuar politicamente, reestabelecer dispositivos de poder e reiterar a subjetividade. Spam porque se propõe a coletivizar procedimentos, ser um laboratório de diálogos a partir dos quais a criação de cada participante, assinadas a partir do coletivo para o individual. É ao mesmo tempo um curso e um ensaio para criação.

    Sala de espetáculo: se houver essa possibilidade, o curso transcorre diferentemente se ocupada a sala de espetáculo

    TV e vídeo, se possível filmadora

    SP
    Osmarino Alves e Suanne Baena
    Prática
    BELÉM
    (91) 3246-8137
    suannebaena@yahoo.com.br
     

    Aula base para quem deseja conhecer a dança de salão.


    PA
    Otávio Bastos
    SAO PAULO
    (11) 2528-0835
    otavio.bastos@yahoo.com.br
    Esta atividade é um misto entre uma aula e um espetáculo no qual são abordados elementos da dança e da cultura popular brasileira (como frevo, caboclinho, maracatu, cavalo-marinho, entre outros) para o entendimento da formação de uma identidade cultural contemporânea.
    O artista realiza uma apresentação didática do processo de construção do espetáculo, a partir da demonstração de passos e de sua reutilização em busca de uma técnica brasileira de dança.
    A aula-espetáculo permite que o público tenha acesso à história, manifestações e às recriações da cultura popular brasileira, além de promover o acesso ao conteúdo de aprendizagem misturado ao lúdico e às apresentações.

    teatro com DVD e projetor
    SP
    Pakito Lázaro
    Prática Técnica
    Salvador
    pakitolazaro@hotmail.com.br
    O curso de dança Afro propõe um intercâmbio entre as linguagens corporais de dança Africana e Brasileira, ao mesmo tempo que dialoga com princípios contemporâneos. Ao compreender a aula como um ambiente educativo e de formação a todo o conhecimento corporal, o curso tem como objetivo ensinar, informar e orientar sobre a estética da dança Afro.
    A metodologia, dinâmica e perceptiva, busca através dos fundamentos contemporâneos as possibilidades de exploração corporal. Com uma filosofia própria, Pakito Lázaro fundamenta suas aulas a partir da identidade de cada participante, conduzindo todos e todas a primeiramente se reconhecerem naquele ambiente para depois encontrarem-se com os outros e, assim, irem de encontro com novas proposições.



    Publico alvos crianças, jovens/adolescentes e adultos brasileiros e estrangeiros, interessados em Dança Afro Brasileira.

    Classes com crianças, faixa estaria 10 a 13 anos

    Classes com jovens adolescentes 14 a 17 anos

    Classes com Adultos 18 anos pra cima, com ou sem experiencia em dança.

     

    Recursos Humanos – pessoas matriculadas e o Professor Pakito Lázaro.

     02(Dois) Percussionistas;

    Recursos Matérias – Uma sala de aula com condições mínimas para uma pratica de dança, banheiro, bebedouro, chão de madeira, espelhos, barras;

    Musica Ao Vivo-01 djundjun e 01 djembe;

    Musica mecânica - aparelho de som com leitor de CD ou IPOD e boa potencia e equalização. 

    BA
    Páola Barata
    Técnica
    BELO HORIZONTE
    (31) 3441-6229
    (31) 3337-6388
    paolabarata@hotmail.com
     No Brasil de mil riquezas culturais, dançamos o que nos der na cabeça e o pé nos levar...Mas temos em nossas raízes a Lambada, o Samba, o Forró e o Soltinho que é uma bela mistura de ritmos como rock, swing, jive, jazz que só os brasileiros dançam tão bem. Aqui também dançamos o Bolero como em nenhum outro país do mundo. Estes são os ritmos trabalhados a dois, com carga horária de 4 H cada.
    Sala livre para prática dos casais,de acordo com o número de participantes. Em média usamos 4 m2 para cada casal, sendo que uma sala mínima deve ter 30 m2.

    Piso uniforme adequado para dança.

    Som profissional com entrada auxiliar para MP3 ou Ipod.

    Espelho opcional.

    MG
    Patricia Riess
    Prática Teórica
    RIO DE JANEIRO
    (21) 3268-4979
    patriciariess@hotmail.com
     

    Prática de psicomotora fundamentada em jogos e criação artística paa crianças entre 4 e 08 anos.

    Sala de aula com boa ventilação,luz e som.
    RJ
    Patrick Rhaiony Sandi
    Prática Teórica Técnica
    Barbacena
    (32) 9117-8056
    patrick.misericordiabr@hotmail.com
    Workshop The Mrs Carter Show é um workshop para dançarinos que gostam de Pop Dance Heels, Jazz Funk e ballet coreografado! É também uma oportunidade de conhecer o trabalho da cantora internacional Beyoncé e aprender as coreografias de suas musicas.
    Nenhuma necessidade específica em primeiro plano.
    MG
    Paulo Caldas
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2265-1793
    paulocaldas@dancaemfoco.com.br

    Dentro de um vocabulário que associa elementos das técnicas clássica e moderna, contato-improvisação e consciência do movimento, a oficina enfatiza a idéia de fluxo em estruturas que privilegiam a continuidade do movimento em seqüências técnicas e coreográficas.

    - Aparelho de CD (preferencialmente amplificador e CD player separados, de modo a permitir conectar outra mídia - MP3 player - como auxiliar);

    - Para a determinação do número de vagas, sugiro considerar, como referência, espaço suficiente para que cada aluno possa estar deitado com os braços na linha de ombros;

    - A oficina é orientada para alunos já iniciados em técnica de dança.

    RJ
    Paulo Caldas
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2265-1793
    paulocaldas@dancaemfoco.com.br
     

    Orientados para a pesquisa de movimento, os conteúdos de composição envolvem três dimensões: o que se move, onde se move e como se move, ou seja, corpo, espaço e qualidades de movimento. Serão desenvolvidas práticas de improvisação e composições de breves estruturas coreográficas.

     

    Aparelho de CD (preferencialmente amplificador e CD player separados, de modo a permitir conectar outra mídia - MP3 player - como auxiliar.

    RJ
    Paulo Marques
    Técnica
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2236-4851
    prpm2002@yahoo.com.br
    A oficina utiliza o balé clássico tradicional como ferramenta técnica, usando-a como meio para valorizar aspectos tais como a respiração, a percepção do espaço e de si mesmo e as relações de apoio.
    Sala para dança com piso apropriado (linóleo ou tábua corrida), barras, aparelho de som com cd player.
    RJ
    Priscila Rizzo
    Prática
    CURITIBA
    (41) 8898-6879
    (41) 8898-6879
    pricarizzo@hotmail.com

    Realizar a prevenção de L.E.R. (lesão por esforço repetitivo) através da consciência corporal e dança, direcionada para o relaxamento mental e conseqüentemente, uma mudança na postura. Ambos, mente e corpo, estão conectados e voltados para movimentos leves e harmoniosos. Desenvolvimento de trabalhos em grupo, porém com atenção individualizada, suprindo as necessidades de cada indivíduo, mas não descartando a experiência alheia como forma de aprendizagem.

    - Espaço físico condizente com um número limitado de 15 pessoas por aula.

     

    - Roupa confortável.

     

    - Necessidade dos alunos estarem sem calçados.

    PR
    Profª Ana Maria Gonçalves
    Prática
    Rio de Janeiro
    (21) 2596-2912
    luaestrela4@gmail.com

    ENSINAR A DANÇA CIGANA E ESPANHOLA TODOS OS MOVIMENTOS COM XALE, LEQUE, VÉU E PANDEIRO.
     ALONGAMENTO MELHORANDO A COORDENAÇÃO MOTORA E MELHORANDO A AUTO-ESTIMA,.
     A DANÇA NÃO TEM IDADE,  TENDO COREOGRAFIAS PARA SE PRESENTAR-SE EM EVENTOS.
    RJ
    Rafael Luiz de Souza
    Prática
    CAMPINAS
    (19) 3258-2279
    rafaluizsouza@yahoo.com.br
     Baseado no conceito de "Gesto Psicológico" definido por Mikhail Tchekhov e no método de perguntas e respostas desenvolvido por Pina Bausch para a criação de seus espetáculos, essa oficina tem por objetivo a investigação da linguagem da dança-teatro através de exercícios que visem a exploração poética do movimento e do gesto.
    Sala ampla com piso adequado para aula de dança, aparelho de som com CD.
    SP
    Rafael Luiz de Souza
    Prática Técnica
    CAMPINAS
    (19) 3258-2279
    rafaluizsouza@yahoo.com.br
     

    Através dos princípios das técnicas clássica e contemporânea, somadas a jogos teatrais que evidenciem o trabalho corporal e o jogo cênico, essa oficina pretende colocar os participantes em contato com as múltiplas possibilidades corporais dispertanto a sensibilidade e a poeticidade do corpo.


    (para pessoas iniciantes a partir de 16 anos).

    Sala ampla com piso adequado para aula de dança, aparelho de som com CD e uma corda, aproximadamente 10m,  de Sisal ou Nylon.

    SP
    RAIMUNDO JOÃO DE CARVALHO ANTUNES NETO
    Prática Teórica
    SÃO LUIS
    (00) 0000-0000
    (00) 0000-0000
    r.antunesneto@gmail.com

     

    O curso pretende desenvolver uma nova percepção da dança a todas as pessoas de uma forma que seus fundamentos possam fazer parte de seus cotidianos, educando através da arte e explorando o indivíduo e a sua relação com o meio no qual ele vive, buscando  novas maneiras de trabalhar a dança nos tempos atuais.

     

     

    CONTEÚDO:

     

     

    ·        A RESPIRAÇÃO: Base de todo o fundamento, na qual se estrutura o funcionamento do corpo.

     

    ·        ALONGAMENTO: Trabalho de elasticidade com base na respiração e na individualidade na busca de um melhor aproveitamento físico.

     

    ·        A BASE: Trabalho de estruturação corporal a partir do uso dos pés, joelhos e quadril e coluna.

     

    ·        O OLHAR: Guia do corpo, ajuda na percepção espacial e no equilíbrio.

     

    ·        CORPO: Técnicas corporais de dança e teatro.

         

    ·        O ESPAÇO: Uso do espaço de forma consciente e bem distribuída.

     

    ·        A MÚSICA: Interpretação musical e uso consciente dos sons.

     

    ·        CONSTRUÇÃO COREOGRAFICA: Experimentação coreográfica e criação pessoal.

     

    ·        CONHECIMENTO GERAL EM DANÇA: História da dança e sua evolução.

     

    ·        O QUE É DANÇA CONTEMPORANEA: Contato com o pensamento contemporâneo em dança.

     

     

    DURAÇÃO

     

    O curso terá duração de um mês, com aulas que acontecerão duas vezes por semana com duração de uma hora e meia cada, no final do curso será realizada uma mostra dos trabalhos desenvolvidos ao longo das experimentações.

    SALA COM CHÃO DE MADEIRA; ÁGUA MINERAL.
    MA
    Raquel Pires
    Prática Teórica
    MINAS GERAIS
    (31) 3344-3280
    racavalcanti@hotmail.com


    MG
    Raquel Pires Cavalcanti
    Prática Teórica Técnica
    Belo Horizonte
    (31) 9959-5179
    (31) 3344-3280
    racavalcanti@hotmail.com

    Apresentação:

    A Técnica Alexander vem sendo usada por artistas de todo o mundo há mais de cem anos, como uma ferramenta valiosa para o desenvolvimento e refinamento da percepção, presença, conscientizacão e da prevenção de dores e contusões.

    Seu pilar se baseia na idéia de que, ao longo dos anos, vamos nos habituando a maneiras automáticas de mover e agir, comprometendo a qualidade e eficiência do movimento, além de reduzir consideravelmente nossa capacidade de escolha. Segundo a visão de Alexander, quando movemos de forma habitual não estamos exercendo a plena capacidade de escolha, limitando a liberdade e controle de nossas acões.

    Objetivo:

    O objetivo da Técnica Alexander não é criar um corpo ideal ou uma postura correta. Seu valor está em aprendermos a desfazer tudo aquilo que fazemos e que não nos é útil ou benéfico, deixando o corpo livre de intereferências desncessárias para movermos de forma mais clara, integrada, livre e autônoma. O processo de aprendizado da técnica se dá através da compreenção da indivisibilidade do corpo e da mente, ou seja, através da habilidade de acessar o corpo e seus movimentos através da forma como pensamos.

    A oficina:

    Esta oficina pretende introduzir os princípios básicos da Técnica Alexander para todos aqueles interessados no corpo e em suas questões. Iniciaremos o trabalho a partir de movimentos simples e cotidianos, partindo depois para os mais complexos e elaborados. O curso consistirá em uma integração dinâmica entre teoria e prática, oferecendo a fundamentação teórica dos princípios da técnica a serem investigados na prática do dançar, assim como explorando principios anatômicos relevantes a um entendimento mais preciso do corpo e do movimento.

    O papel de ministrante do curso será o de facilitadora de um processo de investigação e autoconhecimento, visando que cada participante encontre o suporte necessário para guiar suas próprias descobertas. A intenção do curso será a de direcionar um processo onde cada descoberta seja complementar ao entendimento de corpo e de dança que cada um já possui.

     

    O trabalho será desenvolvido em grupos, em pares e individualmente, atendendo as questões particulares de cada bailarino. 

    Sala ampla com um chão adequado para trabalho corporal
    MG
    Rebeca Leme Oliva
    Prática
    São Paulo
    (11) 9991-6760
    rebeca.leme.oliva@gmail.com
    A oficina tem como objetivo compartilhar um pouco da pesquisa do Coletivo Cafiras, do qual Rebeca faz parte. Estudamos a privação do corpo feminino e quais os efeitos dessa privação em nossas ações, nossos movimentos. A vivência que propomos tenta trazer aos corpos essa privação e utilizá-la como instrumento para criação em Dança.

    Sala com aparelho de som e alguma iluminação.
    SP
    Regina Levy
    Técnica
    RIO DE JANEIRO
    (21) 9943-9234

    Serão abordadas as seguintes competências para se produzir um projeto cultural:

    • Planejar o marketing e organização, adequando ações aos diferentes tipos de eventos;

    • Infra-estrutura e gerenciamento de equipes;

    • Coordenar eventos de acordo com as normas de cerimonial e protocolo;

    • Montar orçamentos e administrar recursos financeiros e materiais;

    • Captar recursos materiais e financeiros para a viabilização de eventos;

    • Utilizar a legislação vigente na organização de eventos;

    • Análise pós-produção de eventos.


    Para interessados em entender melhor este universo e, profissionais com competências específicas em planejamento e produção de eventos de negócios e culturais.
     

    Computador com datashow, programa power point instalado e DVD Player.

    RJ
    Regina Levy
    Técnica
    RIO DE JANEIRO
    (21) 9943-9234
    reglevy@ig.com.br

    Este programa visa atender a demanda cada vez maior do mercado que exige profissionais mais capacitados para enfrentar os desafios da organização e planejamento de eventos. Desenvolver competências necessárias para a organização eventos, com foco em eventos de negócio e culturais a todos que queiram aprender e/ou reciclar sobre o tema.

    • Planejar o marketing e organização, adequando ações aos diferentes tipos de eventos;

    • Infra-estrutura e gerenciamento de equipes;

    • Coordenar eventos de acordo com as normas de cerimonial e protocolo;

    • Montar orçamentos e administrar recursos financeiros e materiais;

    • Captar recursos materiais e financeiros para a viabilização de eventos;

    • Utilizar a legislação vigente na organização de eventos;

    • Análise pós-evento.

    Computador com datashow, programa power point instalado e DVD Player.

    RJ
    Rhavina de Mello Brandão Schertenleib
    Prática
    SIMOES FILHO
    (71) 3298-4865
    (71) 3396-9810
    rhavina@terramirim.org.br

    A oficina Gira, girou combina a prática de giros de várias culturas investigando experiências com a dança como estratégia que amplia a capacidade de percepção dos sentidos, através dos movimentos giratórios: samba de roda e giro sufi (Turquia) e da sua conexão com os elementos primordiais dos ritos xamânicos: terra, fogo, água e ar, tornando-se um exercício que propicia resgatar espaços de um corpo imaginativo, ampliando as possibilidades de reelaboração e reconstrução da imagem corporal para uma perspectiva da dança.

    Sala de aula, quando possível espaço natural, ao ar livre e aparelho de som.
    BA
    Ricardo Marinho
    Prática Técnica
    MACAPA
    (96) 3217-5503
    ricomarinho34@yahoo.com.br

    A oficina se baseia nos princípios da dança nos salões de dança, passando noções dos mais diversos ritmos dançados a dois, além de noções de espaço ao dançar, trabalho de cavalheirismo na dança, execução de condução no salão, abordagem ao par para dançar, benefícios fisiológicos alcançados com a prática da atividade de dança de salão e melhoria da sociabilização do indivíduo praticante.

    - Espaço físico amplo e propício para a prática da dança, com, no mínimo, 10m².

    - Sistema de som compatível com o espaço físico (uma caixa amplificada de 300wts).

    AP
    Roberta Ciarallo
    Prática Teórica Técnica
    CONSELHEIRO LAFAIETE
    (31) 3721-1530
    (31) 8676-9192
    betadanca@yahoo.com.br
    A Escola começou como Projeto Passo da Arte em Parceria com a Secretaria Municipal de Educação, atendendo escolas municipais, levando a arte, inicialmente o balé, à crianças de baixa renda. Em 2009, em parceria com Universidade Antonio Carlos, tornou Escola (particular) levando a dança a toda comunidade, e oportunizando a continuidade a antigo projeto social. Nela são encontradas oficinas de Balé Clássico (com iniciação aos 5 anos, até o nível amador), Jazz e Dança Contemporânea.
    A Parceria com a Universidade, disponibilizou a Escola um studio de dança apropriado as práticas da arte. Porém, a escola não tem sede própria e nem parceiros que financiem os eventos e apresentações que a escola participa. A maior necessidade hoje da escola, é ampliar e oportunizar uma maior extensão da dança. Para isso necessitamos é um patrocinador que possa contribuir para que as alunas e a escola divulgue a arte e principalmente, possa sair do âmbito municipal para conhecer a dança nacional.
    MG
    Roberto Reveilleau
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    (21) 3269-5842
    roberto@tecnicadealexander.com
     

    O objetivo do trabalho é nutrir a prática do artista, desenvolvendo a habilidade de manejar com inteligência e graça situações estressantes, aprendendo como tranqüilizar as reações físicas e emocionais para que a mente possa funcionar de maneira criativa, o corpo possa se movimentar com maior liberdade, a voz expressar mais nuances e respirar não ser mais um problema.


    O intuito deste seminário é oferecer uma experiência prática e teórica do processo de reeducação neuromuscular da Técnica de Alexander associado à performance artística.


    Usando instrumentos de trabalho da Técnica Alexander, os participantes farão uma exploração de como os padrões de reações psicofísicas agem de maneira automática e habitual impedindo o fluxo livre da energia na hora de uma performance, seja esta ler uma poesia, interpretar um texto teatral, cantar, tocar um instrumento ou dançar.


    Ao desfazer esses padrões ineficientes que estão enraizados na memória, uma nova possibilidade de uso mais equilibrado do organismo se manifesta influenciando voz, respiração, postura e movimento. Assim ampliando o potencial artístico e dando condições tanto a estudantes quanto a profissionais de obter uma melhor performance.


    Este curso é para qualquer um que deseja se expressar com mais liberdade sem os entraves tão comuns de excesso de esforço e desorganização adquiridos ao longo da vida.





    Número de participantes: até 20 pessoas.

    Sala vazia  e algumas cadeiras ou bancos. 
    RJ
    Robson Lourenço
    Prática Teórica
    SAO PAULO
    (11) 3031-2982
    lourencorobson@uol.com.br
    Uma jornada ao interior do útero materno. Transformar em material cênico e artístico o processo que vai da concepção do ser humano até o final da oitava semana de vida.
    As oito primeiras semanas de formação é o período de maior transformação que o ser humano passa em sua vida. Este momento que partimos de uma célula única até atingirmos aquela pequena vida com três centímetros é o tema de estudo da Embriologia.
    O bailarino e professor Robson Lourenço propõe um workshop em parceria com  médico Ricardo Ghelman (Mestre em Anatomia e Embriologia - USP e doutor em Obstetricia Experimental UNIFESP/EPM), onde o tema Embriologia será desenvolivdo através de jogos teatrais, dança, desenho e poesia.
    Este workshop é destinado a profissionais e estudantes da área de arte, arte-educação e saúde.

    sala de aula destinada à dança
    CD-Player
    colchonetes
    data-show

    SP
    Rodrigo Maia Barbosa Lima
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2535-4652
    romaiabarli@hotmail.com

    A oficina trabalha a partir do estimulo de percepções sutis relacionadas aos movimentos do próprio corpo, na observação e interação com o outro e na relação com o espaço. Aborda três frentes de trabalho integradas: O Corpo - Como instrumento, objeto a ser lapidado (propriocepção, estabilização, mobilidade das articulações, alongamento, tonificação muscular, transferências de apoios, liderança do movimento, torções); - Através dos processos cognitivos (Atenção, concentração, percepção, memória, imaginação); - Como sujeito em interação (Jogos, dinâmicas individuais e coletivas, exercícios de improvisação, criação). Propõe ir à busca da singularidade e espontaneidade.

    Público Alvo - Pessoas interessadas com disponibilidade para trabalhos corporais. (Atores, bailarinos, professores e alunos da rede pública e particular, comunidades.)

    - Sala de aula de no mínimo 7m x 7m com chão apropriado.
    -
    Aparelho de som com CD.

    RJ
    Rodrigo Maia Barbosa Lima
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2535-4652
    romaiabarli@hotmail.com

    Contar histórias é uma tradição presente em diversas culturas como forma de transmitir conhecimento. Ao compartilhar histórias, traçamos uma trajetória entre nossas próprias experiências confrontadas com experiências de gerações que nos precederam. A Oficina - Espaço aberto para integração das linguagens: Dança Teatro Literatura. Onde a dança como expressão corporal, a literatura como fonte de criatividade somam-se aos jogos e as dinâmicas teatrais, desenvolvendo um vocabulário físico, estimulando a intuição e ampliando o repertório intelectual. Processo que pode ser construído a partir de um movimento, de um som, de uma palavra, de um objeto, idéia ou texto. Estrutura - Preparação corporal - (consciência do movimento, fisicalização, memória corporal, improvisação, dinâmicas individuais e coletivas). - Jogos teatrais - (exercícios dramáticos, improvisações, criação e ‘contação’ de histórias). - Leituras - (tratamento do texto: formas de leitura, compreensão e interpretação de textos, contos, peças, lendas, poesias, fotos...). - Apresentação - (Há possibilidade de levantar uma estrutura para apresentações coletivas e ou individuais com objetivo de colocar em prática o material trabalhado durante a oficina).


    Público Alvo - Pessoas interessadas com disponibilidade para trabalhos corporais. (Atores, bailarinos, professores e alunos da rede pública e particular, comunidades.)

    - Sala de aula de no mínimo 7m x 7m com chão apropriado.
    -
    Aparelho de som com CD.

    RJ
    Rodrigo Ponciano Bernardi
    Prática Teórica
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2636-9259
    2609-1105
    rodrigofav@hotmail.com

    Criado em 2005, pelo professor, coreógrafo e pesquisador, Rodrigo Bernardi, com o objetivo de oferecer ao aluno informações a partir do formato entre teoria e prática sobre o universo das Street Dances (ou danças urbanas). Sem algum incentivo, o curso percorreu cidades do RS, SC, MG e RJ.

    Durante a oficina, são apresentadas as particularidades de algumas das danças urbanas, como o Hip Hop, Popping e Locking: estilos distintos responsáveis pelo vocabulário que o termo Street Dance assume como um rótulo.

    N
    o primeiro dia, é feita uma pequena explanação sobre a origem de algumas das danças urbanas; com suporte de projeção de imagens, vídeos, leitura de textos e, sobretudo, é um lugar aonde o aluno não aprenderá somente passos de dança. Ele vivenciará por diversos aspectos as particularidades do universo das Street Dances. A oficina ainda propicia/proporciona uma parceria com um profissional da região, que fará parte da produção, ou ministrará uma aula. O curso é direcionado a profissionais da atividade física, dançarinos, coreógrafos, pesquisadores e para aqueles que obtiverem interesse em conhecer um pouco mais sobre estas manifestações populares.

    Espaço físico
    Aparelhagem de som completo
    1 Amplificador
    1 Microfone sem fio com carga
    1 Data show
    1 Telão para projeção
    1 Laptop e adaptadores

    RJ
    Rodrigo Vicente de Moura
    Prática
    São Paulo
    (11) 5933-5444
    rodrigovicenteator@gmail.com
    Aulas de Dança Contemporânea para todos. Com o intuito de promover o corpo
    dançante a todos, independentemente dos seus limites. Partindo da
    improvisação corporal exploraremos as articulações do corpo e a imaginação
    corporal para criação coreográfica. Com exercícios físicos do circo
    procuraremos manter a resistência corporal e com técnicas da dança
    exploraremos os limites do corpo individual.
    Iremos trabalhar e nos aprofundar nos estudos de Pina Bausch (coreógrafa,
    dançarina, pedagoga de dança e diretora de balé alemã) e na técnica Gaga
    (linguagem de movimentos desenvolvida pelo israelense Ohad Naharin) para
    criar uma consciência corporal e coreografias distintas corporais.
     Materiais
    Para cada aluno: roupas confortáveis (da cor preta de preferência) e meias ou
    sapatilhas de dança. Serão usadas durante todo o curso.

     Equipamentos
    Caixas de Som com entrada para celular. Serão usadas durante todo o curso.
    SP
    ROSE MEUSBURGER
    Prática Teórica
    Poá
    (11) 4636-5314
    (11) 9722-4112
    rosemeusburger@gaiabrasil.com.br
    A Oficina permite ao participante se capacitar para a elaboração de projetos para inscrição em editais e/ou leis de incentivo. Nossa missão é colaborar com os setores artísticas para que todos independente da área de atuação consiga elaborar projetos com competência e possam viabilizá-los tendo segurança na prestação de contas
    Quadro branco e canetas
    Flip-charte e canetas
    Data-show (desejável)
    SP
    Rose Prado
    Prática Teórica
    SAO PAULO

    OBJETIVO Este projeto visa desenvolver a habilidade do participante de criação de partituras de movimento e elaboração dramatúrgica corporal, prática e formal (registro escrito), bem como aprimorar sua consciência sobre a estrutura de seu corpo e ampliar seu conhecimento expressivo e espacial.

    JUSTIFICATIVA A origem da palavra dramaturgia (drama ergon, trabalho da ação) em si já abrange a elaboração de ações, sejam elas verbais ou corporais, portanto pensar em “dramaturgia corporal” poderia algo redundante, considerando que qualquer ação do artista cênico, visível ao público, será justamente realizada pelo corpo, até mesmo o ato de falar. Diversas expressões vêm surgindo e ganhando significados diversos de acordo com as necessidades históricas e culturais, atualmente o trabalho com as imagens e ações corporais vêm ganhando cada vez mais espaço e importância cênica, pois cresce a necessidade da prática da pesquisa do ator integralmente. E para este artista é necessário estruturar uma dramaturgia, porém é fundamental que se mantenha os princípios básicos da criação dramatúrgica (tempo, espaço, conflito, transformações, “falhas trágicas”, etc), afim de que se possa manter o trabalho no patamar de uma criação dramatúrgica e não unicamente performances coreográficas distantes do teatro, mesmo em trabalhos de ausência ou baixa incidência verbal.

    PÚBLICO ALVO Participantes a partir de 14 anos.

    - Sala ampla com piso favorável ao movimento.
    - Aparelho de som.
    SP
    Rose Prado
    Prática Teórica Técnica
    .
    .


    SP
    Sacha Witkowski Mello
    Prática Teórica
    GOIANIA
    (62) 3558-2719
    czarsacha@gmail.com
    Oficina voltada para a percepão do movimento no corpo.
    Através de imagens (fotos,vídeos) e exercícios práticos, o aluno é convidado a visitar sua história corporal e perceber com esta está presente em seu corpo.
    Na oficina também será apresentada vídeos de coreografias de companhias nacionais e internacionais.
    Sala 8mx8m
    Uma Televisão de 21 polegadas
    Um aparelho de DVD.
    GO
    SANDRA MARIA CLARO DE FREITAS
    Prática
    JOÃO PESSOA
    (83) 3268-0770
    (83) 3225-3758
    SANDRAFREITAS45@HOTMAIL.COM
    PRETENDO IMPLANTAR NA EEEIEFM DONA ALICE CARNEIRO, GRUPO DE DANÇA CAPOEIRA, DANÇA JUNINA E DANÇA DE RUA


    RECURSOS FINANCEIROS PARA PAGAR MÚSICOS, OFICINEIROS E INDUMENTÁRIA PARA 100 PARTICIPANTES(ALUNOS


    PB
    sdeptmdo
    Prática Teórica Técnica
    555-666-0606
    555-666-0606
    sample@email.tst
    AL
    Sérgio Rocha
    Prática Técnica
    SAO PAULO
    (11) 3502-2824
    smdarocha@terra.com.br
    A oficina é uma idéia original do artista Sérgio Rocha e consiste em unir movimentos de dança contemporânea com a técnica de percussão corporal, batidas de pés no chão e a voz; compondo uma peformance multidisciplinar que trabalha o corpo de forma integral e estimulando os alunos nos aspectos de psicomotricidade e  neurolinguística. O professor toca percussão ao vivo durante as aulas e aborda vários ritmos brasileiros, como: Samba, Baião, Maracatu e suas fusões com ritmos estrangeiros como; Samba-Funk, Reggae-Baião, entre outros.
    CD player, sala com piso de madeira.
    SP
    Sheyla Cristina gatinho ruas
    Prática Teórica Técnica
    Natal, Brasil
    8499913391
    8499000785
    gatinhosheyla@gmail.com
    Teoria, técnica e prática do conhecimento e divulgação dos diversos tipos de danças ciganas,através dos seus grupos praticadas no mundo. 
    Figurinos;
    Aparelhagem de som e vídeo;
    Instrumentos musicais;
    Adereços;
    Material para divulgação;
    Alimentação;
    Transporte; 
    Tendas.


    RN
    Simone Pires Manhães
    Prática Teórica Técnica
    RIO DE JANEIRO
    (21) 2453-0207
    spmanhaes@hotmail.com
    Tendo em vista um crescente interesse em Dança Orientais, a oficina  promove através de uma coreografia, técnicas para o desenvolvimento de um dos movimentos mais bonitos e básicos em Dança do Ventre: os movimentos ondulatórios de quadril e braços.Com deslocamentos e posturas a aluna será capaz de aplicar os conhecimentos em qualquer gênero musical do Clássico ao Pop.
    Material utilizado pela aluna: véu, encharpe ou canga.Roupa confortável.Caderno e caneta para anotação.
    Material no local:aparelho de som compatível para microfone sem fio.Aparelho de som para CD(não original)
    RJ
    simone ribeiro
    Prática Teórica Técnica
    porto alegre
    (51)
    (51) 9102-2650
    simonecoelha@hotmail.com

    As escolas de samba perpetuam uma das maiores manifestações culturais do povo brasileiro, o samba e que tem seu ápice no espetáculo do carnaval. O casal de mestre sala e porta bandeira,bem como a porta estandarte, estão inseridos nesse contexto, de forma magnânima, já que tem a função de conduzir e proteger o pavilhão que representa toda a comunidade de uma escola de samba. É visando à preservação da cultura desse bailado, bem como a continuidade da cultura popular brasileira, que buscamos transmitir e desenvolver essa dança nobre, representante da realeza no carnaval.Através da dança do casal de mestre sala e porta bandeira ou da porta estandarte, valorizar a cultura popular brasileira, desenvolver a visão crítica dos freqüentadores e desenvolver o individuo em sua completude, atingindo aspectos sócios afetivos, psicológicos, motores e cognitivos

     

    caixa de som, bandeiras e estandartes,talabartes
    RS
    Solange Borelli
    Prática Teórica Técnica
    SAO PAULO
    sol.borelli@hotmail.com
     

    TEMA: ELABORAÇÃO, FORMATAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS DE DANÇA

    Coordenação: Solange Borelli

    (Artista da Dança, Produtora Cultural, Mestre Artes Corporais)

    OBJETIVOS:

    1. Capacitar e qualificar profissionais da área de dança

    2. Agregar profissionais interessados numa discussão e reflexão sobre os Editais de Dança nas esferas municipais, estaduais e federal.

    3. Apresentar instrumental técnico que contribua para a formatação de projetos.

    4. Compreender as etapas de uma produção executiva (da pré-produção, produção executiva propriamente dita e pós-produção), objetivando operacionalizar as atividades contidas no projeto.

    5. Possibilitar a troca de experiências e informações entre os participantes.

    PROGRAMA:

    1. As Leis que incentivam a produção artística no Brasil.

    2. Os editais que possibilitam subvenção à dança no Brasil.

    2. Depoimentos de artistas e produtores. Apresentação de documentário. Reflexão e Discussão.

    4. A elaboração e formatação de um projeto. A idéia do artista e a sua viabilidade

    6. A produção executiva. Caminhos e descaminhos.

    7. Exercícios Práticos. oficina de projetos.

    CARGA HORÁRIA:

    16 horas

    Sábado das 10h as 18h

    Domingo das 10h as 18h

    PÚBLICO ALVO:

    Artistas da Dança, produtores e demais interessados nessa temática

    LIMITE DE INSCRIÇÕES POR TURMA

    30 (trinta)


    Observação: Serão fornecidos certificados de participação aos que tiverem 75% de frequência da carga horária total. Serão fornecidos CD contendo as principais informações e textos discutidos no curso.

    Sala ampla, arejada, cadeiras e mesa, projetor  1.800 lumens, 30 canetas e 1.000 folhas de sulfite organizadas em pastas .

    Hospedagem, transporte e alimentação por conta da Instituição contratante.

    Pró-Labore: R$ 3.000,00 (Três mil Reais)
    SP
    Stela Guz
    Prática
    RIO DE JANEIRO
    stela.guz@gmail.com

    A oficina é dirigida a bailarinos, atores, performers, artistas e estudantes interessados em exercitar sua presença cênica e possibilidades de construção deste corpo expressivo, sua projeção e articulação no espaço.

    Estar atento ao próprio corpo, suas possibilidades anatômicas e de impregnação de significados. Seu ritmo interno e seu diálogo com o outro e com o espaço. Construção de uma partitura própria de movimento e palavra, e inter-relação espacial e grupal. Como constituir jogos espaciais de uma forma mais orgânica e intuitiva. Estar disponível ao jogo.

    Compõe a oficina: jogos corporais, técnicas de conscientização do corpo e de suas possibilidades de dinâmicas, articulação de texto e movimento, estruturação e construção do corpo cênico, relações espaciais e composições de grupo dentro de uma abordagem contemporânea de construção.

    O corpo capaz de produzir intensidades.

    O Espaço precisa ter um bom chão: preferência piso de madeira ou preparado com linóleo.

    Aparelho de som para CD.

    RJ
    Stela Guz e Verônica Diaz
    Prática
    Rio de Janeiro
    (21) 9118-8801
    (21) 9351-0726
    stela.guz@gmail.com
     

    Criação: Autoria e Performance



    A oficina é dirigida a bailarinos, atores, performers, e interessados afins.



    Oficina de prática e reflexão sobre o processo de criação em dança-teatro. Propõe-se a desenvolver o senso autoral na composição da performance e constituir uma linguagem própria de pesquisa e articulação da palavra e do movimento.


    Compõe a oficina:


    Primeira etapa: jogos corporais, composições e articulação de texto e movimento. Criação de núcleos de composição: solos, duos, trios e intervenções coletivas.


    Segunda etapa: Constituir segmentos, recortes, experimentos espaciais de composição. Elaboração de roteiro.


    Terceira etapa: Apresentação pública.


    A matriz temática será Identidade, Memória (coletiva e individual), deslocamentos.


    Espaço de apresentação : Preferência para locais alternativos como Galerias, Praças (espacos urbanos), jardins internos de museus e centros culturais.


     Espaço de Aula:

    Aparelho de som, CD

    Um bom piso: preferência de madeira ou preparado com linóleo


    Espaço de Performance: a combinar.

    RJ
    Tatiana Melitello
    Prática
    SAO PAULO
    (11) 3459-2736
    tatimelitello@hotmail.com
     

    A proposta desta oficina de composição coreográfica é trabalhar com quatro qualidades de movimentação pesquisadas no processo de criação de "Alvéolos" e que serão abordadas nesta oficina como ferramenta para composição coreográfica.


    Nesta proposta de composição, cada indivíduo organiza suas próprias possibilidades possíveis de abordar corporalmente estas ferramentas propostas gerando um diálogo com outros corpos baseado na improvisação e nas combinações destas ferramentas.


    Como estrutura de instrumentalizar aos participantes para realizarem improvisação das ferramentas citadas abaixo são propostos exercícios de manipulação e de reorganizações corporais e conversa sobre os estímulos gerados no ambiente urbano.

    A primeira ferramenta a ser estudada é fragmentação e articulação dos membros inferiores pelos membros superiores, a disposição destes em dobras e torções e peso com a combinação de fatores do sistema Laban:

    Primeira ferramenta: "socar" (dinâmica de movimentação direta, forte e acelerada com o "deslizar" (direto, leve e desacelerado).


    A segunda ferramenta é o estudo do equilíbrio pelo peso da bacia e projeção dos membros superiores com a combinação sistema Laban: "flutuar" (indireto, leve e desacelerado e o "socar" (direto, forte e acelerado).


    A terceira qualidade de movimentação aborda desvio, com deslizes internos, de obstáculos em trajetos ou caminhos pré-determinado por cada um. Na combinação do "torcer" (indireta, forte e desacelerada) com o "pontuar" (direto, leve e acelerado).


    A quarta dinâmica parte de reverberações que estímulos cotidianos provocam no corpo.Nesta qualidade são observadas tensões no corpo e transferência de peso em movimentos circulares ascendentes com combinação: "flutuar" (indireto, leve e desacelerado) com o "açoitar" (indireto, forte e acelerado).


    A oficina aborda, além dos focos físicos, conversa e discussões sobre as constantes adaptações que realizamos no ambiente urbano. Sob as questões:

    Com tantas reações provocadas no corpo diante aos estímulos de uma grande cidade, necessários à sobrevivência, como se dá a higiene do corpo ou, pelo menos, como regular o grau de permeabilidade do fluxo da atualidade?

    Como e o que acontece quando estes estímulos cotidianos, que permeiam o corpo, são recolocados em outro ambiente?




     

    Chão de madeira

    Aparelho de som


    Público Alvo:

    Estudantes de dança, teatro, performers e artes visuais com alguma experiência em exercícios corporais.


    Faixa etária: a partir de 18 anos.


    Número máximo de participantes: 15

    SP
    Telma Dias
    Prática
    SAO PAULO
    (11) 5016-2797
    (11) 5016-1908
    telma@velladoproducoes.com.br
     Oficina dirigida para atores.

    Em cada aula será ministrados exercícios de aquecimento, alongamento e técnica de dança clássica e contemporânea essenciais para aqueles que pretendem utilizar em seu trabalho teatral.

    Ao final das aulas sequências coreográficas para aplicação do trabalho desenvolvido durante as aulas.


    Sala de aula tradicional e aparelho de som.
    SP
    Tindaro Silvano
    Prática Teórica Técnica
    BELO HORIZONTE
    (31) 3468-2999
    tindaro@uai.com.br

    Aula de Técnicas Mistas (Para bailarinos clássicos e contemporâneos adiantados e profissionais) 

     

    A estrutura utilizada nestas aulas será a “clássica”, mas abordada de uma maneira especial onde a sensibilidade e o raciocínio deverão se aliar ao conhecimento de diferentes dinâmicas uma vez que esta técnica, a clássica, é possuidora de uma força viva que evolui dentro de um espaço aberto e sem fronteiras possibilitando um leque enorme de novas abordagens sobre a mesma.

     

    A aula deverá ser dirigida a bailarinos de nível avançado/profissional e constará de um aquecimento no solo (Yoga, Pilates), barra tradicional e centro acrescidos de material de técnica moderna tais como Graham, Limón, Cunningham e outras técnicas corporais visando mostrar aos bailarinos a possibilidade de uma vida mais longa, saudável e, sobretudo mais criativa, pois este processo aponta para uma participação mais intensa, menos passiva da parte do intérprete criando mecanismos de interesse bastante visíveis ao longo das oficinas.

     

    Estes bailarinos deverão, durante toda a aula, ser estimulados a conjugar memória, destreza física e musicalidade dentro de um ambiente positivo onde o mais importante será o contato direto com a espontaneidade do movimento corporal, pois um bailarino devidamente treinado deverá se transformar em um forte instrumento a serviço do repertório clássico tradicional assim como também em um colaborador criativo aberto às mais diversas propostas colocadas pelos coreógrafos contemporâneos.

     

    A oficina visa também estimular jovens criadores intérpretes que buscam um vocabulário novo para expressar suas idéias uma vez que incentiva o respeito pelo que já foi feito e que a todo momento deixa-se explícito que a partir deste legado podemos encontrar uma infinidade de possibilidades cênicas e uma nova relação corpo/espaço que explora situações de desconstrução gramatical possibilitando até mesmo uma aparente transgressão da lógica racional, pois neste ambiente se trabalhará com uma atitude de indagação continuada e com uma pitada de desconfiança de verdades pré-estabelecidas.

    Salas de aula para ensino de ballet clássico, ou seja, com barras, chão devidamente apropriado (se possível com linóleo) e aparelho de som.


    A dimensão de cada sala dependerá da quantidade de inscritos nas oficinas.

    MG
    Uxa Xavier
    Prática
    SAO PAULO
    (11) 3875-1801
    uxaxavier@uol.com.br
     

    Proposta de curso para Educadores de Arte.



    A proposta desse curso é criar um espaço de trocas e conhecimentos entre educadores das áreas de arte- dança teatro e artes visuais e música.


    Independente da dança todas as áreas trabalham com o corpo, e como trabalhar de forma criativa com o nosso corpo e o corpo dos alunos?


    Nesse caso a dança será a linguagem norteadora do curso, gerando novos conhecimentos para as outras áreas e reflexões para educadores de dança.


    As perguntas que nortearão o curso serão:


    Quem são meus alunos? Pensando no foco da cultura desse grupo e sua dinâmica.


    Como eu planejo uma aula?


    Qual meu ponto de partida?


    Quais minhas ferramentas?


    Como eu me envolvo e crio um espaço criativo no processo de aula?


    Sala de dança. Aparelho de som TV e aparelho de DVD . Cadernos de desenhos para os participantes lápis de cor e giz de cera.
    SP
    Uxa Xavier
    Prática
    SAO PAULO
    (11) 3875-1801
    uxaxavier@uol.com.br

    A criatividade no espaço pedagógico da dança.

     

     

     

    Sinopse.

     

     

     

    A proposta dessas oficinas (I, II) nasce de uma demanda real: a dificuldade ainda existente de trabalhar processos criativos em sala de aula.

     

    Quais procedimentos? Como trabalhar com crianças? Quem são meus alunos?

     

    Atualmente a dança se transformou numa preciosa ferramenta para projetos sociais e públicos, além de fazer parte da LDB. Mas como ela está sendo trabalhada? Como está sendo pensada? 

     

    Nos últimos quatro anos venho trabalhando como coordenadora de projetos públicos e privados e também ministrando cursos de capacitação para professores da rede pública.

     

    E as questões básicas de um processo pedagógico-criativo: Como? Porquê e Para quê? Ainda estão muito distantes de muitos profissionais que atuam com crianças. O objetivo dessa oficina será gerar uma troca de experiências e reflexão das práticas dos participantes.

     

    Meu objetivo é estar no espaço de mediadora e propositora de experiências. Tendo como ferramenta a minha experiência de trinta anos trabalhando com esse público: crianças e professores e o método Laban como suporte de conscientização do movimento expressivo. 

     

    Cronograma e carga horária.

     

    Será dois módulos, duração de dois meses cada.

     

    Módulo I (faixas etárias de 4 á 6 anos). Um encontro semanal de três horas total de 24hs.

     

    Módulo II (faixas etárias de 7 a 10 anos).

    Um encontro semanal de três horas, total de 24hs.

     

     

     

     

     

     

     

     

    Sala de dança. TV. Aparelho de DVD e microsistem. 10 fitas de mini dv para gravação dos trabalhos e depoimentos.
    Cadernos de desenho para os participantes, lápis de cor e giz de cêra.
    tecidos de 4 metros de compriemento ( 3 unidades).
    SP
    Valdemar Santos
    Prática
    (86) 9994-1543
    valdemarsantos2@hotmail.com

    Um trabalho voltado para estimular o relaxamento das articulações, controle respiratório e consciência corporal, com trabalho que busca conhecer e aceitar limites e misturas diferentes técnicas como Yoga, Pilates e Capoeira. Tem também base no sistema Laban de dança e vem sendo desenvolvido há quatro anos com a Cia. Equilíbrio de Dança, em Teresina - Piauí.

    - Espaço físico adequado

    - Equipamento de som

    PI
    Valéria de Farias Medeiros
    Prática
    RECIFE
    (81) 3304-7973
    lelamed@gmail.com
     

    Objetivo:


    Favorecer aos participantes a compreensão do seu corpo a partir de movimentos simples, advindos de jogos e brincadeiras, com o objetivo de construir um movimento próprio e espontâneo.

    Conteúdos:


    Partes do corpo e suas possibilidades de movimento;

    Noções de tempo e espaço;

    Relação com o próprio corpo, com o corpo do outro ou com objetos.

    Metodologia:


    As aulas, fundamentalmente práticas, consistem em:


    Preparação corporal (aquecimento);

    Jogos, brincadeiras ou exercícios aplicados como instrumento para a conscientização do corpo, seus movimentos e sua musicalidade;

    Composição de sequências;

    Improvisação.


    Público-alvo:


    Arte-educadores, professores de ensino fundamental da rede particular ou pública; estudantes de dança ou teatro e demais interessados em trabalhos de corpo e movimento.



    Sala ampla e arejada;
    Aparelho de som.
    PE
    Valéria Pinheiro
    Prática
    FORTALEZA
    (85) 3219-4939
    (85) 3265-6711
    valtaper@oi.com.br

    Um diálogo com códigos do universo das danças tradicionais brasileiras e co-relações com ferramentas da dança contemporânea


    Espaço com solo de madeira de pelo menos 64 metros quadrados para abrigar 20 pessoas; uma caixa de som para amplificação de instrumenhtos como rabeca, cavaquinho, guitarra e contra-baixo;
    CE
    Vanderlei Falcão
    Prática
    CAMPINAS
    (19) 3287-5664
    (19) 3735-5810
    vanderleifalcao@uol.com.br
     Esta oficina visa à redescoberta das potencialidades lúdico-sociais do espaço corporal, como uma forma de reencontro com o prazer da dança. É um trabalho de pesquisa que venho desenvolvendo há mais de dez anos, visando buscar, no envelhecimento corporal, uma nova maneira de se movimentar, sem preconceito.
     

     

    O movimento e a possibilidade de estimulá-lo com a música, a palavra ou o silêncio revelam, no espaço, a psicologia profunda do participante. Isso se obtém melhorando as condições físicas existentes, desenvolvendo sua criatividade por meio do corpo, com manifestações diretas da energia do ser, nada pré-concebido, e